Especialista em câncer alerta contra celulares

Publicado em 24.07.2008

criança falando no celular

O diretor de um proeminente instituto de pesquisa sobre o câncer emitiu uma aviso sem precedentes para os seus funcionários: Limitem o uso dos telefones celulares por causa do possível risco de câncer.

5 Dicas para evitar a radiação do telefone celular

O alerta partiu do Dr. Ronald B. Herberman, diretor do Instituto de Câncer da Universidade de Pittsburg. Ele está baseando o seu alarme em dados ainda não publicados. Ele disse que leva muito tempo para conseguir respostas da ciência e acredita que as pessoas deveriam agir agora, especialmente sobre as crianças.

“O centro de minha preocupação é de que não devemos esperar por um estudo definitivo, mas é melhor errar pelo excesso de segurança ao invés de se arrepender depois”, disse Ronald.

Nenhum outro acadêmico de instituições de pesquisa sobre o câncer soou tal alarme sobre o uso dos celulares. Mas o alerta de Ronald pode preocupar muitos usuários de telefones celulares, especialmente os pais.

No memorando que ele enviou para três mil pessoas na quarta-feira, ele afirma que as crianças devem usar os celulares apenas em emergência, pois seus cérebros ainda estão em desenvolvimento.

Os adultos deveriam manter o aparelho longe da cabeça e usar o auto-falante, ou fone de ouvido sem fio, ele disse. Ele até mesmo alerta contra o uso de celulares em locais públicos como um ônibus, pois isto expõe outros a campos eletromagnéticos.

A preocupação de alguns cientistas, apesar de não estarem perto de um consenso, é a radiação eletromagnética, especialmente seus possíveis efeitos nas crianças. Nas conferências sobre neurologia este não é apontado como um tópico importante.

Uma revisão de nove grandes estudos feita em 2008 não encontrou evidências de risco potencial elevado para tumores cerebrais em usuários de celulares. Estudos de 2007 feitos na França e Noruega chegaram à mesma conclusão.

“Apesar das evidências ainda serem controversas eu estou convencido de que há dados suficientes para emitir um aviso com conselhos de precauções sobre o uso de celulares”, ele escreveu em seu memorando.

A chave para o alerta

“A questão é: você vai querer jogar roleta russa com o seu cérebro?”, disse Devra Lee Davis, uma das diretoras da área de oncologia da mesma universidade e ex conselheira de saúde do governo Clinton. “Eu não sei se os celulares são perigosos. Mas eu não sei se eles são seguros.”

Segundo ela, 20 grupos confirmaram os conselhos de Ronald, e autoridades na Inglaterra, França e Índia alertaram sobre o uso de telefones celulares pelas crianças.

Os cientistas apontam que os estudos em pacientes de câncer cerebral se baseiam nas lembranças de uso de celular destas pessoas, e esta abordagem de pesquisa não é considerada a mais precisa. Mas o maior estudo, feito em 2006 na Dinamarca, seguiu os hábitos de 420 mil usuários de celulares e não encontrou maior risco entre os usuários mais antigos.

Um estudo francês publicado em 2007 afirmou que há “a possibilidade de um risco maior entre aqueles que usam mais” o celular de um tipo de tumor, mas isso precisaria ser confirmado em pesquisas futuras. [CNN.com]

Mais artigos sobre saúde.

Autor: Cezar Ribas

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

4 Comentários

  1. “acredito que devem se aprofundar mais nas pesquisas…pois o celular e um invento da tecnologia e esta por sua vez a cada dia nos traz mais preocupações quando uma obra como o celelar é criada só mostram o as vantagens mas sempre tem os dois lado da moeda…”

    Thumb up 1
  2. ” Acridito que devem se aprofundar nas pesquisas…pois o celular
    e uma obra da tecnologia…e esta por sua vez bem trazendo cada dia mais preocupações para nossas vidas…Quando tal invento é criado só mostram as vantagens,mas sempre tem os dois lados da moela…”

    Thumb up 1
  3. Eu acho pouco provável que o celular possa causar tumores, pois o aparelho emite apenas ondas de rádio, cujas frequências estão muito abaixo de ondas nocivas como os raios-X ou radiação gama, que certamente tem potência para causar danos. No meu entender, as ondas de rádio são menos prejudiciais do que a própria luz visível, cuja frequência é muito maior. Além disso, a potência do sinal de um celular jamais seria capaz de quebrar as ligações eletrônicas entre os átomos das moléculas do DNA. Ondas de rádio são capazes de gerar fraquíssimas correntes elétricas em metais e é graças a isso que toda transmissão via rádio funciona. Mas daí a achar que ondas de rádio são capazes de causar alterações nas ligações químicas entre átomos, é supor demais. Todos os dias somos bombardeados com sinais de rádio muito mais potentes, vindo de estações diversas e nada nos acontece. Considerando toda a redundância e auto-correção que o mecanismo de cópia das células possui, até mesmo tumores são algo muito mais complexo do que uma simples alteração de uma ou outra molécula. Muito provavelmente os tumores também evoluíram com os seres vivos, e são desencadeados por mecanismos diversos. As inúmeras substâncias químicas que a indústria coloca em nossos alimentos devem ser muito mais perigosos que os celulares.

    Thumb up 4

Envie um comentário

Shares
Share This

Compartilhe

Seus amigos vão adorar!