10 cientistas que você não quer irritar

Por , em 10.08.2015

São duas da manhã, você está em um bar e o clima está prestes a ficar um pouco pesado demais. Porém, você não precisa recorrer a heróis de ação para encontrar alguém para te ajudar nessa hora. Isso porque as ciências têm alguns pesos pesados. Abaixo estão dez cientistas que você gostaria que estivesse ao seu lado em uma briga:

10. Richard Feynman

cientistas bons de briga 10
Sinceramente, esse cara sabe se virar em um bar. Mas ele traz muito mais do que simplesmente conhecimento. Feynman ficou famoso, a princípio, durante o projeto Manhattan (dica: bomba nuclear não é sua arma secreta), e depois com uma série popular de livros, mas o seu grande momento veio depois de uma tragédia americana.

Quando o ônibus espacial Challenger explodiu, o mundo inteiro queria saber o que aconteceu, e Richard Feynman demonstrou o caso em uma mesa de uma sala de conferências. O físico pegou uma amostra do material de vedação usado no Challenger e jogou dentro de um copo de água com gelo. À mera temperatura de uma bebida qualquer, a borracha ficou rígida e amassada. A conclusão era óbvia: o material de vedação perdeu sua capacidade de selar, assim como os anéis de vedação fizeram no foguete sólido direito do ônibus espacial.

É sempre bom ter por perto alguém que possa analisar o que está acontecendo de errado e tentar descobrir uma maneira de corrigir o problema. Além disso, ele costumava escapar da base militar Los Alamos o tempo todo, então, se as coisas ficarem ruins, ele também é bom nisso.

9. Edwin Hubble

cientistas bons de briga 9
De acordo com os boatos, quando Edwin Hubble – o telescópio foi batizado em homenagem a ele – estava na faculdade, ele foi abordado por um promotor de lutas que queria que ele lutasse com o então campeão peso-pesado e ainda lendário Jack Johnson. De acordo com Hubble, ele lutou e conseguiu empatar com o campeão de boxe francês Georges Carpentier.

Há poucas dúvidas de que Hubble foi um boxeador talentoso. Se há alguma sobre a veracidade do rumor é porque Hubble também era um idiota egocêntrico. Ele irritava todo mundo em todos os sentidos possíveis, incluindo ao fingir um sotaque britânico para o resto de sua vida depois de apenas alguns anos em Oxford. Embora tivesse cicatrizes de lutas em seu rosto, a maioria dos biógrafos acredita que elas foram cuidadosamente infligidas por um amigo e não casualmente por algum oponente de duelo.

Ainda assim, um cara como ele, que não perdia a oportunidade de ofender as pessoas, deve ter se metido em algumas brigas. E se você precisar deixar alguém para trás para apanhar até virar geleia, você não deve se sentir muito mal ao abandonar Hubble.

8. Dian Fossey

6851430
Agora esqueça algo tão estéril quanto o boxe; se há uma pessoa nesta lista que se sente em casa em uma luta física é a primatologista Dian Fossey. Segundo o biógrafo Harold Hayes, “Fossey atirou em seus inimigos, sequestrou seus filhos, chicoteou órgãos genitais, jogou esterco de macaco neles, matou seu gado, queimou suas propriedades e os mandou para a cadeia”.

Se isso parece terrível, se prepare porque é só o começo. Para se ter uma ideia, ela foi para a ciência o que o personagem de Joe Pesci foi para o filme “Os Bons Companheiros”.

É difícil dizer exatamente qual das histórias sobre ela – que incluem tudo, desde intimidar suas equipes de pesquisa até ameaçar castrar caçadores com machetes – são verdadeiras, quais são exagero e quais foram simplesmente espalhadas por ela para criar uma lenda intimidante. O que é certo é que esta zoóloga era durona, destemida e agressiva. Não sabemos como seria possível para um ser humano levá-la para o seu lado, mas isso certamente lhe traria vantagens.

7. Mae Jemison

cientistas bons de briga 7
Mae Jemison fez um doutorado. Então, Mae Jemison se juntou ao Corpo da Paz. Depois, Mae Jemison se tornou uma astronauta. Em seguida, Mae Jemison se tornou a primeira astronauta a aparecer em “Star Trek”. Atualmente, ela tem nove doutorados honorários – além de seu doutorado original – e está no conselho do 100 Year Starship, um programa destinado a estabelecer uma base que acabará por levar a viagem interestelar.

Não sabemos se Mae Jemison é boa de briga – embora imaginemos que ela esteja em boa forma, porque enquanto ela estava na faculdade de medicina, também estudou dança e mais tarde produziu e coreografou números de dança. Só o que sabemos é que Mae Jemison não perde.

Ela não perde nunca.

6. Buzz Aldrin

Ah, teorias da conspiração… como amamos odiá-las. Uma das mais famosas é, sem dúvida, a de que o homem nunca pisou na lua. Um dos defensores dessa história resolveu confrontar o astronauta Buzz Aldrin em público a respeito do assunto – e, por sorte, temos um vídeo desse momento:

O conspirador começa dizendo coisas como “Você é quem disse que andou na lua, quando não andou” e “Você é um covarde, um mentiroso…” e nunca sabemos o que mais ele acha que Aldrin é, porque foi exatamente neste momento que o punho do cientista se chocou contra a sua face.

Esse vídeo é daqueles que devemos rever de tempos em tempos para ficarmos felizes de novo. E aí, cara? Como é a sensação de levar um soco de um homem de 72 anos de idade, que definitivamente andou na lua?

5. Mary Anning

cientistas bons de briga 5
Mary Anning aprendeu algo sobre a ciência da coleta de fósseis com seu pai e sua mãe quando era uma criança, mas depois dos 12 anos de idade ela praticamente aprendeu sozinha a ser, na opinião de alguns, “a maior fossilista que o mundo já conheceu”. Ela fez isso em parte pelo interesse no contexto e significado de suas descobertas, e em parte porque precisava se recuperar e vender fósseis para sustentar a família. Isso significa que ela passou a maior parte de sua vida fazendo um trabalho físico pesado e preciso. Ela fazia longas trilhas e encontrava fósseis ao longo de penhascos, os recuperava, limpava e guardava cuidadosamente.

Mas como ela poderia ajudar em uma briga? Bom, ela usou por toda a sua vida toda aquela parafernalha de escavação que envolve martelos e coisas pontudas. Esta mulher era forte, determinada e com um instrumento desses na mão provavelmente poderia dar uma surra no próprio Thor.

4. Charles Drew

cientistas bons de briga 4
Charles Drew inventou uma maneira de armazenar plasma sanguíneo, então podemos ter certeza que ele não vai ficar tonto ao ver sangue. Antes de entrar no campo da medicina, ele foi para a faculdade com uma bolsa esportiva e se destacou tanto em corrida quanto em futebol americano. Com isso, sabemos que ele consegue chegar onde precisa estar de forma rápida e que ele consegue enfrentar outras pessoas. Após a faculdade, ele foi, por um tempo, um técnico de ensino médio – o que significa que ele provavelmente separou mais algumas brigas.

O mais importante, porém, é a sua formação médica. Durante seu tempo na faculdade de medicina, ele se deu muito bem em anatomia: este homem sabe onde bater. Quando se formou, em segundo lugar na sua classe, ele colou grau como Doutor em Medicina e Mestre em Cirurgia. Ou seja, é útil na hora de causar ferimentos e também de curá-los.

3. Ada Lovelace

cientistas bons de briga 3
Ada Lovelace não seria um peso-pesado nessa luta. Ela não era a pessoa mais saudável do planeta, mesmo antes de ser atingida pela cólera que a deixou com dispepsia e asmática. Sua contribuição não é física.

Se o talento de Feynman é ver o que deu errado, o talento de Lovelace está em ver o que pode dar certo. Esta é a mulher que escreveu estudos que anteciparam a ciência da computação por um século. Além disso, ela amava apostar, então não vai fugir de uma briga e não hesitará em tirar qualquer vantagem possível das fraquezas do outro grupo. Se há alguém que pode pensar em uma estratégia arriscada, mas vencedora, é Lovelace.

2. Isaac Newton

cientistas bons de briga 2
Ele era muito exigente, certinho e minucioso, mas ninguém poderia vencê-lo quando se trata de pura maldade. Este homem passou a vida inteira travando lutas ferozes com quase todos que ele conhecia, e todas essas lutas terminaram com ele como vencedor.

Por quê? Porque não importa o quanto as pessoas odiavam Isaac Newton – e, acredite, as pessoas o odiavam – isso não poderia se comparar com o quanto Isaac Newton odiava outras pessoas. Não há como discutir com o seu poder de permanência e malícia. Depois que todos da sua turma forem nocauteados, Newton ainda estará lá, firme e forte, ameaçando os outros com uma garrafa de cerveja quebrada e cuspindo no rosto de seus oponentes.

Além disso, como ele mesmo confessou, ele era realmente bom com uma besta (aquela mistura de espingarda e arco e flecha que Ramsay Bolton e Joffrey Baratheon adoram em “Game of Thrones”).

1. Chien-Shiung Wu

cientistas bons de briga 1
Não esperávamos encontrar alguém para superar Newton, mas achamos. Wu foi para os Estados Unidos em 1936 e obteve seu doutorado em física pela Universidade de Berkeley em 1940. Ela foi rapidamente contratada pela Divisão de Pesquisa de Guerra dos EUA e depois foi para o Projeto Manhattan. Após o término da Segunda Guerra Mundial, ela foi para a Universidade de Columbia, onde trabalhava por tanto tempo que seus alunos, certa vez, compraram dois bilhetes de cinema para que ela pudesse ter algumas horas de folga com o seu filho (não funcionou, ela enviou a babá). Seu trabalho incluía de tudo, desde separar isótopos para investigar o decaimento beta até provar que o núcleo de um átomo não tem que ser simétrico.

Tudo isso é muito impressionante, mas não muito útil em uma briga. Antes de ter vindo para o Ocidente, porém, ela passou quatro anos, seus anos universitários, protestando publicamente contra as decisões do governo chinês. Ela liderava manifestações pacíficas em sua faculdade, exigindo que o governo adotasse uma linha mais forte contra o Japão. Quer você concorde ou não com as suas posições políticas, considere se você teria a coragem de protestar publicamente na China na década de 1930.

O que é realmente impressionante é o fato de que ela foi eleita para ser a líder do grupo de protesto porque seu trabalho acadêmico era tão extraordinário que seus colegas acreditavam que o governo nunca iria levantar um dedo contra ela. Ela era tão inteligente que lutou com a China e a China recuou. Quem poderia ser melhor do que ela? [io9, LA Times]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 4,00 de 5)

3 comentários

  • Adriano Souza:

    Agora sim a foto esta correta rs rs rs… parabéns pelo site.

  • Michel Kanemaru:

    Mae Jemison, deveria ser usado como exemplo para todas as mulheres, ter 10 doutorados e ser astronauta. É surpreendente!

  • Doris Giesse:

    nada como cientistas para uma bela defesa ou um ataque nanométricamente fulminante..kkkk

Deixe seu comentário!