10 fatos que vão mudar o que você pensa sobre animais

Talvez porque a gente tenha crescido assistindo a uma coleção de filmes e animações em que os animais são fofos, parceiros ou os grandes salvadores da pátria, acreditamos que eles são cheios de consciência e emoções humanas.

No grande entanto, essas histórias, por mais lindas e cheias de esperanças que sejam, não costumam ser verdadeiras. Não quero destruir nenhum conto de fadas que você tem aí na sua cabeça, mas chegou a hora de encarar a verdade nua e crua.

10. Seu cachorro não vai salvar você

10
Sabe aquela história de que a Lessie sacrificaria a própria vida para salvar a de seu dono, porque ela aprendeu a amá-lo mais do que tudo? Bobagem. De acordo com pesquisadores da Universidade de Western Ontario, a Lessie e tantos outros animais que protagonizam essas histórias miraculosas são exceção à regra (se é que eles existem). A maioria dos vira-latas não são inteligentes o suficiente para nos ajudar.

Pior ainda: alguns simplesmente não se importam. No primeiro de dois testes, 12 donos de cães levaram seus animais de estimação para passear em um campo aberto. Com a exceção de um estranho e uma câmera escondida, o campo estava vazio. Uma vez que os donos e seus animais chegavam a um local previamente combinado, o dono fingia um ataque cardíaco e caia no chão.

Bom, se você é uma pessoa que acredita em fantasias, pode esperar que o cachorro faça uma massagem cardíaca, ou vá buscar alguém pra salvar a vida de seu dono. Mas não foi nada disso que aconteceu. Os cães ficaram piscando, ou cutucando seus donos. E quando eles não responderam ao toque, ficaram de boa no campo. Como se nada tivesse acontecido. Apenas um dos cães, um poodle, correu para o estranho que estava em cena – mas só porque ele queria brincar.

Se você está se perguntando se a presença de um estranho pode ter confundido confundido os cães, ou se eles não entendem o conceito de um ataque cardíaco, os pesquisadores elaboraram um segundo teste.

Desta vez, os donos entraram num escritório, passando por alguém em uma recepção até chegarem em um quarto dos fundos, onde ficaram presos debaixo de uma estante caída. Eles suplicaram para seus cães correrem e trazerem ajuda. Mas, infelizmente, assim como no primeiro teste, os cães não responderam.

Talvez se tivessem sido treinados como cães de resgate teriam sabido o que fazer. Mas não foi caso.

9. Peixes que vivem em cardumes são animais traidores

9
Dois campistas estão passeando pela floresta quando se deparam com um urso irritado. O primeiro diz: “Estou feliz por estar usando meus tênis de corrida”. O segundo responde: “Você não pode correr mais que um urso!”. E o primeiro volta a dizer: “Eu não tenho que correr mais que o urso, eu só tenho que correr mais que você”!

A velha piada descreve um comportamento egoísta de sobrevivência passiva ou indireta, que é surpreendentemente comum no reino animal. Os cientistas têm visto muitas criaturas que tentam se esconder atrás de seus amigos quando predadores aparecem. No entanto, pesquisadores da Universidade de Salford Manchester, no Reino Unido, recentemente encontraram alguns animais um pouco mais diabólicos quando se trata de sobrevivência individual.

Em um estudo realizado com alguns cardumes, os biólogos descobriram que alguns peixes intencionalmente machucam seus amigos (para que eles fiquem para trás e sejam comidos) quando um predador faminto está em vista – seguindo a lógica da história do urso. Quem diria, não?

8. Antílopes machos manipulam psicologicamente as fêmeas

8
Em 2010, Jacob Bro-Jorgensen, da Universidade de Liverpool, Inglaterra, informou que, depois do acasalamento, antílopes femininos não queriam saber muito de papo. Mas se o macho quiser um pouco mais de ação, ele tem uma forma desonesta de enganar sua namorada e fazer com que ela fique ali à disposição por mais um tempo.

Os machos fazem toda uma encenação na frente da fêmea para ela achar que algum tipo de ameaça está próxima. Eles correm de um lado para o outro, levantam as orelhas e começam cheirar o local. E isso, em antílope, significa “PERIGO!”. A fêmea, que não é boba e não quer arriscar sua vida, entende. Isso dá motivos para ela ficar ali mais um pouco. Temos que admitir: inteligentes esses antílopes.

Mas por que eles fazem isso? É só de sacanagem? A resposta é sim. E não. Acontece que as fêmeas antílopes ficam a fim da coisa só uma vez no ano inteiro. E, nesse dia, ela viaja de lugar em lugar, para acasalar com cerca de quatro macho diferentes, em torno de 11 vezes com cada – tudo pelo bem da sobrevivência da espécie. Ou seja: a competição é muito difícil.

E é por isso que eles enganam as fêmeas para fazer com que elas fiquem mais tempo com eles dando a oportunidade de acasalar algumas vezes extras, criando uma vantagem sobre os outros caras da savana. É como dizem: no amor e na guerra, vale tudo.

7. Coalas transmitem DSTs (doenças sexualmente transmissíveis)


Enquanto podem parecer bonitinhos e fofinhos, dou a dica: você não vai querer ficar muito perto de coalas. Por um motivo muito simples: a maioria deles está infectada com clamídia. Até 90% dos coalas estão infectados com a DST em estado latente, que pode ser muito bem passada para seres humanos, onde a doença encontraria condições ideais para se desenvolver e atacar seu hospedeiro.

Os coalas podem carregar dois tipos de clamídia: Chlamydophila pecorum e chlamydia pneumoniae. Enquanto a pecorum só aparece em criaturas como coalas, búfalos, porcos e marsupiais, a pneumoniae não só pode se manifestar em humanos como pode fazer um estrago e tanto, provocando infecções respiratórias.

Mas o coala não passa a DST para os humanos da maneira que você está pensando. Os animais compartilham essa doenças conosco através da urina. Se você pegar um desses marsupiais infectados no colo, ele pode decidir se aliviar a qualquer momento e sua urina vai respingar por toda a parte.

6. Lagartas podem comer carne


Em vez de mastigar folhas como uma lagarta normal, uma larva de borboleta que vive em ilhas havaianas prefere comer carne, como moscas, baratas ou até mesmo outras lagartas. Esses membros do gênero Eupithecia passam seus dias ligados a galhos e folhas, à espera de algum inseto desavisado para abocanhar. Quando uma mosca pousa no corpo da larva, ela afunda suas patas dianteiras afiadas no corpo do inseto.

5. Suricatos são animais donos de escravos assassinos

5
Os suricatos são conhecidos por passearem com javalis, viverem em paraísos da selva e cantar “Hakuna Matata” sempre que podem. Certo? Seria ótimo, mas a natureza não é exatamente como um filme da Disney. Prova disso é que esses caricatos animais são na verdade monstros violentos que praticam infanticídio e forçam seus subordinados a fazerem o que mandam.

Um bando de suricatos geralmente é governado por um casal alfa, um macho e fêmea que exigem obediência total e punem os infratores com o exílio. Estes pequenos ditadores atribuem funções estritamente regulares, como quem pode acasalar com quem. Na maior parte dos casos, apenas o casal alfa pode procriar. Mas como às vezes a natureza fala mais alto, acontece de alguém quebrar essa regra e a coisa fica feia. Quando essa fêmea que não deveria procriar tem filhotes, a fêmea alfa mata cada um deles. E então a coitadinha recebe duas opções: a) ela pode criar os bebês da fêmea alfa, ou b) ela pode sair da colônia para sempre.

Normalmente, suricatos escolhem a opção A, tornando-se escravas babás.

Os poucos que não são banidos da multidão são obrigados a sobreviver por conta própria. Como você pode supor, a vida é muito difícil para um suricato solitário, de forma que a maioria das fêmeas expulsas do clã são rapidamente mortas por predadores. Aterrorizada, algumas realmente voltam para a colônia e imploram para serem aceitas de volta. Se for o caso, são escravizadas e forçadas a cuidar dos filhotes da rainha, um trabalho que consome todo o seu tempo e faz com que percam uma incrível quantidade de peso.
Cruel esse mundo animal.

  • 10 fatos surpreendentes sobre marsupiais australianos
  • 4. Cobras Mulga não têm o menor pudor em te morder enquanto você dorme

    4
    Via de regra, as cobras tem mais medo de nós do que nós delas. Elas só atacam quando se sentem ameaçadas e mais frequentemente escolhem por fugir de pessoas. Exceto a cobra Mulga. Esse pesadelo rastejante morde as pessoas enquanto elas estão dormindo. #golpebaixo

    Para ajudar, a Mulga é a maior cobra venenosa de terra da Austrália. Ainda que não seja tão mortal quanto, digamos, uma Taipan (a considerada a cobra mais venenosa do mundo), proporciona muito mais veneno do que a maioria de suas primas australianas.

    Em um estudo recente, os cientistas analisaram 27 casos de picadas de Mulga. Enquanto a maioria dos seres humanos agiu como verdadeiros idiotas tentando pegar as cobras e por isso foram mordidos, 10 ocorreram sem qualquer aviso ou ameaça envolvidos. E sete ocorreram quando as vítimas estavam em suas camas, cochilando. Os pesquisadores não estavam exatamente certos porque as cobras tinham como alvo humanos dormindo. Talvez elas originalmente estavam atrás de roedores e foram surpreendidas quando se depararam com uma pessoa (presa fácil). Ou, muito mais preocupante, talvez tivessem sido atraídas pelo calor do corpo do dorminhoco. Ou talvez perderam o gosto por ratos e querem algo um pouco mais carnudo. Durmam bem, australianos.

    3. Hipopótamos são carnívoros canibais

    Não bastassem ser assustadores por natureza (pelo menos pra mim), hipopótamos também comem uns aos outros.

    O chamado “hipocanibalismo” obviamente é um comportamento anormal para as criaturas geralmente vegetarianas, mas se eles estão estressados ​​devido à superlotação na região que habitam ou se estão sofrendo de deficiências nutricionais, não hesitarão em se alimentar de um parente falecido. Essa prática não é saudável, e alguns cientistas acreditam que contribuiu para um surto em 2004 que matou centenas de hipopótamos. Eles também comem outros animais além de seus parentes. Hipopótamos também são conhecidos por atacarem pessoas, matando até 2.900 por ano.

    2. Tartarugas marinhas podem te violentar

    2
    Durante a época de acasalamento, tartarugas marinhas do sexo masculino estão constantemente à procura de sua próxima conquista. Estes répteis sem casca, que podem pesar até 180 kg, abordam as fêmeas se aproximando por trás. Então eles agarram os ombros delas com as garras de suas nadadeiras e as travam com sua cauda, com a ajuda de uma outra garra. Ou seja: não têm como a fêmea escapar. Para piorar, em seguida, eles geralmente também puxam a companheira para o fundo do oceano e as seguram lá por horas (às vezes 12 ou mais).

    Isso é tudo muito legal quando a ação acontece entre tartarugas, se é que você me entende. Porque as coisas ficam muito mais perigosas (e humilhantes também) quando os répteis decidem que querem acasalar com seres humanos. Em 2007, o geneticista Brian Bowen estava coletando peixes na costa da Austrália quando uma pequena tartaruga de 100 kg tentou montar nele. Pode isso, Arnaldo?

    Bowen foi capaz de manter a criatura na baía, lutando contra mais três tentativas antes de a besta com o coração partido nadar para longe.

    1. Os elefantes podem acabar comendo você

    1
    Em 2011, nas Ilhas Sundarban de Bengala Ocidental, na Índia, uma comunidade estava sitiada. Enquanto os agricultores limpavam a terra para as culturas, eles tiveram que fugir de mais e mais elefantes. Muitas vezes, esses encontros se transformaram em massacres sangrentos onde os humanos foram esmagados como mosquitos.

    Muitos desses agricultores eram hindus e acreditavam que era errado matar os elefantes. No entanto, eles estavam dispostos a fazer uma exceção para uma fêmea particularmente assassina. Esta única elefante tinha tomado 17 vidas, e as autoridades da vida selvagem deram permissão para caçá-la.

    Depois de um tiro bem sucedido, as autoridades realizaram uma necropsia e, para o seu horror, descobriram que a elefanta tinha engolido uma de suas vítimas. Nem preciso falar que esse comportamento perturbador é extremamente raro, mas este não foi um incidente isolado.

    No passado, os cientistas testemunharam elefantes desenterrando e devorando restos humanos.

    Depois, há também o conto preocupante de Chang, o elefante asiático que vivia no Jardim Zoológico de Zurique. Chang tinha um temperamento muito violento, mas, apesar de seu mau comportamento, se tornou o favorito de Bertha Walt, uma visitante regular que sentiu uma conexão especial com a criatura. Bertha acreditava que todos os “animais eram mais amáveis do que as pessoas”, e quando ela descobriu a entrada para a gaiola de Chang, decidiu entrar sorrateiramente para ficar perto de seu “amigo”. Já viu tudo, né?

    Ela escolheu uma noite em que o zoológico estava vazio, e foi devorada. O elefante Chang não só comeu seu corpo, como mandou ver também em suas roupas, seus sapatos, e de sobremesa devorou a bolsa dela também.

    No entanto, o zoológico não sacrificou Chang. Sua vida foi salva graças aos protestos de sua guarda, Hans Reitmann. O problema é que Chang não era tão agradecido assim, e pouco depois assassinou Reitmann também.

    Bônus: crocodilos podem subir em árvores


    Aí sim fomos surpreendidos novamente!

    Uma vez que você entrar no território de um crocodilo, não há nenhum lugar para onde você possa correr, nenhum lugar onde você possa se esconder. Se ele quiser comer você, provavelmente vai conseguir. Simples assim.

    Na água, eles podem nadar até 32 km/h, e em terra, eles podem galopar a até 17 km/h para curtas distâncias. Claro, você pode conseguir correr mais que eles, mas não nunca cometa o erro de apelar para uma árvore. Crocodilos e jacarés são muito hábeis em subir troncos. Lá de cima, você não vai ter muito para onde ir, né?

    Répteis do México, Mississippi, Colômbia, Austrália e do Nilo foram todos encontrados descansando em galhos de árvores, às vezes até 5 metros de distância da margem do rio. Crocodilos bebês também têm sido encontrados pendurados em juncos enquanto os mais velhos já foram vistos a até 10 metros no ar. Os cientistas acreditam que eles estão lá provavelmente tomando sol ou, pior, tentando ter uma visão melhor de seus arredores.

    Mas o que é verdadeiramente assustador é que um grupo de cientistas na Austrália testemunhou um crocodilo tentando escalar uma cerca de arame.

    Não há como escapar. O crocodilo vai te pegar. [ListVerse]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Curta no Facebook:

7 respostas para “10 fatos que vão mudar o que você pensa sobre animais”

  1. Fantástico! Depois que eu soube da homossexualidade dos golfinhos e das formigas “traíras”, isso me prova que somos somente mais outra espécie de animal no planeta – ou seja, que não somos nada de especial, melhores ou piores que eles!

Deixe uma resposta