10 fatos que os pais devem saber sobre o cérebro dos adolescentes

Por , em 3.09.2011

Eles são dramáticos, irracionais e fazem cena sem aparentemente nenhuma razão. Eles têm uma profunda necessidade de maior independência como preparação para a vida adulta, mas ainda precisam do carinho que recebiam quando eram crianças.

Após a infância, a mudança mais radical no cérebro dos humanos acontece justamente na adolescência. Seja você um adolescente, pai de um ou apenas alguém que é obrigado a conviver com eles, acompanhe 10 que deveria saber sobre o cérebro durante essa fase da vida:

1 – Período crítico de desenvolvimento

Vagamente definida como o período entre 11 a 19 anos, a adolescência é considerada um período crítico de desenvolvimento – e não apenas na aparência.

“O cérebro continua a mudar ao longo da vida, mas há grandes saltos no desenvolvimento durante a adolescência”, explica Sara Johnson.

E assim como um adolescente pode passar por um processo de crescimento desajeitado, ele pode também adquirir novas habilidades cognitivas e competências durante essa fase da vida, conta Sheryl Feinstein, autora da obra “Dentro do Cérebro Adolescente: Ser Pai é um Trabalho em Progresso”.

“Os pais devem entender que não importa quão alto o seu filho já está ou quão adulta sua filha se veste, eles ainda estão em período de desenvolvimento, que irá afetar o resto da sua vida”, ressalta Johnson.

2 – Cérebro ainda florescendo

Os cientistas costumavam pensar que apenas bebês possuíam uma superabundância de conexões neuronais, que são “podadas” em um arranjo mais eficiente ao longo dos três primeiros anos de vida.

No entanto, estudos de imagens cerebrais feitos nos últimos anos descobriram que uma segunda explosão de brotamento neuronal acontece logo antes da puberdade. O pico ocorre aos 11 anos para as meninas e aos 12 nos meninos.

As experiências de adolescentes – desde ler romances de vampiros até aprender a dirigir – moldam esta nova massa cinzenta, seguindo principalmente a estratégia de “use ou esqueça”, diz Johnson. A reorganização estrutural continua até os 25 anos de idade, apesar de pequenas mudanças permanecerem por toda a vida.

3 – Novas competências mentais

Devido ao aumento da massa cerebral, o cérebro adolescente se torna mais interligado e ganha poder de processamento, explica Johnson.

“Adolescentes começam a ter as habilidades computacionais e de tomada de decisão de um adulto, caso tenham determinado tempo e acesso à informação”, diz.

Porém, no calor do momento, suas decisões podem ser excessivamente influenciadas pela emoção, tendo em vista que seus cérebros confiam mais no sistema límbico (o banco emocional do cérebro) do que o córtex pré-frontal, mais racional, conta Feinstein.

“Esta dualidade de competência do adolescente pode ser muito confuso para os pais”, comenta Johnson. Isso significa que, por vezes, os adolescentes fazem coisas estranhas como socar a parede ou dirigir rápido demais, mas quando perguntados da razão, eles não conseguem achar motivos racionais para seus atos.

4 – Birras adolescentes

Adolescentes estão no meio da aquisição de novos conjuntos de habilidades incríveis, especialmente quando se trata de comportamento social e pensamento abstrato.

Entretanto, eles ainda não são bons em usar essas novas capacidades mentais. E quem acaba sendo os cobaias? Principalmente, os pais. Muitos adolescentes veem o conflito como um tipo de autoexpressão e podem ter dificuldade para se concentrar em uma ideia abstrata ou para compreender o ponto de vista dos outros.

Assim como quando se lida com as birras de primeira infância, os pais precisam se lembrar de que o comportamento teen “não é uma afronta pessoal”, aconselha Johnson.

“Eles estão lidando com uma enorme quantidade de informações sociais, emocionais e cognitivas, e têm habilidades subdesenvolvidas para lidar com isso. Eles precisam de seus pais – as pessoas com o cérebro adulto mais estável – para ajudá-los, mantendo a calma, ouvindo-os e sendo bons modelos”, acrescenta Feinstein.

5 – Emoções intensas

“A puberdade é o início de mudanças importantes no sistema límbico”, diz Johnson, referindo-se à parte do cérebro que não só ajuda a regular o ritmo cardíaco e os níveis de açúcar no sangue, mas também é fundamental para a formação de memórias e emoções.

Parte do sistema límbico, a amídala liga as informações sensoriais às respostas emocionais. O seu desenvolvimento, juntamente com as alterações hormonais, pode dar origem a novas experiências intensas de raiva, medo, agressividade (inclusive para si mesmo), excitação e atração sexual.

Ao longo da adolescência, o sistema límbico está sob maior controle do córtex pré-frontal, a área logo atrás da testa, associada com o planejamento, o controle de impulsos e o pensamento de ordem superior.

Enquanto outras áreas do cérebro começam a ajudar a processar a emoção, os adolescentes mais velhos ganham mais equilíbrio nesta área. Até lá, porém, muitas vezes eles são mal-interpretados por professores e pais, diz Feinstein.

“Você pode ter todo o cuidado possível e ainda assim causar choro ou raiva porque eles simplesmente interpretam mal o que você diz”, completa.

6 – O prazer de ter amigos

À medida que os adolescentes se tornam melhores no pensamento abstrato, sua ansiedade social aumenta, de acordo com pesquisas.

O raciocínio abstrato torna possível considerar as perspectivas a partir dos olhos do outro. Os adolescentes podem usar esta nova habilidade para especular sobre o que os outros estão pensando deles. Em particular, a aprovação dos amigos tem se mostrado altamente gratificante para o cérebro adolescente, conta Johnson, e pode ser a razão pela qual adolescentes são mais propensos a correr riscos quando outros adolescentes estão ao redor.

“Crianças realmente se importam com parecer ‘legais’, nem é preciso uma investigação sobre o cérebro para saber isso”, disse ela.

Amigos também fornecem aos adolescentes uma oportunidade para aprender habilidades como negociação de compromisso e planejamento em grupo. “Eles estão praticando habilidades sociais de adultos em um ambiente seguro, e realmente não são bons nisso no começo”, conta Feinstein. Assim, mesmo que tudo que eles façam seja conversar com seus amigos, os adolescentes estão trabalhando duro para adquirir habilidades importantes para a vida.

7 – A percepção de riscos

“Os freios são acionados um pouco mais tarde do que o acelerador do cérebro”, compara Johnson, referindo-se ao desenvolvimento do córtex pré-frontal e o sistema límbico, respectivamente.

Ou seja, “os adolescentes precisam de doses mais elevadas de risco para sentir a mesma quantidade de emoção dos adultos”, explica.

Juntas, essas alterações podem tornar os adolescentes vulneráveis ​​ao envolvimento em comportamentos de risco, tais como uso de drogas, envolvimento em brigas, etc. Ao final da adolescência, aproximadamente dos 17 anos em diante, a parte do cérebro responsável pelo controle dos impulsos e pela perspectiva de longo prazo ajuda os adolescentes a refletir melhor sobre alguns dos comportamentos que eles tiveram no meio da adolescência.

Então, o que um pai pode fazer? “Continuar sendo um pai para seu filho”, afirma Johnson. “Como todas as crianças, os adolescentes têm vulnerabilidades específicas de desenvolvimento e precisam que os pais limitem o seu comportamento”, acrescenta.

8 – A importância (ainda) grande dos pais

Segundo Feinstein, um levantamento com adolescentes revelou que 84% pensa muito em sua mãe e 89% em seu pai. E mais de três quartos das adolescentes gostam de passar tempo com seus pais: 79% curtem a presença da mãe e 76% gosta de se divertir com o pai.

Uma das tarefas da adolescência é a separação da família, o que cria uma certa autonomia, observa Feinstein, mas isso não significa que os adolescentes não precisam mais dos pais – mesmo que digam o contrário.

“Eles ainda necessitam de algum apoio e procuram seus pais para fornecer esse apoio”, explica. “Um pai que decide tratar o filho de 16 ou 17 anos como um adulto está se comportando de forma injusta e condenando-o ao fracasso na vida adulta”.

Uma das melhores maneiras de ser um bom pai para um adolescente, além de ser um bom ouvinte, é ser um bom modelo, especialmente ao lidar com o estresse e outras dificuldades da vida. Os adolescentes estão constantemente tentando descobrir como superar esses novos desafios, e observar os pais nessas situações é natural.

9 – A necessidade (ainda) grande de sono

É um mito que os adolescentes precisam de menos sono que as crianças. Ambos necessitam de 9 a 10 horas por noite, embora a maioria não atinja a marca desejada. Parte do problema é uma mudança no ritmo circadiano durante a adolescência. “Faz sentido para o corpo do adolescente levantar mais tarde e ficar acordado até mais tarde”, diz Johnson.

Porém, devido aos horários das aulas, muitos adolescentes acumulam o débito de sono e “tornam-se cada vez mais prejudicados cognitivamente”, comenta Johnson. A privação de sono só agrava o mau humor e atrapalha a tomada de decisão. Além disso, o sono auxilia na reorganização crítica do cérebro adolescente.

10 – “Eu sou o centro do universo – e este universo não é bom o suficiente!”

As alterações hormonais na puberdade têm enormes efeitos no cérebro, uma das quais é o estímulo à produção de mais receptores de ocitocina.

Enquanto a ocitocina é frequentemente descrita como o “hormônio do vínculo afetivo”, a maior sensibilidade aos seus efeitos no sistema límbico também tem sido associada à sensação de autoconsciência, fazendo com que um adolescente realmente pense que todos estão olhando para ele. Segundo pesquisadores, esses sentimentos atingem o pico em torno dos 15 anos de idade.

Embora isso possa fazer com que um adolescente pareça egocêntrico (e em sua defesa, eles têm que enfrentar muita coisa acontecendo ao mesmo tempo), as mudanças no cérebro adolescente podem igualmente impulsionar alguns dos esforços mais idealistas enfrentados pelos jovens ao longo da história.

“É a primeira vez que eles estão vendo a si mesmos no mundo”, diz Johnson. Seu sentido de maior autonomia abre os olhos para o que está além de suas famílias e da escola. “Eles estão se perguntando talvez pela primeira vez que tipo de pessoa querem ser e que tipo de lugar querem que o mundo seja”, acrescenta. [LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (10 votos, média: 3,80 de 5)

25 comentários

  • Elias Guimarães:

    achei otimo as esplicações, eu sei que fui adolescente um dia mas não sei como entender uma adolescente estou achando tudo muito dificil .

  • Anastancia Miguel:

    e importante percebermos o que rodeia os adolescentes, muita tecnologia, muita diversao ,as grande ofertas que o mercado de diversos produtos tem para um cerebro pequeno,muita das vezes sem o poder de compra….os que podem ficam confusos ,porque hoje tem o que acham da primeira linha , no dia seguinte o mercado tem um novo produto,aos os que nao podem cria uma revolta e perguntas sem respostas…no passado a 20 ou 30 anos as opcoes e ofertas eram poucas, e hoje?

  • Julyana Prado:

    Eu sofri bastante na minha adolescência rsrs é uma fase difícil mesmo, por isso não julgo…

  • Renan de Oliveira:

    Birras e Egocentrismo até o ponto que eles acham um ser que poe eles na linha O CHEFE

  • Mariana:

    Odeio fazer amizades com outros adolescentes. Eles só pensam no seu próprio mundo cor de rosa, ignorando todos os problemas ao seu redor. Inúteis.

  • Carol:

    É muito bom os pais entenderem isso o que passa por dentro de nós já que não vamos contar.Não vamos contar porque simplesmente queremos que eles vejam que precisamos deles, da atenção deles,por mais que tentamos nos esquivar desse carinho,desse amor,queremos ser notados.

  • Christhopher:

    Vejo tal situação de preocupação com o futuro da juventude e das ações da juventude como os entendimentos (do jovens para seus feitos e do adultos sem esperança nas ações da juventude) que fazem parte das soluções para os problemas vividos em sociedade.
    Enquanto os de vida nova estão aprendendo e vivendo suas primeiras ações neste mundo sobre uma perspectiva de serem guiados pela acontecimentos dos momentos históricos de seu presente, os de vida madura avaliam seus próprios esforços para melhorar os estados de vida, e assim não resistem a observar os mais novos aproveitando o que existe sem executar grandes esforços e os determinam por não os ajudar como querem e em que pode ser beneficio para os novos também.
    Portanto, um novo entendimento para os maduros pode ser necessário (como diz o artigo principal), pois algumas cobranças para quem esta aprendendo a viver e até o momento só aprendeu o básico da vida são exageradas, para cobrar enquanto adolescente como adolescente e enquanto adulto como adulto.
    Estão aprendendo em uma cultura não como serem como aquela cultura, mas para viverem isso sim. E serem como aquela cultura só se alguém ensinarem lhes e eles quiserem por assim acha melhor.
    E talvez os de vida madura possa continuar tentando ensinar os jovens a importância de se esforçarem para melhorar os estados de vida e os jovens ensinar para os de vida madura a importância de desfrutar do que já estar melhorado. É claro que já existi estes ensinamentos, mas precisam ser intensivamente melhorados. Alcançado melhores entendimentos para todos.

    O que mais posso “fala”? É que:
    Gostei do artigo e dos comentários, principalmente o do “RELAXE, POIS SEMPRE FOI ASSIM”, e esse tema de adolescência desperta atenção e é sobre uma interessante fase.
    Tchau.

  • Mario:

    antigamente não existia frescura com adolescente, hoje em dia é um não me toque, agora pra fazer o que não presta… ai pode.

  • Eu:

    Nós só não continuamos sendo “adolescentes” porque não nos deixam…

  • Maria Emilia:

    Não é fácil ser pai, mais é uma dádiva, considero o maior presente que tive de Deus, não existe
    receita, cada casal precisa encontrar o seu manual, até pq cada indivíduo é único, mais com amor, paciência, tranquilidade, harmonia, e principalmente equilibrio a gente consegue deixar para o mundo, jovens equilibrados e com valores, estão prontos, enfim tudo de bom é ter filhos, amei a materia.

    • Anastancia Miguel:

      meu filho tem 14 anos, noa foi facil lidar com esta mudanca,para mim tudo o que ele fasia estava erado , e quanto mais o cobrava mais asneiras fasia, ate que decidi o aceiatar como ele e ,tornei me amigo dele moderei a forma de o aboradar e passei a ser objectivo nas respostas dos pedidos que os faz,hoje digo e um menino amavel, por isso a mudanca deve comecar dos pais,as vezes somos levianos mas isso acontece pelo amor e protecao que queremos oferecer a eles…

  • Avelino da Silva Panimbo Avelino:

    E notorio que na faze de adolescencia muitas mudancas tem se verificado nos rapazers e raparigas contudo, o grande apelo que dou e que o acompanhamento dos pais tem sido o papel proininente noa acompanhameto de evolucao saudavel dos adolescentes.

  • Haha:

    Adolescentes não podem ser vistos como um grupo no geral. Cada um é diferente, isso que os adultos precisam entender. Eles não precisam de críticas, precisam de quem os ouça mesmo que eles digam que não precisa.

  • Flor de Lis:

    é meio como diz Bial na crônica Filtro Solar: “quando vc envelhecer irá fantasiar que as crianças respeitavam os mais velhos.” O discurso de que ‘antigamente’ era diferente é tão fajuto quanto uma nota de 3 reais.

  • marcos:

    11- que tem minhoca dentro…

  • Carina:

    Realmente…Muito boa a matéria…
    E com certeza, sou a prova viva de que
    a forma como os pais te tratam na adolescência,
    reflete na vida adulta.
    É bom que todos tenham consciência disso, para que
    possamos deixar melhores filhos para o mundo.

  • Cleber:

    Bom dia!!!

    Só 3 comentários…e 1 exemplo.
    _ 1- O que eu li, não faz sentido!!!
    _ 2-Estamos sendo manipulados com informações que não podemos comprovar a milhões de anos…
    _ 3-E nos colocamos a mercê de pseudocientistas e historiadores como se fosse unicientes…
    _ exemplo? Eles tem a teoria do big bang e evolucionismo como se fossem fato.Ensinam até nos livros! Mas não podem comprovar e até tem quem rebata com veemência cientificamente…

    • Ninguém:

      o seu comentário que não faz sentido! Eu tenho 15 anos e tem a ver comigo sim.
      E quanto a teoria do Big bang, é apenas uma teoria, o nome já diz, ela pode está certa ou não, mas a matéria não está falando sobre informações que recebemos e sim como funciona o cérebro dos adolescentes. E olha só, do mesmo jeito que ensinam a teoria do Big Bang, também falam do criacionismo, um exemplo é quando nascemos, já pensou na quantidade de pessoas que afirmam que deus existe? E vc é ou já foi influenciada por essa crença.

  • luiz carlos:

    Nao basta AMAR, tem que entender.

  • Vitor:

    Depois que crescem e caem no frio mundo de empregos, faculdades e decepções com outros é que vão ter conta do “mundo faz-de-contas ” , que a era digital estão fazendo com eles.

  • Kleber:

    Saiba disto: nos últimos dias sobrevirão tempos terríveis. Os homens serão egoístas, avarentos, presunçosos, arrogantes, blasfemos, desobedientes aos pais, ingratos, ímpios, sem amor pela família, irreconciliáveis, caluniadores, sem domínio próprio, cruéis, inimigos do bem, traidores, precipitados, soberbos, mais amantes dos prazeres do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando o seu poder. Afaste-se desses também.
    Bíblia Sagrada – Nova Versão Internacional 2 Timóteo: 1-5

    Comentário: Caro Lisandro, busque na história e veja se este padrão comoportamental da atual geração adolescente sempre foi o mesmo. Surpreso?!?!?! pois é, é só mais uma profecia a respeito dos sinais que precedem o fim deste mundo que está se cumprindo.

  • Pensador®:

    Tem muita titica de galinha no cérebro dos adolescentes.

    • Izabela:

      Poxa, sou adolescente. Fiquei mal. Não queria ser adolescente, por que muita gente acha que sou igual à todos os outros sem nem ao menos me conhecer.

  • fray:

    o autor esta falando a verdade e principalmente no caso deles quererem ser adultos mas nao podem porquê um lado deles ainda e aquela criança que um dia o pai e mae carrego no braço

  • Nick:

    Ótima a matéria :)!!! Sempre gostei dos trabalhos de Bruno Calzavara, mas esta se superou, principalmente por eu estar passando por esta fase xD… Todos os fatos são verdadeiros!

Deixe seu comentário!