Seria possível transformar Jurassic Park em realidade?

Publicado em 17.08.2011

Quando o primeiro dos filmes de Jurassic Park foi lançado, em 1993, houve um sucesso absoluto. A ideia de clonar dinossauros, e fazê-los conviver em nosso tempo, esteve no imaginário de milhões de espectadores. Mas a primeira coisa que você deve ter ouvido falar sobre a obra de Steven Spielberg (baseada no livro de Michael Crichton), é que se tratava definitivamente de ficção. Que não era realmente possível clonar um dinossauro. Mas será que isso se tornará viável algum dia?

A resposta atual dos cientistas é: em parte. Recriar dinossauros, exatamente como eram, continua sendo impossível. Isso porque o processo descrito por Crichton na ficção envolve usos de um DNA que não existe mais em sua forma original. O que se fez, no livro e no filme, foi achar um mosquito da época dos dinossauros, conservado em resina, extrair sangue de dinossauro da barriga do inseto, inseri-lo em um embrião de crocodilo, e zás! Um dinossauro nascia.

O problema é com o material genético. O DNA, infelizmente, não está imune à ação do tempo. A cadeia de cromossomos de um dinossauro, segundo os cálculos, duraria intacta por cerca de 500 mil anos, não muito mais do que isso. E já se vão 65 milhões de anos desde que os últimos dinossauros habitaram a Terra. Ou seja, não sobrou nenhum DNA de dinossauro para contar a história.

Jack Horner, paleontólogo americano que trabalhou no enredo dos filmes de Jurassic Park, fala sobre o problema. Ele cita que já se encontrou, em 2005, um tecido mole (responsável pela elasticidade das escamas) de Tiranossauro Rex, mas não havia material genético a ser coletado, apenas outras biomoléculas.

Mesmo que fosse possível encontrar DNA intacto de dinossauro, no entanto, a chance de reviver os répteis seria mínima. Isso porque seriam encontrados apenas fragmentos de DNA, possivelmente fora de sequência dentro da cadeia de cromossomos. E não há nenhum indício de como seria “remontar” o DNA de um dinossauro.

Tomando isso como impossível, vamos à opção viável. Você já deve ter ouvido falar que alguns animais, como a galinha, têm descendentes diretos da época dos dinossauros. A ideia, portanto, seria trabalhar com o DNA da galinha, que já está totalmente codificado. A partir dele, segundo os especialistas, seria possível criar galinhas com dentes, cauda, escamas, membros superiores, enfim, uma espécie de “dino-galinha”.

O primeiro indício de tal pesquisa veio em 2005. Dois pesquisadores americanos, da Universidade do Wisconsin, observaram vestígios de dente de crocodilo em uma galinha geneticamente modificada. Tais galinhas possuíam um gene, recessivo, que matava os fetos antes deles nascerem, por isso não vemos galinhas com dentes por aí. No caso das galinhas mutantes, no entanto, esse gene foi substituído em algum ponto da história evolutiva de 70 milhões de anos dessa ave.

Esse novo gene seria o responsável por dentes de crocodilo. E os dois cientistas de Wisconsin criaram um vírus que simula essa situação. Quando o vírus foi inserido em um embrião de galinha, cresceram dentes. Usando esse método, portanto, galinhas com dentes de crocodilo poderiam se reproduzir.

Outra experiência, da Universidade McGill (Montreal, Canadá), tomou outro caminho. Sabendo que um embrião de galinha conserva, durante certo tempo, uma cauda (que depois desaparece) eles conseguiram evitar que a cauda sumisse usando hormônios de crescimento. Com esse mesmo método, as asas da galinha poderiam se converter em membros superiores de réptil.

A criação efetiva de um “dino-galinha”, no entanto, ainda deve levar alguns anos. A razão para isso, segundo os cientistas, é simples: em um mundo no qual ainda não se conhece a cura para o câncer, pesquisas para recriar dinossauros ainda não conseguem muito suporte financeiro para se desenvolver. Por enquanto, ficamos apenas com a ficção de Spielberg nas telas. [Life'sLittleMysteries]

Autor: Stephanie D’Ornelas

É estudante de jornalismo, adora um café e um bom livro. Curte ciência, arte, culturas e escrever, mesmo que sejam poesias para guardar na gaveta.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

39 Comentários

  1. Muito boa a matéria, como será que seria ver ao vivo uma destas galinhas parecidas com dinossauros?

    Thumb up 0
  2. Os antigos dinossauros são os animais mais incríveis que já existiram neste planeta tanto pelo tamanho enorme de vários quanto pela grande quantidade de espécies que fizeram parte da fauna mesozóica terrestre milhões de anos atrás, pode-se dizer até que deixaram saudades. Por isso é uma pena que os cientistas na realidade não tenham condições de ressuscitá-los em laboratório e depositá-los em alguma ilha desabitada como é visto no filme. Mas o fato de criar um ser semelhante a um dinossauro a partir de um embrião de galinha também pode ser bem interessante apesar de também mexer com questões éticas e ecológicas é claro. Pelo menos para os fãs da fauna pré-histórica como eu isso poderia ser um deleite, seria como viajar no tempo de um certo ponto de vista, além disso essa espécie de dinossauro dos dias atuais seria uma nova espécie que obviamente não existia naquela época. Já que a palavra dinossauro vem do grego esse dinossauro galinha atual poderia se chamar Kotópoulossauro já que de acordo com minha pesquisa, galinha na língua grega atual é kotópoulo. E outra curiosidade que algumas pessoas não sabem é que o nome do filme Jurassic Park em sua tradução literal para o português, não é Parque dos Dinossauros e sim Parque Jurássico ou Parque do Jurássico, isto é, o segundo período geológico no qual viveram os dinossauros entre cerca de 199 milhões a 145 milhões de anos atrás!

    Thumb up 7
    • É só viajar no tempo através do horizonte de eventos de um buraco negro e trazer o dino vivo mesmo, seria muito mais simples que clonar um dinossauro

      Thumb up 0
  3. Acho que a etica cientifica nao permitira tal aberração, sou muito catolico mas nao estou falando de religiao, acho monstruosidade criar um ser que não faça parte de nenhum eco-sistema pois ele nao sobreviveria por si só, ou ele acabaria com o sistema ecologico onde escapasse ou fosse solto. Criar simplesmente por criar para mantelo preso seria podre. Clonar animais em extinção pra salvar um eco-sistema ainda seria uma alternativa aceitavel.

    Thumb up 3
  4. iria enriquecer os dono de restaurante crocogalinhas fritas ou asadas ?isso é mafia rsrrsr

    Thumb up 1
  5. Será que nossos cientistas não consegue clonar um
    político honesto e decente para substituir os atuais ????

    Thumb up 20
  6. Muito boa essa matéria!!!
    Leva-nos a pensar como seria as coisas a partir do momento que
    todos esses “estudos” derem resultados!

    Thumb up 2
  7. Derrrr… e qual exatamente seria a utilidade disso? Alguém consegueria me responder isso com total seriedade?

    Thumb up 5
    • Provar que o ser humano pode, um dia, destruir esse planeta, apenas brincando de Deus!

      Thumb up 12
    • Eu juro que fiquei pensando… “Que gosto será que teria carne de T-Rex”… mas é, deve ser isso mesmo. Obrigado por responder.

      Thumb up 3
    • Deve ter gosto de frango.

      Thumb up 8
    • Espere clonarem um e ele ficar adulto, com pelo menos com uns 12 metros de comprimento, 4 de altura e umas 5 ou 6 toneladas (antes disso é covardia!), parta pra cima dele na “mão limpa”, mate ele “na unha” e prepare ao seu gosto. Então você vai descobrir qual o gosto da carne dele…

      Thumb up 5
    • Que utilidade tem um jogo de futebol?Um filme?A duas coisas envolvem milhoes de pessoas.Imagina a ciencia criando algo que não existe a milhoes de anos.A maioria das pessoas não ligaria, verdade seja dita,mas eu estaria financiando, se tivesse grana.Por que?Para ver.

      Thumb up 11
    • Verdade Barracuda, não tem nada mais inútil do que o futebol! Só é util para quem ganha dinheiro com ele ou beneficia sua saúde com a prática do esporte, mas para os milhões de torcedores sedentários que ficam enchendo a pança de cerveja, carnes gordas, discutindo, brigando e se estressando emocionalmente, é uma boa receita para ir para a cova mais cedo, e o trouxa ainda deve pedir para colocarem a bandeira do seu time sobre seu caixão!

      Thumb up 1
    • Eles querem é mais pra estudar e tudo mais, e provar para algumas pessoas que insistem em não acreditar nos dinos.

      Thumb up 3
    • Boa idéia

      Thumb up 11
    • ele teria a mesma genetica… mas muito provavelmente não a mesma mentalidade… ja q essa vem junto com a cultura e experiencia de vida.

      Thumb up 10
  8. Bom, talvez um “Parque dos Mamutes”, ou trazer de volta o Neandertal…
    Só que mais interessante que des-evoluir galinhas seria evoluir chimpanzés, a moda agora não é mais “Parque dos dinossauros” é “Planeta dos macacos”, em cartaz num laboratório próximo de você.

    Thumb up 16
    • chimpanzés??..temos vários evoluídos e em evolução..lá em Brasília.

      Thumb up 16
  9. Eu acredito que criar diossauros pode ocasionar varias modanças em nosso meio ,pois como uma pessoua dissi seria possiveu clonar animais extintos como mamutes e dodôs ou ate mesmo dentes-de-sabre o mundo se tornaria um caos pois se não ouvesse um caos no nosso querido mundo moderno eles não averiam sido extintos ou você ja imaginol ir no sitio i dar de cara com um dente-de-sabre ou ate mesmo um dinossauro.

    Thumb up 2
    • Creio que a tentativa de clonagem de um dinossauro, seria apenas para estuda-lo e conhecer mais sobre seus habitos, e não para reentroduzi-los no nosso mundo atual.

      Caso fosse para reentroduzir um animal extinto ao seu habitat nos tempos atuais, concerteza dariam prioridade aos animais extintos pela interderência humana, como o próprio Dodô, o tigre da Tasmânia, o golfinho do rio Chines e até mesmo o Mamute, já que alguns especialistas concordam que o homem contribuiu para a extinção da especie.

      Thumb up 17
  10. Eu acredito que criar diossauros pode ocasionar varias modanças em nosso meio pois como uma pessoua dissi seria possiveu clonar animais extintos como mamutes e dodôs ou ate mesmo dentes-de-sabre o mundo se tornaria um caos pois se não ouvesse um caos no nosso querido mundo moderno eles não averiam sido extintos ou você ja imaginol ir no sitio i dar de cara com um dente-de-sabre ou ate mesmo um dinossauro.

    Thumb up 1
  11. “A cadeia de cromossomos de um dinossauro, segundo os cálculos, duraria intacta por cerca de 500 mil anos”

    Podemos criar mamutes e outros animais mais recentes, então?

    Thumb up 23
    • Atualmente um grupo de cientistas estão tentando clonar um Mamute.

      Thumb up 16
    • Fácil, fácil. Basta querer. Material genético de Mamute existe em abundância. E ele poderia ser implantado facilmente num elefante fêmea.

      Thumb up 13
    • axo q o feto sria desproporcional a femea poisu m mamute é bem maior q eum elefante

      Thumb up 0
  12. Será que preencenhendo as frações de DNA de dinossouros encontrados com os de animais modernos, o resultado seria uma copia idêntica a de um dinossouro? Ou na verdade resultaria a uma animal hibrido com caracteristicas das duas espécies?

    Thumb up 15
    • Mesrine nao seria um dinossauro em 100% do funcionamento, como voce disse resultaria em um hibrido
      assim como foi em Jurassic Park

      Thumb up 5
  13. Acredito que o maior problema da história de Jurassic Park não é conseguir um dna inteiro, mas sim como, do dna preservado no mosquito, criar dezenas de especies diferentes, carnivoras e herbívoras… Isso que é o mais absurdo do filme…

    Thumb up 12
    • São vários mosquitos…

      Thumb up 16
    • sim, no propio filme, no comecinho pode-se ver uma escavação e um cara falando “achamos outro moskito”

      Thumb up 13
    • E também, o DNA não está inteiro, eles completaram com sapos africanos –’ Por isso que no meio do filme os dinossauros se reproduzem, pois algumas espécies de sapos africanos conseguem mudar de sexo num ambiente de sexos iguais, já que os cientistas do Jurassic Park fizeram apenas dinossauros fêmeas.

      Thumb up 5

Envie um comentário

Leia o post anterior:
parafoilpod
Quer ir para o espaço de balão?

Mais uma opção para ...

Fechar