Quem veio primeiro? Grandes buracos negros encontrados em pequenas galáxias

Publicado em 22.09.2011

A relação entre uma galáxia e seu buraco negro é tão grande que poderia ser comparada com membros desgrudados de uma família aqui na Terra. É como se os dois fossem irmãos consanguíneos.

Os cientistas nunca souberam dizer quem veio primeiro, as galáxias ou seus buracos negros – regiões do espaço com matéria tão densa que são capazes de devastar tudo o que existe em um bom espaço a sua volta.

Agora o mistério por trás disso é ainda maior, pois foram descobertas pequenas galáxias anãs com buracos negros gigantes, uma descoberta que derruba as atuais teorias sobre a formação de galáxias.

Estudos anteriores haviam mostrado que, à medida que uma galáxia cresce e evolui, parecia acontecer o mesmo com o buraco negro, pelo menos nos grandes aglomerados.

Mas, usando dados do telescópio espacial Hubble, astrônomos acharam pequenas galáxias no universo desproporcionais ao tamanho de seus buracos negros.

“Eles parecem estar fora de sincronia, de alguma maneira fundamental”, explica a astrônoma Sandra Faber. “Estes buracos negros são muito maciços, dado o seu conteúdo estelar. Eles cresceram muito rápido. Os buracos ficaram à frente das galáxias jovens”, completa Sandra.

Algo ainda mais intrigante é que uma protuberância reveladora de estrelas associadas com super-buracos negros estão visivelmente ausentes nos buracos menores, sugerindo que possa haver mais de uma maneira de um buraco negro crescer.

As novas descobertas são baseadas no estudo de 28 galáxias anãs amontoadas a cerca de 10 bilhões de anos-luz da Terra. Apesar de buracos negros, por definição, não poderem ser vistos, os astrônomos olham para a radiação de estrelas em torno do buraco negro para descobrir seu tamanho e características.

A pesquisa poderá mudar o pensamento dos cientistas sobre os ambientes em que as galáxias crescem e sobre o desenvolvimento de buracos negros. [MSN]

Autor: Stephanie D’Ornelas

É estudante de jornalismo, adora um café e um bom livro. Curte ciência, arte, culturas e escrever, mesmo que sejam poesias para guardar na gaveta.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

17 Comentários

  1. Quem veio primeiro: a galáxia ou o buraco negro?
    As estrelas se formam e se atraem. Estas estrelas adquirem um movimento de rotação e translação inerentes do universo. Comportam-se como se fosse um cardume de peixes girando em torno de um centro oco. Isto é o que acontece com uma galáxia. O buraco negro e a galáxia nascem ao mesmo tempo. Um depende do outro. O buraco negro oco é o centro de gravidade da galáxia. É negro porque seu campo magnético é muito forte e desvia o foton, como as manchas negras do sol que formam manchas negras no centro do foco magnético. Dizer que a gravidade é tão forte que nem a luz pode escapar não tem lógica. O foton praticamente não tem massa e não deveria sofrer ação da gravidade. Se fosse assim o sol deveria ser escuro. Os sois gigantescos não são escuros. Não foi a gravidade que desviou as luzes das estrelas durante o eclipse que provou a relatividade de Einstein, o que desviou a luz foi a densidade da heliosfera do sol e seu forte campo magnético.

    Thumb up 2
  2. Olha, sinceramente penso que as galaxias anãs ja foram galaxias gigantescas que foram tragadas pelo buraco negro tornando-o assim massivo.

    Achei super-interessante a teoria das Estrelas negras, na minha opinião existem dois tipos de buracos negros os que emitem materia e os que absorvem…

    Respeitem minha opinião sou leigo no assunto mais eu penso de forma. grato pela atenção

    Thumb up 2
  3. Ha várias maneiras de se ter um buraco negro maior. Uma delas é que pode existir muitas estrelas de neutrons ou grandes estrelas, ter captado matéria do espaço. outra é que mediram indiretamente o tamanho deste buraco negro e isto pode dar uma indicação falsa. Pode ser que a rotação do buraco negro, ainda não se acomodou com a galaxia, isto é, ainda está mais para um quazar, etc.

    Thumb up 2
  4. O universo continua um grande mistério.
    ___
    “Cientistas anunciam partícula que se move mais rápido que a luz.” Eu gostaria de ver uma matéria sobre o assunto.

    Thumb up 3
  5. Há uma possibilidade: a de buracos negros não existirem. Esse é um caso de uma boa explicação dada a uma observação mas que não se sustenta por muito tempo. Vou explicar: os astrônomos decidiram que haviam buracos negros super maciços no centro das galáxias depois de fotografarem o núcleo da nossa com o telescópio de Raios-X Chandra. Eles perceberam que a quantidade de Raios-X vindos do núcleo da galáxia era muito maior do que a soma de todas as estrelas. Como a teoria dos buracos negros não permitia, no passado, que ele permitisse a saída de energia nem mesmo de seu Horizonte de Eventos, fizeram uma correção para que eles permitissem emanar alguns tipos de energia durante a passagem de matéria de fora para dentro de seu núcleo.

    Como se espera que um buraco negro é um corpo celeste faminto que sempre está dragando matéria, a explicação foi muito bem aceita pela comunidade científica. Infelizmente, pelo que essa matéria apresenta, a teoria não se aplica a todos os buracos negros possíveis. Vejo que eles irão criar mais algum remendo, como está descrito no parágrafo 6.

    Acredito que a melhor explicação para esse fenômeno é a dada pelo James McCanney (como todo o resto de seu modelo, essa matéria continua validando-o). No núcleo das galáxias, ao invés de um buraco negro supermaciço, se encontra uma estrela de proporções gigantescas, com mais massa do que a soma do resto da matéria da galáxia, e à medida que ventos cósmicos passam por esse núcleo, protuberâncias de matéria quente esférica é ejetada dele geralmente em pares e nos dois lados desse núcleo, e as fortíssimas correntes elétricas existentes cuidam da simetria e da grande quantidade de Raios-X que ela emana. Tudo isso sem transgredir nenhuma Lei da Física, sem precisar de novas teorias – apenas aplicando-se as Leis Fundamentais -, sem necessidade de remendos nos últimos 30 anos e ainda por cima fornece uma explicação unificada para o nascimento de estrelas, planetas e cometas, e com novas observações confirmando esse modelo desde então.

    Mas informações na publicação científica “Continuum Galactic Formation” de James McCanney, disponível em adsabs.harvard.edu.

    Thumb up 10
    • Se são estrelas, pq não enxergamos? É uma estrela que não emite luz? Mesmo assim daria de observar..

      Thumb up 2
    • Ok, e porque os telescópios não podem avistar essa estrela monumental? deveria ser enormemente brilhante. Acho mais provável que buraco negro uma teoria chamada “estrelas negras”. É um princípio semelhante, ela tem alta gravidade e não deixa a luz escapar, mas ao destroçar as estrelas vizinhas esse processo gera um colossal disco de acressão, superaquecidos antes de serem tragados pela estrela negra, os gases arrancados das estrelas emitem raios X. Buraco é buraco, estrela é estrela. uma estrela negra pra mim faz mais sentido…

      Thumb up 2
    • Muitos gases estelares no caminho impedem a observação direta desse corpo celeste. Talvez se utilizassem aqueles telescópios infravermelhos super potentes eles pudessem ver algo, mas eles estão tão certos que lá existe um buraco negro que duvido que utilizariam tempo de equipamentos caros prá seguir um caminho diverso do caminho que eles seguem a tantas décadas.

      Thumb up 4
    • Boa Glauco, aqui mesmo na Via Láctea, a estrela Eta Carinae chega a ser milhões de vezes mais luminosa que o Sol e se não estivesse envolvida num grande casulo gasoso que ela mesma emitiu, chamado homúnculo, poderia rivalizar em brilho com Sírius, que fica a 9 anos luz, enquanto Carinae fica mil vezes mais distante. Muito bem colocada a tua resposta. Uma pergunta, ten alguma idéia aproximada das dimensões dessa super estrela que citou no teu comentário anterior?

      Thumb up 2
    • Honestamente, não sei se dá prá determinar o tamanho total de um corpo fora de alcance da visão sem um projeto determinado só prá isso. Entretanto o Prof. James McCanney explorou e decifrou esse assunto profundamente no trabalho “Continuum Galactic Formation”, disponível em adsabs.harvard.edu.

      Thumb up 1
    • Olá Glauco, tenho uma dúvida sobre o que você disse, eu entendo pouco sobre o assunto então me perdoe se eu disser algum absurdo, mas uma estrela com uma força gravitacional tão grande para manter toda a galáxia junta não teria uma velocidade de escape maior que a velocidade da luz e não seria um buraco negro de qualquer forma?

      Thumb up 1
    • Não sei, não chego nesse ponto de fazer cálculos, só repito o que o McCanney diz.

      Mas para ser um buraco negro não é só a velocidade de escape que importa. Importaria todo o histórico da estrela e que ela morreu. Nesse modelo do McCanney nenhuma estrela morta se transforma em buraco negro.

      Thumb up 1
    • Entendi, minha concepção de buraco negro era apenas de um corpo com um campo grávitacional do qual a luz não escapasse mas vou pesquisar mais sobre o assunto agora.

      Thumb up 1
  6. “Quando pensamos que encontramos todas as respostas vem a vida e muda todas as perguntas.”

    Thumb up 10
    • Paulo,
      Você é gênio cara. De verdade.

      Thumb up 2
    • Nunca encontramos todas as respostas e nem pensamos nisso, é porisso que a ciência existe. Caso contrário ela não existira.

      Thumb up 3

Envie um comentário

Leia o post anterior:
uars-satellite-rms
Satélite deve cair na Terra amanhã

Muito em breve, a Te...

Fechar