10 vidas salvas por bebidas alcoólicas

Por , em 25.08.2013

Nós sempre ouvimos histórias tristes de como o álcool arruina a vida das pessoas. No entanto, em raras ocasiões, a vida das pessoas são salvas pelo álcool. Conheça 10 histórias de pessoas, em todo o mundo, que tiveram a bebida alcoólica como salvação e uma menção honrosa do que fazer para salvar uma pessoa que ingeriu o perigoso metanol.

10. Vinho é usado para combater incêdios

10
Em 2007, uma série de incêndios devastadores atingiu o sul da Grécia, matando mais de 60 pessoas e deixando centenas de desabrigadas. Quando o fogo ameaçou a casa de um agricultor, ele lutou com uma arma improvável: o vinho. Após encher com 300 litros de vinho caseiro uma bomba utilizada para fertilizar a terra, George Dimopoulos passou mais de 17 horas no combate ao incêndio pulverizando sua casa inteira (a fim de torná-la menos inflamável), até que o fogo se apagou.

Quando perguntado por que ele simplesmente não foi embora, George disse que ficar foi a opção mais segura, já que vários vizinhos haviam morrido ao tentar fugir. Quanto ao porquê de George não usar água, ele explicou que as bombas que extraíam água de poços próximos estavam desligadas desde que o fornecimento de energia tinha sido interrompido, tornando-as inúteis.

9. Uísque restaura a visão para cegos

9
Após desfrutar de uma bebedeira de quatro horas, Denis Duthie foi para a cama. Mas quando acordou na manhã seguinte, estava cego. No hospital, ele foi informado de que a bebida tinha reagido com os vários medicamentos que ele estava tomando para a sua diabetes, criando formaldeído. Normalmente, este problema é tratado com uma dose de etanol, porém o hospital estava com pouca reserva. Em um momento de brilhantismo, a equipe decidiu enviar um membro do grupo para uma loja de bebidas nas redondezas para comprar uma garrafa de uísque Johnnie Walker Blue. Cinco dias depois, a visão do paciente foi restaurada, e ele imediatamente prometeu cortar o consumo de álcool.

8. Cerveja salva primeiro-ministro britânico

8
O ex-primeiro-ministro da Grã-Bretanha, Alec Douglas-Home, nunca foi muito popular entre os esquerdistas do país. Em 1964, alguns estudantes da Universidade de Aberdeen, Escócia, decidiram sequestrá-lo. Depois de localizar a casa onde o político estava hospedado durante sua visita ao país, os alunos entraram em ação. Eles bateram na porta e calmamente perguntaram ao primeiro-ministro se ele não se importaria de ser sequestrado naquele momento, se não fosse muito incômodo (lembre-se, eles eram britânicos).

Incapaz de resistir a uma oferta tão educada, Douglas-Home pediu alguns minutos para fazer as malas, durante os quais ele ofereceu aos seus novos sequestradores uma cervejinha. Eles aceitaram e acabaram abandonando o plano em favor de ficar bêbados e posar para fotos com o primeiro-ministro.

7. Tequila salva garoto

7
Enquanto estava em seu caminho para a escola, Evan Hamilton, de 13 anos de idade, foi desafiado por seus colegas a beber oito doses de tequila em sequência. Todos acharam uma ótima ideia porque, momentos depois, ele estava virando a bebida com todo o gosto que você esperaria de um adolescente.

Ele desmaiou na sala de aula horas depois. Evan foi levado às pressas para o hospital com intoxicação por álcool e, durante uma tomografia computadorizada de rotina, os médicos descobriram um pequeno tumor no seu cérebro. Felizmente, o garoto escolheu a semana certa para beber até desmaiar: o tumor foi imediatamente removido antes de se tornar fatal.

6. Uísque salva sobrevivente do Titanic

6
Caso você não tenha acompanhado o noticiário ultimamente, o navio RMS Titanic afundou no Oceano Atlântico depois de bater em um iceberg (em 1912). Dos 2.435 passageiros e tripulantes a bordo, apenas 705 sobreviveram. Uma dessas pessoas foi Charles Joughin, um chef de cozinha.

Na noite do acidente, ele ordenou que seus companheiros de tripulação distribuíssem alimentos e suprimentos para as mulheres e crianças nos botes salva-vidas. Depois disso, ele se recolheu para a sua cabine e bebeu vários copos de uísque. O navio afundou e Joughin se viu pisando na água gelada. Felizmente para ele, o álcool em seu sangue foi capaz de mantê-lo se sentindo quente durante várias horas até que ele foi encontrado e resgatado em um bote salva-vidas.

5. Médicos usam o álcool para reanimar coração

5
Em 2007, um homem idoso britânico chamado Ronald Alsom foi diagnosticado com taquitardia ventricular, uma forma rara de arritmia cardíaca. Embora essa condição seja normalmente tratada com mediamentos ou desfibrilação, estes métodos não tiveram sucesso.

Felizmente, porém, os médicos bolaram um plano engenhoso: usando um catéter, eles injetaram no coração de Alsom uma pequena quantidade de etanol, a fim de desencadear um ataque cardíaco e fazer com que a área do músculo cardíaco responsável pela arritmia morresse. Este tratamento inovador foi bem sucedido e Alsom viveu para contar história.

4. Cerveja protege homem de avalanche

4
Ao dirigir ao longo de uma estrada nas montanhas de Tatra, na Eslováquia, o carro de Richard Kral foi soterrado por uma avalanche. Sua tentativa de fuga inicial envolvia quebrar as janelas do carro e escavar a neve até alcançar a superfície. No entanto, ele logo percebeu que a neve inundaria o automóvel antes que ele pudesse se mover um centímetro sequer.

Kral tentou outro plano. Ele dirigia com várias dezenas de latas de cerveja como companhia, por isso resolveu beber todas e urinar na neve do lado de fora de sua janela. Depois de vários dias, ele derreteu o suficiente para escavar sem ser engolido pela neve. Kral acabou sendo descoberto por equipes de resgate quatro dias depois, com os rins doloridos e possivelmente a pior ressaca da história.

3. Detenção por estar bêbado salva homem de erupção vulcânica

3
No longínquo ano de 1902, a pequena ilha caribenha de Martinica foi devastada pela erupção de seu vulcão, o Monte Pelée. Estima-se que milhares de pessoas foram mortas, e apenas três sobreviventes foram relatados, entre eles um homem chamado Louis-Auguste Sylbaris. No dia da erupção, Sylbaris foi preso pela polícia por embriaguez e desordem em público, um crime pelo qual ele tinha sido jogado na cela solitária.

Era uma câmara de pedra, paticamente debaixo da terra, sem janelas e apenas com uma única fenda na porta para comida, ar e luz. No dia seguinte, o vulcão entrou em erupção, com a cela de Sylbaris em seu caminho. No entanto, a construção sólida da prisão garantiu a sobrevivência de Sylbaris, embora não o tivesse protegido de quimaduras horríveis causadas por rajadas de ar escaldante. Ele foi encontrado quatro dias depois da tragédia e perdoado por seus crimes de bêbado.

2. Vodca ajuda homem a sobreviver a duas quedas mortais

2
Alexei Roskov estava desfrutando um belo drinque quando acidentalmente caiu da sacada de seu apartamento no quinto andar do prédio. Normalmente, esta história teria um final trágico. Entretanto, ele sobreviveu com apenas um arranhão, uma vez que o álcool relaxa e solta os músculos, tornado mais fácil para o corpo suportar o impacto da queda.

Depois de subir as escadas para casa, ele foi confrontado por sua esposa, compreensivelmente chateada. Cansado de ouvir sobre a incômoda preocupação da esposa pelo seu bem-estar, o homem pulou (e sobreviveu) novamente.

1. Vodca é usada para curar intoxicação por anticongelante

1
Em 2007, um turista italiano visitando a Austrália foi internado depois de sua tentativa de suicídio por ingestão de um composto químico anticongelante, frequentemente adicionado à gasolina ou ao diesel para evitar sua solidificação no inverno e em lugares de clima frio.

A cura do paciente poderia ser alcançada simplesmente administrando uma grande quantidade de álcool medicinal. Infelizmente, o hospital não possuía o material no estoque aquele dia. A solução? Comprar uma caixa de vodca e canalizá-la no estômago do homem. Durante o tratamento de três dias, o paciente recebeu o equivalente a três doses de vodca por hora: ou seja, mais de 200 no total. E sobreviveu graças a elas.

Menção honrosa

Não se trata de um caso em especial, mas uma prática que já virou rotina. Quando ocorre o envenenamento por metanol (o álcool combustível) ou algum aditivo venenoso, no caso de pessoas que tentam se embebedar com “álcool” do posto de gasolina (sim, infelizmente existem casos como esse), o álcool etílico é utilizado como antídoto.

O mecanismo funciona graças à enzima desidrogenase alcoólica. Esta enzima transforma o metanol em formaldeído, mas também atua sobre o etanol – o álcool das bebidas –, transformando-o em acetaldeído. A desidrogenase alcoólica tem maior preferência pelo etanol.
Portanto, quando alguma pessoa já ingeriu o metanol, é administrada uma quantidade de etanol justamente para que grande parte desse metanol não seja transformada em toxina para o organismo humano.

Nessas situações, o paciente, em vez de sofrer as consequências às vezes letais do metanol no corpo, que vão da irritação nas mucosas à cegueira (que pode ser permanente), sentirá apenas as consequências usuais das bebidas alcoólicas. [Listverse]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

4 comentários

  • Genioso Irreligioso:

    “10 vidas salvas por bebidas alcoólicas ”

    Um colega meu de trabalho; alcoólatra; passou no boteco 7:50 da manhã pra tomar uma dose; acabou enchendo a caveira; ficou ruim e voltou pra casa.

    Pra felicidade e espanto dele; ao chegar no trabalho no dia seguinte; viu a loja fechada e o aviso de “luto” no portão: o caminhão em que ele sairia como ajudante de entrega capotou descendo a serra sentido Mogi-Bertioga… todos morreram! ;(

  • Marcos Garcia:

    Não sei se é fato ou apenas rumor, mas ouvi certa vez que Devair Ferreira, que foi a pessoa que mais foi exposta ao acidente de Césio em Goiânia, somente sobreviveu ao acidente por ser alcoólatra. Infelizmente ele morreu alguns anos depois, talvés complicação de uma cirrose.

  • Kelcey Melo:

    uAHAUhuahAAUHA

  • sergio_panceri:

    hahah, muito bom!

Deixe seu comentário!