10 casos de vício extremo em videogame

Por , em 13.11.2010

Heroína, álcool, cigarros e… videogames. O fato é que alguns games podem ser verdadeiramente viciantes, como provam essas histórias incríveis de gente que extrapolou e levou os joguinhos a um nível nada saudável. Confira:

10. Matar aula

Todo mundo já matou uma aula ou duas para ficar conversando com os amigos, passear no shopping ou para jogar videogames. Mas esse garoto de 15 anos da Austrália com certeza passou do limite. Ele matou aula por três semanas e ficava jogando games online por mais de 16 horas por dia. Como ele fez isso? Ele vestia o uniforme e dizia para a mãe que ia para a aula, mas assim que ela saía para trabalhar, ele ia para frente do PC. A desculpa que ele deu na escola foi que ele havia passado por uma cirurgia. Seus pais só descobriram a farsa quando a diretora da escola ligou para perguntar como ele estava.

9. O garoto que queimou seu colega – literalmente

Quantos de nós já nos metemos em uma briguinha com um colega de sala? Só que esse garoto de Pequim, viciado em World of Warcraft, acreditou realmente que se tornou um Mago especializado em fogo e queimou o colega com quem estava brigando.

8. Sessão de Starcraft de 50 horas de duração

Alguns já viraram uma noite em um campeonato de videogame com os amigos, mas um homem da Coréia do Sul virou três noites jogando Starcraft. Depois de 50 horas seguidas de jogo, ele teve um colapso e seu coração parou. Acredita-se que ele morreu por exaustão, já que parava apenas para ir ao banheiro e para dar alguns cochilos.

7. Suicídio por causa de um jogo

Em dezembro de 2004, o chinês Xioyi, de 13 anos, escreveu uma carta dizendo que queria se unir aos heróis do jogo que ele tanto adorava. Então ele se jogou de um prédio depois de uma sessão de 13 horas seguidas de World of Warcraft. Agora os pais do menino estão processando a empresa fabricante do jogo.

6. A menina que morreu por negligência dos pais

Uma menina sul-coreana de três anos morreu porque seus pais preferiram cuidar de uma menina virtual do que dela. O jogo nos quais eles ficaram viciados era o Prius Online, similar ao Second Life. Eles saíram para uma sessão de 12 horas de jogo em uma lan house e deixaram a filha sozinha. Quando voltaram, ela estava morta.

5. Os gêmeos que morreram por negligência

Outro caso de pais viciados – um homem deixou seus filhos gêmeos na banheira e foi jogar GameBoy. Quando voltou, os bebês haviam se afogado. Ele irá passar 10 anos na prisão por assassinato “involuntário”.

4. O homem que foi esfaqueado até a morte

Qiu Chengwei esfaqueou Zhu Caoyuan até a morte depois que Caoyuan vendeu a espada virtual de Chengwei. Caoyuan havia oferecido o dinheiro para Chengwei, mas este se arrependeu e esfaqueou o amigo até a morte.

3. Adolescente mata mulher por dinheiro para jogar

No Vietnã, um menino de 13 anos foi preso depois de roubar 6,20 dólares e matar uma velhinha de 81 anos. Ele confessou ter feito isso porque precisava de dinheiro para jogar um game online. Depois de tê-la estrangulado ele a enterrou em um terreno cheio de areia.

2. Adolescente mata a mãe para jogar Halo 3

Daniel Petric, de 17 anos, matou sua mãe depois que ela não deixou que ele jogasse Halo 3. Ele entrou no seu quarto, pediu que ela fechasse os olhos. Disse “eu tenho uma surpresa pra você” e atirou bem entre os olhos dela.

1. Shawn Woolley

No dia de Ação de Graças nos EUA Shawn Woolley cometeu suicídio. De acordo com a mãe do garoto foi por causa do jogo de RPG online Everquest. Já a Sony, fabricante do jogo, disse que nada no game poderia ter motivado isso. A morte de Shawn ainda causa debate hoje. [Listverse]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

84 comentários

  • Luiza emo rara #B3ar:

    Poderiam falar da mulher que estrangulou o filho até a morte por causa do Farmville

  • Lucas Guimarães:

    pft tres semanas é pouco, ja fiquei 4 meses sem ir para a escola so pra jogar counter strike e outros games online

  • Renan Dantas:

    Gente, é bem mais sério do que parece.
    Comecei a faltar na escola em 2008/2009 quando tinha 17 anos para ficar jogando.
    Já desisti de três faculdades, sem estudar e sem trabalhar para jogar e beber.
    Estou na minha quarta faculdade com 22 anos, estudo, porém peguei DP de TODAS MATÉRIAS pois estourei em falta, praticamente fui 3 dias todo esse semestre (o primeiro semestre conclui, mas também tive muitas faltas.) E fiz isso porque? Por causa dos meus dois malditos vícios, beber e jogar…

    • Marcelo Ribeiro:

      Procure um bom psiquiatra ou psicólogo que entenda bem de Terapia Cognitivo-comportamental (TCC). É o método que possui mais confirmações científicas para tratamentos deste gênero.

    • João Antonio Gomides:

      Como você está hoje renan? Eu estou do mesmo jeito, ja to na terceira faculdade, 21 anos..e estou desanimado de tudo, menos jogar..

  • Daniel De Souza Telles:

    Já virei três noites sem cochilo. Naturalmente fiquei fraco e de minuto em minuto dava umas pescadas mas sobrevivi. uhsauhas

  • Magic For Me:

    Um ser sabio entende que até água demais faz mal. Deus tenha piedade dos que dormem no ponto.

  • Zepe M.:

    Já perceberam que a maioria desses casos foi com jogos online? Jogos em que se joga com outras pessoas? Eu acho que um bom culpado para isso é o “poder” que esses jogos dão. Em alguns jogos online o jogador pode até ser idolatrado por outros mais fracos, isso é sinônimo de poder e grandeza. E convenhamos: a mistura de poder e ser humano geralmente não dão boas consequências.

    • Leandro:

      concordo!
      Isso certamente poderia ser fruto de análise mais profunda.

  • John jones:

    e gente que não tem o que fazer da vida

  • Jullia:

    A graça dos jogos é se distanciar um pouco da realidade e se divertir. Acho que certas pessoas acabam exagerando nessa fuga e passam a ver suas vidas fazendo sentido apenas quando podem jogar, como acontece com qualquer tipo de obsessão. Mas é bem difícil que nesses casos extremos não hajam outros problemas psicológicos envolvidos. Videogame não é uma droga, no sentido de causar dependência química, mas o vício em jogar deve receber atenção, porque geralmente mostra que algo na vida da pessoa não anda bem.

  • Jacquelinne:

    Eu sei o que é ser viciado em videogame. Nesse ano quase fui reprovada na escola, e no ano passado fiquei de recuperação em 5 matérias e quase repeti.
    Já pensei em suicídio por não me conseguir me livrar desse vicio. Minha compulsão por Xbox está destruindo o casamento dos meus pais. Estou com um quadro de depressão profunda.
    Se alguém puder ajudar, agradeço.
    Tenho 16 anos.

    • nicneto:

      Olá jaqueline, tenho passado pela mesma situação que você, atualmente eu sou viciado em League of Legends (LoL), e gostaria de saber como você passou dessa fase, pois minha vida escolar está pessima, eu realmente não sei o que está acontecendo, eu apenas gostaria de que nunca tivesse conhecido esse jogo… Tenho 15
      Se você, ou alguem puder me responder ficarei grato, obrigado.

  • Sunabouzu:

    Não entendi porque os pais do menino, que se matou por causa do wow, estão processando o jogo. Eu jogo WoW e em nenhuma parte existe algo dizendo sobre uma outra dimensão aonde Horda e Alliance estão recrutando novos jogadores de outro mundo pelo preço de sua morte. Acho que pra rolar algo desse tipo, não é apenas problema mental do menino, mas sim dos pais. Pra chegar a esse ponto é que o muleque passava horas e horas em frente a esse jogo. E na boa… Com certesa eles não reveram as suas atitudes diante a esse menino enquanto ele era vivo e viciado em wow. Deviam deixar ele passar horas e horas jogando isso sem impor um limite. Agora querem colocar a culpa no jogo… É como culpar Deus por ter feito a natureza junto com a maconha que te viciou a ponto de ter te levado pra prisao.

  • Luan:

    Sou viciado em wow ( viciado em computador ) , jogo no min. 7 hrs por dia =P , mas olha o bom , tenho namorada ( nao conheci ela no jogo nao ¬¬ ) tenho mtos amigos e sou feliz =D , e tiro nota boa ein !! , as empresas tem nenhuma culpa nessas mortes , as pessoas que sao culpadas pelos atos delas ! ARRANJA UMA NAMORADA E TUDO FICA BLUE!!

  • Carlos Queiroz:

    Tem gente que se mata por Harry Potter, que gosta de Justin Bieber, que tenta ir pra Zion. Isso vai de pessoa a pessoa. Condenar um jogo pelas atrocidades é burrice, cada pessoa é responsável pelo seu ato.

  • Alienalta:

    De tanto jogar Aladin, ralei meus joelhos tentando flutuar como no jogo, saudades do meu Atari!!!

  • Josnel:

    Como o ser humano é um bixo burro.Como um menino vai se atirar de um prédio.<:-o ou botar fogo num coleg,essa gent tem problema an´tes de nascer!

    • Airmid:

      Será que existe vício em ortografia errada? Se existe é um problema crônico que acomete no mínimo 50% da população mundial. “Bixo” é com “ch”: “BICHO”. Não é tão difícil…

  • Miguel:

    Os pais dos casos 5 e 6 foram uns irresponsáveis do pior, deixaram os respectivos filhos morrerem por causa de uns jogos patetas! E o adolescente do caso 2 foi ainda pior, como é que alguém se vai lembrar de matar a própria mãe por causa de um jogo??? Por amor de Deus, vivemos rodeados de pessoas desiquilibradas!!!

  • karol:

    nao sabia que nos seres humanos eram tao burros a ponto de se viciar nesses joguinhos paia.é ruim pakas.

  • kati:

    Até q ponto vai a estupidez de um ser humano… e como é assustador saber q existem pesoas q “viajam” tanto a ponto de matar a mãe, esquecer filho se matar…loucura…

  • M-ly:

    Meu recorde é maior que o do pirralho da Austrália! Minha mãe e meu pai passaram 6 meses achando que eu ia pro cursinho. Eu só ia no início do mês pra pegar as apostilas. Com o dinheiro da passagem eu ia pra lan e jogava até a hora de voltar pra casa! XD

    Eles só souberam pq eu disse.

    P.S: Eu passei no curso que eu ia prestar!

  • XLT:

    Não acho que seja vicio extremo o problema!
    Realmente algumas pessoas devem ser mais fracas que outras a ponto de fazer atrocidades como essas.O Buly é um exemplo que impulciona uma pessoa ao suicidio.Não acho que tenha haver com a violencia em um game!

  • Corvo:

    eu ja fiz isso daqui heheehhe mas minha mae descubriu
    Ele vestia o uniforme e dizia para a mãe que ia para a aula, mas assim que ela saía para trabalhar, ele ia para frente do PC. A desculpa que ele deu na escola foi que ele havia passado por uma cirurgia. Seus pais só descobriram a farsa quando a diretora da escola ligou para perguntar como ele estava.

  • Corvo:

    Deu dó desse garoto aqui =/
    Em dezembro de 2004, o chinês Xioyi, de 13 anos, escreveu uma carta dizendo que queria se unir aos heróis do jogo que ele tanto adorava. Então ele se jogou de um prédio depois de uma sessão de 13 horas seguidas de World of Warcraft. Agora os pais do menino estão processando a empresa fabricante do jogo.

  • thiago:

    Eu jogo Counter-Strike Source já joguei por horas…dando tiros atrás de tiros nem por isso tenho vontade de mata ninguém…gente que comete esses tipos de coisa ,já tem um tipo de fraqueza mental…

  • Fernanda Thug:

    O ser humano é estupido mesmo não é? Pessoas acabam com suas vidas e estudos para jogar ao em vez de viver a vida real!

  • rafael:

    EU QUERIA JOGAR UM JOGO COM ELES…..

    CORRE E EU ATIRO…..

  • Maikon:

    O jogo é como qualquer substância ou coisa que utilizamos ou consumimos por aí. Destas coisas, muitas nem desconfiamos o quanto há de periculosidade direta, muito menos indireta. Existem jogos de todos os tipos de interações, assim como a realidade. Há remédios que se ingeridos são danosos pra gente. Há alimentos carregados de agrotóxicos. Há produtos domésticos carregados de substâncias químicas fortes. E há munições de armas de fogo que não funcionam. Analogicamente, “bebe da água quem quizer, mas ela não tem gosto e não tem cheiro, mas sempre tem uma poça suja no caminho pra pisar.”

    Em fim, as relações da realidade sempre serão imprevisíveis e multiformes.

  • Jorge:

    o problema ta nos jogos nao meu chapa…. bando de drogados…

  • Everton Carlos da Costa Cardoso:

    Meus amigos e minhas amigas, cliquem no link que o André colocou e vejam o rosto do homicida que assassinou uma criança de 1 ano de idade porque ela estava chorando, atrapalhando o jogo no vídeo-game. Ainda bem que ele foi condenado à prisão perpétua.

  • Addler Martin:

    Sério… tem gente com problema

    Eu jogo Mortal kombat desde que saiu o lançamento do primeiro… jogo GTA, Call of Duty, DOOM e tudo que é jogo de matança em massa e tal, e não saio incendiando as pessoas por aí e nem matando velhinhas de 81 anos por 6 pila… SÉRIO, ESSA GENTE TEM PROBLEMA, E ESSE PROBLEMA VEM ANTES DE PEGAR NO CONTROLE!

  • nicole:

    Jullian sobre o numero 9 eu sei porque ja joguei world of warcraft tambem não sou um psicopata o menino deve ter achado que era se eu não me engano um Blod Mage e te queimado o colega com espirito de fenix bla bla bla …E pura baboseira mais tambem e otimo para escapar do mundo real e admito alguns piram.

  • Deep:

    Cara, o mais louco é q as pessoas não entendem mais o limite entre o virtual e o real!
    Não sacam mais qdo é fantasia e quando é uma ocorrência do mundo real!
    Não sabem mais distinguir seus sonhos e devaneios de outros processos do cotidiano.

    Videogames são leais e divertidos…
    Mas evoluímos muito e chegamos a uma época com temas e jogos adultos. Passamos do tempo da inocência de joguinhos simples e ingênuos como o de atravessar a rua com uma galinha!!! (alguém lembra?)

    Hj temos games q exploram tendências, fantasias e lados obscuros da psiquê humana: Não só a violência , mas tb o hedonismo, a trangressão pura e simples, a cultura das armas, guerras, matar ou morrer.

    Mesmo sendo feito para adultos os games são jogados por crianças e adolescentes e por jovens adultos q insistem em prolongar sua adolescência.

    Há, claro, iniciativas como o Wii, que busca resgatar a “era de ouro” dos video-games com joguinhos simples, ingênuos e instintivos…

    Mas o nosso mundo real tem sido cada vez mais influencido pela estética dos video-games e, de certo modo, para alguns, tb vale a ética dos video-games pq pra esses aí, matar uma pessoa de carne e osso, ou esquecer-se totalmente de suas responsabilidades para com ela, é comum. Se algo der errado, basta apertar o botão reset… E seguindo essa lógica alguns se suicidam e por aí vai.

    Mas é óbvio q não é só o video-game em si o responsável por isso! Há uma tremenda defasagem entre o sistema educacional da maioria dos países e o atual momento tecnológico mundial… as aulas são chatas e, num primeiro momento, os melhores desafios intelectuais para a garotada se encontra nos games, aquelas coisas complicadas, high tech q os professores nem sequer sabem q existe, como funcionam ou por onde começar… É óbvio q o domínio desse campo se mostra pra essa garotada como uma expressão de poder: nós dominamos a tecnologia, os botões e telas, os bits e bytes; vc´s podem sacar tudo de uma lousa (hj, quase predominantemente quadros brancos) mas isso é muito, muito chato!!!

    E assim seguiremos, com cada vez mais explosões e picos por parte desses loucos mais sensíveis até que a gente possa e consiga lidar de modo diferente com esses elementos todos: realidade, virtualidade, potencialidade, tecnologia, juventude, hedonismo, violência, fantasia, agressividade e burrice, pura e simplesmente.

  • Jullian:

    eu jogo rpg online e nun sou psicopata
    mas tambem qria saber com q magia ele matou o amigo
    vai q da

    brinks com coisa seria XD

    eu axo q nem todos prescisam ser punidos por causa de npoucos malucos viciados .-.

  • Darius Shayne:

    Super mouse vc disse: “esses caras já tinham algum problema sério (agravado, talvez, pelo vício nos games”, então de uma certa forma vc concorda que o game piorou uma coisa que eles ja tinham, e que poderia ser evitada com a moderação dos mesmos.

  • Super Mouse:

    Na boa: culpar o vídeo game pela morte de alguém é como quando aqueles pais omissos querem processar astro de rock culpando-os pela morte dos filhos suicidas. Pra mim, de duas uma: ou esses caras já tinham algum problema sério (agravado, talvez, pelo vício nos games) ou os pais cometaram algum erro muito dramático em sua criação. Ou ambos! Esses caras eram bombas-relógio e iam matar alguém ou cometer suiciídio, mais cedo ou mais tarde. Culpar o vídeo game é um absurdo… E olha que eu nem jogo nem nada. Só acho que uma questão de bom senso. Procurar um bode espiatório é muito fácil… Admitir que é um pai ou mãe omisso, ou que o filho(a) tem um problema sério e precisa de tratamento, isso sim é difícil.

    Uma letra de música sobre o assunto:

    http://www.metrolyrics.com/whos-to-blame-lyrics-sacred-reich.html

  • Marco:

    E outra: Pros fanáticos ignorantes que adoram falar que os jogos são coisas do capeta.

    Mano, desde guri eu jogo videogame, e 80% jogos violentos, desde o PS1, PS2 e agora jogo no PC e PS3.

    Nunca briguei com ninguém por causa de jogo, nunca xinguei ninguém, nunca briguei com meus pais, nunca MATEI ninguém.

    Eu tive uma ÓTIMA educação familiar, e por isso eu não sou um perturbado que faz merda por causa de joguinhos, e nem fico falando igual um fanático religioso e cego, que jogos são satânicos.

    Jogos foram feitos para diversão e para desenvolvimento de reflexos e cordenação motora. Por exemplo: Não é porque jogo GTA4 que vou sair atropelando todas as pessoas. Muito pelo contrário, sou um ótimo motorista 🙂 Melhor que qualquer fanático de merd* que fica falando mal dos jogos.

  • Marco:

    Isso é coisa de gente MALUCA mesmo, pessoa perturbada da cabeça.

    Minha mãe já me proibiu de jogar God Of War 3 e nem por isso eu ia dar um tiro nela, nem ao menos chingar ou responder ela. Eu simplesmente esperei pra jogar depois.

    Agora matar A PRóPRIA MÃE? PORRA MEU, piá desses tem que apanhar até morrer! Mãe é sagrada meu :/ mãe a gente tem que respeitar e defender.

    Eu tenho 18 anos, quase a mesma idade do guri que matou a mãe, por isso que eu fico indignado como tem gente de merda nesse mundo :/ fico puto com isso. Tremenda sacanagem, mãe cuido dele a vida toda e esse é o “agradecimento” que ela recebe?

    Nossa fiquei impressionado com essa matéria.

  • Ananias:

    Maioria dos relatos ae é de oriental, o genti loca essa por games, vai ver é por isso que eles tem os olhinhos puxados é de tanto estar na frenti de um monitor ou uma tv!
    zuera ae galéra

  • OlhaMeuNome:

    A culpa não é dos fabricantes, e sim dos pais!
    Os fabricantes não tem culpa, eles fizeram o jogo para pessoas normais. Os pais que deveriam prestar mais atenção nos filhos. Cansaço nao é desculpa, somente vendo o boletim do filho da pra saber se ele esta viciado ou nao. E caso as notas estejam caindo, tire o videogame. Thenho 14 anos cresci com jogos violentos e hoje sou uma pessoa completamente normal.

  • André:

    Olha aí gente o resultado dos excessos.

    http://g1.globo.com/mundo/noticia/2010/11/ingles-que-matou-crianca-por-atrapalhar-game-pega-prisao-perpetua.html

  • mell:

    meu marido eh viciado em jogos online
    so sai da frente do pc pra ir trabalhar, banheiro, comer, me comer e durmir

  • jean:

    eu ja fui mt viciado, viciado meesmo, ja fiquei de sexta atarde até domingo jogando, so parava pra comer coopnodles (n sei o nome d reito) e voltava a jogar. consegui parar dando meus itens td e gold pra amigos, dae desanima.

    dae saiu outro jogo e eu comecei a jogar d novo, ja tava na facudade, eu escondia d baixo da cama, matava aula da facudade esperava meus pais sairem para ir jogar, quando eu ia pra faculdade, xegava atarde e ficava la até 5:30 da manha do outro dia, a hr de eu voltar pra facu.

    quem joga sabe do q eu estou falando, la se tu for forte tu começa a ser reconhecido e vira tipo uma selebridade la dentro, eu axo q é o q mais vicia nesses jogos é isso. Graças a Deus consegui parar. espero que eu nao volte a jogar nessas ferias.

    n vou confesar outras coisas q eu fiz por causa do jogo senao fica ruim pro meu lado, mais conste nos autos q ja gastei

    muito comum tu entrar em jogos tipo wyd e v caras viciados, gastam mt grana la, ja ti cara vendendo conta por 7 mil reais.

    o que vicia nao é o jogo, é a convivencia com os jogadores, principalmente quem nao tem vida social (infelismente como eu) nao posso fazer nada, meus pais me criaram assim :/

    sou apenas uma vitima da minha educação

  • Edison:

    Com qual magia o carinha do WoW queimou o cara?

  • Everton Carlos da Costa Cardoso:

    Depois que assisti ao vídeo do Youtube sugerido por Biakuia, não há mais dúvida…

  • PREFIRO NÃO ME IDENTIFICAR:

    Eu ja joguei muito e ainda jogo (não tanto quando antes), mais tenho que confessar que jogos em exesso realmente faz as crianças cometerem tais barbaridades, conheço pessoas assim, e temo que as mesmas cometam alguma loucura por causa de seus jogos, tem um (ex)amigo meu que delocou meu dedo porque eu estava conversando com ele e “não deixava” ele se concentrar no jogo, ele ja ameçou de morte seu irmão, que por sinal está indo no mesmo caminho, dessa vez (e pela primeira vez) eu concordo com a hype.

  • OddStrikesAgain:

    Realmente é ridiculo processar os fabricantes, da mesma forma penso sobre pessoas que processam fabricantes de armas de fogo… imagina ai o capitão Nascimento só na faca e spray de pimenta? não dá!
    Mas como já foi dito por um companheiro, cabeça fraca é cabeça fraca…
    Games não influenciam ninguém (mentalmente sadio), na verdade vejo games como uma pequena fuga dessa triste realidade em que vivemos, joguei muito vídeo game na minha infância, horas de chrono cross, metal gear e gran turismo, onde meu unico arrependimento é de não ter usado o dineiro gasto em algo realmente edificante! rssrsrsrs…
    Todo gosta de um joguinho seja virtual, de tabuleiro ou apenas com as mãos mesmo…
    A unica coisa que influencia e toma a cabeça das pessoas é o dinheiro… (depois da rede globo! é logico!)

  • Toneto:

    Todo mundo falando que video game influencia isso ou aquela pessoa.
    Na minha opinião pessoal é tudo blá blá blá.
    Se uma pessoal é demente ou fraca mentalmente de se deixar influenciar por coisas fictícias, tenho pena dessa pessoa e ouso dizer que ela nem deveria estar no meio de nós e sim se tratando.
    Pergunto, qual é o jogo dos padres que ensinam a violentar e seduzir crianças?
    Qual game ensina os pedófilos?
    Qual ensina os pais a serem violentos com os filhos?
    Marginal e bandido precisam de video game?
    Façam-me o favor, vamos pensar um pouco mais antes de responder coisas sem muito sentido, a não ser preconceito com quem gosta de jogos.
    Os games todos tem faixa etária. Por que os pais deixam seus filhos jogarem coisas que não são apropriadas para a idade dele?
    É quere jogar a responsabilidade em quem só quer lucrar.
    O problema é que muitos pais não querem cuidar e brincar com seus filhos e dão video games de presente apenas como uma compensação ou substituíção.
    Vamos ser mais céticos com as coisas e analisar bem os fatos antes de saírmos cheios de preconceitos em um área, que a maioria nem domina. Pois tenho certeza, que a maioria que criticaram o video game nem se quer jogam.

  • big bang:

    Adoro Call of Duty e nem por isso saio por ai matando ninguem, cabeça fraca e cabeça fraca, e como drogas, se vc tiver uma personalidade fraca vc já era…

  • Júlio César:

    Escroto é processar os fabricantes do jogo.
    Isso aí não passa de burrice da criança e negligência dos pais. Tem que ser retardado pra fazer isso e fim de história.
    15 milhões de pessoas jogam o jogo, e UM faz a cagada. E quer processar? Ah, vá se foder.

  • Biakuia:

    Vejam neste vídeo chocante o que o vicio em jogos pode fazer:

    http://www.youtube.com/watch?v=DLYZ5V2bq7E&feature=related

  • claudemir da silva:

    são jogos quer não tem nem fundo educacional só maldade e destruição

  • LUIZ MARIO A.ROGRIGUES:

    VÁRIOS SEGMENTOS EM NOSSA SOCIEDADE PERDERAM A NOÇÃO DE CONTROLE E DE REGRAS E NOSSAS CRIANÇAS NÃO FICARAM FORA DESSA TENDÊNCIA.
    DESCULPA O QUE VOU FALAR MAS PRECISAMOS VOLTAR AO PASSADO E COMEÇAR TUDO DE NOVO.(RESTAURAÇÃO DO SISTEMA)

  • Leilane:

    Muito Bom ! Essa informação deve ser veiculada em colégios

  • Patricia:

    Todo mundo tem culpa, o jogador que se torna dependente do jogo, os pais que não observam seus filhos a ponto de não notar seu vício extremo no jogo e aos jogos pelo alto índice de violência apresentados! De que adianta culpar um? Se os três são culpados? Apesar que a mãe foi interferir e se lascou =S

  • Katarina:

    Gente desculpe mas os fabricantes não lançam um joguinho “inocente” sem saber previamente que esta ou aquela imagem, vai capturar a atenção de alguém e causar determinado efeito.
    Quem trabalha com marketing e propaganda sabe exatamente o que eu estou dizendo. Então eu acho que os fabricantes, tem sim, sua parcela de culpa, assim como os pais , e toda uma sociedade que ao invés de assumir responsabilidades melhorando a qualidade DOS RELACIONAMTNTOS , e não material, deixa que as crianças que são o futuro do mundo, cresçam sem disciplina.
    E, quando falo disciplina, não falo de agressões, nem broncas chatas, nem tarefas tediosas. Falo de ética e de inventar uma nova forma de aprender.
    Meu pai era professor e ficava horrorizado dizendo que numa época cheia de coisas bacanas, o aluno ainda estudava numa carteira dura , como ele havia estudado a 50 anos atrás. Tudo muito e chato e aborrecido e as vezes humilhante, trancado numa sala de aula, que mais parece a sala de um centro cirurgico.
    Ele dizia que muito melhor que aprender “na marra”, seria levar os alunos a lugares que tragam estimulos intelectuais, para tornar o aprendizado mais atraente. assim se aprende uma matéria de forma agradável e sem sacrificios.
    Onde está está escrito que escola tem que ser um sacoooooo??????!!!!
    Outra coisa que ele observou ao longo dos anos foi que os alunos mais indisciplinados e que eram mais rebeldes, eram os mais inteligentes, porém eles não tiravam notas boas porque não se adaptavam ao método comum de aprendizado. Justamente por raciocinarem diferente.
    Esses alunos se rebelam, com a “prisão” do método de ensino que foi criado à seculos atrás. Crinaças e jovens que, tem energia de sobra e uma forma diferente de aprender.
    Resumo, eu acho que o método atual de ensino, “emburrece” os mais rápidos, porque nivela todos os alunos a uma só forma de pensar e cada ser humano é unico.
    As escolas deveriam tratar as crianças, cada uma de uma forma especial, respeitando a personalidade de cada um. Os mais timidos, com seu jeito profundo e mais lento de aprender, e os mais expansivos de outro.
    Os mais agitados precisam gastar energia e ter sua atenção capturada.
    Não sei voces galera mas quando entro numa sala de aula a impressão que tenho é que me jogaram numa sala cheia de leões, isso inclui alguns professores. Da mêdo.. E olha que eu adoro aprender.

  • Guilherme Spagnolo:

    Realmente, jogos em excesso prejudicam imensamente. No Brasil, final de 2009 uma mãe foi notificada pelo sindico do condomínio que o seu filho jogou a cueca suja de fezes pela janela após 48 horas ininterruptas jogando World of WarCraft. é lamentavel quando um ser humano despreza suas necessidades sociais, prejudica a vida escolar e seu relacionamento familiar. Agora, ignorar suas próprias necessidades biológicas em função disso,é chocante…

  • Matheus:

    Em relação ao WoW não há motivos para processo,a culpa é dos pais que não souberam administrar os horários do garoto. A culpa não é do jogo e sim dos responsáveis e do próprio jogador.

  • Aldeline Correia:

    incrivel como fatos iguais a esse estão se tornando banais.
    assustador

  • Dowglasz:

    Essas pessoas são doentes. O fabricante do jogo não tem nenhuma responsabilidade por essas mortes. Quando existe alguma influência, ela acontece por causa de algum transtorno mental pré-existente. Mas é claro que algumas cenas podem ser traumatizantes, mas isso quase anula a participação dos fabricantes e distribuidores. É necessário atenção das pessoas mais próximas para ajudar quem tem um problema desse tipo. Há quem pela viciado sim, mas o objetivo dos jogos é o entretenimento. Os potencialmente nocivos raramente chegam ao mercado. Não é o vídeo game que afasta as pessoas, são as pessoas que vão se afastando e se escondem num jogo.
    Aliás, eu sempre senti falta de companhia para jogos de tabuleiro, mesmo com meus pais em casa. Minha mãe estava sempre ocupada com a ordem da casa e meu pai estava sempre com sono por causa da cerveja. Mesmo quando terminava as tarefas da casa minha mãe não jogava comigo por ter preconceito com jogos. Talvez a origem desse precoceito tenha sido meu próprio pai, que já perdeu muito do bancas. E preferia sempre apostar e perder a jogar jogos educativos comigo, em casa.

  • Dowglasz:

    Essas pessoas são doentes. O fabricante do jogo não tem nenhuma responsabilidade por essas mortes. Quando existe alguma influência, ela acontece por causa de algum transtorno mental pré-existente. Mas é claro que algumas cenas podem ser traumatizantes, mas isso quase anula a participação dos fabricantes e distribuidores. É necessário atenção das pessoas mais próximas para ajudar quem tem um problema desse tipo. Há quem pela viciado sim, mas o objetivo dos jogos é o entretenimento. Os potencialmente nocivos raramente chegam ao mercado.

  • Nome:

    Isso vai de cada um, pessoal. Eu SEMPRE fui chegado em video game. Desde que era criança, a minha mãe, mesmo que escondida do velho, sempre fez uma força para comprar um console para mim.

    Não é por isso que sou um pessoa violenta ou que deixa de fazer coisas além de jogar.

    Aliás, se não exageradamente, jogar é até bom para melhorar sua coordenação motoroa e seus reflexos.

  • Katarina:

    Li os comentários e acho cada um a seu modo tem razão, mas… durante a segunda guerra mundial fizeram experiencias simulando a morte de alguem que estava de olhos vendados e por indução a pessoa morria mesmo. Resumindo, a soma do desleixo e cansaço dos pais, mais fabricantes de games que só querem ganhar dinheiro e pessoas, principalmente crianças que não em a personalidade formada e com alta sensiblidade a indução externa . Dá nisso, reações extremas ao estress artificial. Isso sem contar a maluquice e incoerrencia “Normal” do nosso dia a dia.
    Precisamos repensar nossa ganancia , teriamos pais mais atentos e menos cansados, e consequentemente filhos menos expostos e mais orientados para a vida. Quem sabe no futuro aprendamos com nossos erros.

  • Genivaldo:

    São jogos satanicos preparados para distruir quem joga este é o fato real para que foi criado a ordem é destruir quem joga ou quem impedem de jogar.

  • luciana:

    Essa vai para os papais e mamães que geram filhos e depois não sabem o que fazer com êles: a babá é a internet, os jogos de video game, os zeladores de condominio, os amigos. Moro em um condomínio que as crianças de 3 anos ficam só no parquinho, vulneráveis e expostas a influências, os papais e mamães estão cansados demais para lhes dar atenção. A solidão é tamanha destas crianças que elas chegam a puxar conversa com os adultos. E aí, papais e mamães, para que ter filhos se não os querem? Se eles atrapalham sua vida social, profissional, amorosa, porque os tiveram?

  • ANILSON MARTINS:

    Todo tipo de vicio é prejudicial ! Porem nos jogo de videogame a coisa tem mais um lado negativo , vejo adolescente que fazem questão de ser os bandidos em alguns jogos e isso tenho certeza de que não é nada bom para esta garotada que precisa mesmo é de boas influencias mesmo no virtual, porque a realidade de nosso dia a dia ja é bastante critica !

  • Felipe:

    Qualquer vício é ruim , mas já q vai ter vício tenha um vício menos infantil né , tenha vício em se exercitar!

  • Marcos_mat:

    Lembro-me de uma história que aconteceu no Brasil, em Santa Catarina, se não me engano: um garoto de 16 anos que matou e esquartejou um colega por causa de um item do jogo Tibia há alguns anos…

  • Zé da Morte:

    GTA! O melhor dos jogos de VG!

  • Eduardo:

    Faltou aquele universitário de São Paulo que depois de jogar Duke Nukem, entrou num cinema e saiu atirando nas pessoas matando várias delas.

    Eu já joguei alguns jogos violentos, inclusive o Duke Nukem. E a fase que eu mais gostava era justamente a primeira do cinema, que motivou aquele imbecil em São Paulo.

    E nem por isso cometi crimes ou fiquei com personalidade violenta. Por duas razões básicas:

    Primeiro, meus pais me monitoravam e determinavam os dias e o tempo que eu poderia jogar. E sem direito a ‘por favor, pai, só mais meia hora’… Então não dava para viciar. Não dava para surtar.

    Segundo, meus pais sempre dialogaram sobre tudo comigo: DROGAS, SEXO, ROCK AND ROLL e JOGOS ELETRÔNICOS. Nesse último quesito, ainda ouço a voz meu pai: “lembre-se que isso é uma fantasia. Uma ficção.”

    Resultado: Nunca usei drogas de nenhum tipo. Nunca fiquei bêbado, escolhi bem as bandas de rock que gosto e nunca fui viciado em jogos! Não acredita? Então seus pais deixaram você muito largado na vida… Eu não sou o único caso desse tipo, tenho certeza.

    Mas vamos voltar ao assunto: O jogo violento tem sua culpa? Talvez. Mas quem é mais culpado? O fabricante do jogo que não faz idéia de que tipo de retardado vai jogá-lo, ou os pais que não monitoram e que não dosam seus filhos? Quem é mais culpado? O fabricante do jogo ou o jogador que não vê que está extrapolando limites saudáveis?

    É como culpar o fabricante de cerveja por conta do marginal (sim, marginal) que bebe e pega no volante de um carro, bate e mata um monte de gente! Quem não sabe que o álcool vicia? Que o álcool entorpece os sentidos? Quem não sabe? A culpa é do marginal e não do produtor da bebida. Tenho certeza que o ‘dono’ da cerveja não deseja que as pessoas consumam seu produto até se matarem… E as pessoas são tão desequilibradas que o nosso governo teve que coloca uma lei. Se beber e dirigir, cana! Ora pessoal, vamos lá! Se todos vivessem suas vidas visando o equilíbrio essa lei seria ridícula, não precisaria existir.

    A mesma coisa acontece com o fabricante do jogo. Ele inventou uma ficção. Alguns dizem que é demoníaco. Outros que é violento. Outros não gostam. Respeito todos esses coneceitos. Mas no fim das contas: A culpa é sua que não sabe jogar!

    Minha opinião… 🙂

  • Ferreira:

    Isto é obra de gente sem noção principalmente negligencia dos pais que usam video-game como nova babá eletrônica onde os mesmo não encontram um tempinho para estar junto para jogar uma bolinha ou conversar. preferem comprar um game e fazer a seguinte manobra. Toma filhinho joga o joguinho e veja se me erra o dia inteiro.

  • Lucas Miranda:

    faltou aqueles dois casos em que o cara perseguiu a namorada de carro porque ela roubou seu Play Station 3, e a mãe que matou seu bebê porque ele chorava em quanto ela jogava seu joguinho OnLine..(Matérias de umas semanas atrás do Hype Science )
    Acho que essas duas também poderiam ter entrado na lista

  • Leônidas Loureiro:

    Faltou um vício de consequencias coletivas graves: o vício da CORRUPÇÃO no Brasil e em muitos outros países do mundo, tanto na área pública como entre muitos políticos, vício de difícil cura, mas que, com a lei da Ficha Limpa, parece que muitos deles (políticos e funcionários públicos) ficarão inibidos de continuar com esse vício. Outro “remédio” contra esse terrível mal, é a PUNIÇÂO, que deverá ser mas severa e não livrar a cara de ninguem.

  • bruno:

    Eu acho que é fácil por a culpa nos jogos. “meu filho se matou por causa do jogo”. Ter uma boa educação familiar é tudo!!!

    Os pais adoram se livrar da culpa de não ter educado seu filho direito!!!!!

  • joel machado:

    tenho um filho que perde horas no pc jogando tibia, o cumputador já foi varias pro conserto devido a virus, se não o deixo jogar ele fica triste, então ele pede pra jogar no ps2 que acho inofencivo pois sò joga futebol. as autoridades e conselhos tutelares deviam ser rigorosos com o se vende e o que tem na web.penso que dependendo do tipo de jogo que se quer pode ser uma forma de se distrair, mas os pais ainda são os melhores policiais do que os herois de games ,que levam nossos filhos a perdição,.

  • Jean Junior:

    Eu nem tenho vídeo game ou pc que rode isso. 0% deu ficar viciado x_x

  • Maikon:

    “sugiro que não joguem jogos violentos, dado que a pessoas facilmente influenciaveis, e com a isaustam podem vir a trazer problemas.”

    Nelson Pereira,

    Não quero discordar e contraria o seguinte ponto: os pais devem dosar os filhos sim, são eles que tem a responsabilidade de controlar os jogos livres da net, os jogos da lan, e os jogos comerciais. Lembrando que todos os jogos comerciais tem idade mínima aconselhada. E as lans também deve se regularizar a isto, proibindo de menores jogos jogos não aconselhados para eles.

  • nelson pereira:

    sugiro que não joguem jogos violentos, dado que a pessoas facilmente influenciaveis, e com a isaustam podem vir a trazer problemas

  • Maikon:

    A degeneração não exige regras. Estes casos podem tanto acontecer na fantasia irreal dos jogos, como nos “jogos” da realidade. Não existe jogador “intocável”.

  • Z3hr0_C00l:

    Bons os que eu me deixava viciar por esses Shang Tsung virtuais(sugadores de almas)…

    Ragnarok e Counter-Strike foram os piores.

  • luca:

    games online viciam,fato,eu já fui tão viciado de ficar acordado das 7 as 12 na frente de um computador, e não gostar de sair pra fazer nada, novos vícios estão surgindo a cada dia, hoje eu não jogo mais.

  • Lucas:

    Ainda bem que estou bem longe do nivel dessas pessoas ai!!!

Deixe seu comentário!