“Minhoca do inferno”: o organismo multicelular que vive mais profundamente na Terra

Por , em 2.06.2011

Se você for pescar e estiver pensando em usar a minhoca recém-descoberta Halicephalobus mephisto como isca, melhor trazer algo bem mais potente do que suas mãos para cavar um caminho até ela.

Você imagina o quão fundo minhocas podem ir? De acordo com um novo estudo, pelo menos 1,3 quilômetros abaixo da superfície da Terra. Essa é a profundidade na qual os cientistas descobriram a nova espécie, batizada em honra ao demônio Mefistófeles (aposto que a minhoca é mais inofensiva do que ele).

A minhoca é o organismo multicelular que vive mais profundamente já encontrado. Os pesquisadores procuram por vida subterrânea há 15 anos, concentrando-se nas minas ultraprofundas da África do Sul, que penetram mais de 3 quilômetros para o fundo da Terra.

Várias equipes de cientistas já descobriram que a vida tem raízes muito profundas, com organismos unicelulares encontrados quilômetros abaixo da superfície. Alguns são verdadeiramente extremos: um estudo de 2008 encontrou vida próspera 1,61 quilômetros abaixo do fundo do mar, sobrevivendo a temperaturas entre 60 e 110 graus Celsius.

Porém, ter encontrado o organismo multicelular, de 0,5 milímetros, é uma descoberta totalmente diferente. A minhoca vive em brechas de rochas cheias de líquido, onde se alimenta de bactérias.

É um organismo minúsculo simples, vivo e capaz de reprodução assexuada. Os pesquisadores conseguiram que a H. mephisto se reproduzisse em laboratório, e as espécies ainda estão se contorcendo felizes.

Os pesquisadores não encontraram nenhuma evidência da minhoca em águas superficiais ou solos, indicando que ela é nativa das rochas profundas. A análise química revelou que a água em que a H. mephisto vive tem pelo menos 2.900 anos, o que significa que ela está lá já faz um tempo.

Em experimentos de laboratório, os pesquisadores descobriram que a minhoca prefere comer apenas bactérias encontradas em rochas profundas, recusando opções mais terrestres como a bactéria E. coli.

A descoberta pode significar muitas coisas. Por um lado, pode incentivar cientistas a expandir a pesquisa pela vida na Terra. Existe muita vida abaixo dos nossos pés, como essa minhoca prova – o que mais pode estar embaixo da superfície da Terra?

A descoberta de vermes pluricelulares também abre possibilidade na busca por vida extraterrestre. Os cientistas assumem que toda a vida subterrânea em um planeta como Marte seria unicelular, mas a nova minhoca multicelular está aí para nos lembrar de que tudo é possível.[LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (6 votos, média: 4,33 de 5)

10 comentários

  • Paulo Kohara:

    Tremors, basta cavar no lugar errado. kkkkkkkk

  • Renato:

    espero que elas n sejam como os peixes e cresçam enquanto tem alimento a disposição O__O se n logo logo veremos vermos gigantes comendo as cidades =P vide Dune

  • ViCTl/\/H0VV:

    Mas e se ouvesse vida sobre nossos pés?
    Debaixo da terra…
    Será que mudaria nosso estilo de vida?
    Improvavel,mas não impossivel…

  • Érico Polo:

    Minhocas são anelídeos, protostômios CELOMADOS e, mais especificamente, clitelados, classe ou subfilo que tem como principal característica o comportamento reprodutivo bastante elaborado e SEXUAL (apesar de se reproduzirem assexuadamente, também). Por esta última característica, o fato do texto dizer que a tal “minhoca infernal” se reproduz assexuadamente me levou a investigar a fonte (além da foto, é claro, mas que nem sempre corresponde ao assunto do texto nas matérias aqui do site).

    O animal descrito é, na realidade, um nematoide, verme pertencente a outro filo de protostômios, BLASTOCELOMADO, os quais, exceto pelo corpo alongado no eixo antero-posterior, nada têm a ver com os anelídeos.

    Trocando em miúdos, infernal ou não, o bicho definitivamente não é uma minhoca.

  • Jadson:

    Olha, não sou um pescador assíduo, mas nunca ouvi algum conhecido meu que também pesque que cavou o chão com as mãos para pegar minhocas… O cara que faz isso deve ter parentesco com tatus.

  • CristianoR:

    acho que se ela cavar mais vai sair lá no Japão…hehehe

  • EltonPaes:

    Hmm… Sei não, em outro lugar vi esta mesma reportagem, mas na mesma as minhocas poderiam segundo eles viver até uma profundidade de 3,6 km da superfície.
    Hm’ Tem que ver isso ae ‘-‘

  • ViCTl/\/H0VV:

    Viajei legal =P!

  • ViCTl/\/H0VV:

    Legal, o que será que nos aguarda,uma outra civilização superevoluida com armas que matam humanos em 1 sec com metralhadoras que atiram raios lazers que explodem qqr coisa?Que tem aviões super-hiper-mega-blaster sonicos????
    Agora falando sério sera que pode haver mamiferos lá,debaixo da terra ,seria algo improvavel?Ou não?

    • Cesar:

      Improvável. Quanto maior o animal, mais alimento ele tem que comer. Na profundidade em que a minhoca se encontra, ela é o maior bicho, e tem só meio milímetro, além de se alimentar de bactérias. Para haver uma cavidade com um animal do tamanho de um leão, por exemplo, e este animal ser carnívoro, ele teria que ter à sua disposição comida equivalente ao que um leão come, ou seja, um herbívoro ou animal comedor de fungos e bactérias. E muitos mais animais do que um leão. Estes muitos animais teriam que se alimentar de uma quantidade enorme de fungos ou bactérias.

      Percebe que quando temos um ecossistema complexo, quanto maior o animal no topo da cadeia, maior a quantidade de seres nos elos inferiores teremos que ter? Fica cada vez mais difícil encontrar um ecossistema com animais maiores. Não é impossível, mas é muito difícil.

Deixe seu comentário!