Pessoas que bebem mais álcool possuem vida mais longa

Por , em 8.09.2010

O título pode não fazer sentido, mas é isso que mostram várias pesquisas consecutivas: pessoas que bebem álcool vivem mais do que as abstêmias.

Mas como e por que ingerir uma toxina que faz mal ao nosso organismo (especialmente para o fígado) e aumenta as chances de desenvolvermos um câncer nos faz viver mais?

Um estudo que analisou 1824 pessoas com idades entre 55 e 65 anos mostrou que pessoas que não bebem têm maiores chances de morrer (isso inclui até pessoas que estão se recuperando do alcoolismo e precisam parar de beber).69% dos participantes abstêmios morreram depois de 20 anos da primeira entrevista do estudo. Já entre os consumidores moderados de álcool a taxa caiu para 41%. E os que bebiam de forma pesada, acredite ou não, também viveram mais do que os abstêmios, com uma taxa de 61% de mortes após 20 anos.

Em outras palavras, estranhamente, beber muito faz com que você viva mais do que aquelas pessoas que não bebem nada.

Mas não podemos ser tão reducionistas a ponto de achar que isso é uma simples relação de causa e efeito. Pessoas que bebem fazem isso para aliviar o stress, muitas vezes – sabemos que o stress pode causar doenças e uma substância que possa interromper momentaneamente essa sensação incômoda pode trazer grande alívio para o organismo, que para de trabalhar sob pressão.

Na nossa cultura, bebemos (na maioria das vezes) quando estamos sendo sociáveis, em ocasiões em que estamos em contato com outras pessoas. O álcool ajuda a apagar nossas ansiedades sociais e nos trazer para mais perto de outras pessoas. E o que isso tem a ver com longevidade? Foi provado que pessoas solitárias vivem menos.

Então pode ser que não seja o álcool em si que aumente nossos anos de vida e sim as ocasiões e situações nas quais ele esteja envolvido. E, de qualquer forma, vale lembrar que as pessoas que bebem moderadamente tiveram a maior expectativa de vida – então não apele para altas doses de vodka em cada refeição esperando viver mais. [Gizmodo]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 3,00 de 5)

29 comentários

  • aguiarubra:

    P.: “…E os que bebiam de forma pesada, acredite ou não, também viveram mais do que os abstêmios, com uma taxa de 61% de mortes após 20 anos.

    Em outras palavras, estranhamente, beber muito faz com que você viva mais do que aquelas pessoas que não bebem nada…”

    Comentário: depois dessa pesquisa muito “científica”, vou ter que concordar com a Elza Soares que, no sambinha “EU BEBO SIM”, canta que “…Água faz mal à saúde…”!!!

    EU BEBO SIM
    com Elza Soares

    Eu bebo sim Eu tô vivendo
    Tem gente que não bebe
    E tá morrendo

    Eu bebo sim Eu tô vivendo
    Tem gente que não bebe
    E tá morrendo

    Tem gente que já tá com o pé na cova
    Não bebeu e isso prova
    Que a bebida não faz mal
    Um pro santo, desce o choro, a saideira
    Desce toda a prateleira
    Diz que a vida tá legal

    Eu bebo sim Eu tô vivendo
    Tem gente que não bebe
    E tá morrendo

    Eu bebo sim Eu tô vivendo
    Tem gente que não bebe
    E tá morrendo

    Tem gente que detesta um pileque
    Diz que é coisa de moleque
    Cafajeste ou coisa assim

    Mas essa gente
    Quando tá com a cara cheia
    Vira chave de cadeia
    Esvazia o botequim

    Eu bebo sim Eu tô vivendo
    Tem gente que não bebe
    E tá morrendo

    Eu bebo sim Eu tô vivendo
    Tem gente que não bebe
    E tá morrendo

    Bebida não faz mal a ninguém
    Água faz mal à saúde

    • aguiarubra:

      Elza Soares devia se lembrar de seu marido, o Garrincha, quando cantava este samba.

      A cachaça matou Mané Garrincha aos 49 anos, de cirrose hepática!!!

  • Hercules Lima:

    Totalmente contrditório. Será que essa pesquisa foi encomendada por quem? Pelas grande companhias de bebidas? Que tipo de morte foi pesquisada? Que teores de álcool foram verificados? Qual o perfil das pessoas pesquisadas? Sabemos que o norte-americanos tem hábitos diferentes de outros países e climas e nutrição diferentes também. Tudo isso pode influenciar nos resultados de uma pesquisa… Quanto à solidão, se fosse verdade o que diz a pesquisa, os ermitãos, eremitas ou anciões que vivem há mais de cem anos isolados em montanhas ou florestas e sem consumir álcool não deveriam existir. E aí?

    • aguiarubra:

      Hercules Lima

      Percebe-se, claramente, que há conflito entre “verdade x ciência” nesse tipo de conclusão que desafia o bom senso.

      Imaginar que alcoólatras inveterados (aqueles que cabem nesta frase do artigo: “…beber muito faz com que você viva mais do que aquelas pessoas que não bebem nada…”) sejam mais sadios pois bebem “…para aliviar o stress…” (estressando os demais), apagando “…ansiedades sociais…” (ignorando a estatísticas policiais?????) e “…nos trazer para mais perto de outras pessoas…” (afastando familiares e trazendo para mais perto os psiquiatras e atendentes de sanatórios de desintoxicação alcoólica)…imaginar que isso é uma boa receita para a vida moderna é “longevidade” somente para empresas de bebidas e/ou a rede farmacêutica que produz “panacéias” variadas para quem adquiriu cirrose hepática de longa data.

  • Gilmar:

    Pesquisa interessante, com opiniões polêmicas.
    Parabéns pela postagem Luciana!

    – Considero mais um estudo mal conduzido, induzido maliciosamente e mal interpretado pelas pessoas em geral.

    – Não me refiro à Luciana Galastri, que fez a postagem muito útil e nos trouxe a oportunidade do debate e da discussão saudável.

    Me refiro às “segundas intenções” que estão por detrás de estudos desse tipo e desse nível!

    Nossas mentes, a da maioria, é e está cada vez mais sugestionável e influenciada pelas “descargas” que a Mídia (sombia) despejam sobre nossas cabeças diariamente.

    Principalmente nas dos mais jovens e dos que tem menos experiências de vida! – Não confundam com grau e nível de consciência, que é outro papo.

    As pessoas com menos tempo de vida, ou que ainda não desenvolveram capacidade suficiente para distinguir e detectar as “segundas intenções” nos estudos e pesquisas desse tipo, que povoam e entopem nossas cabeças desde a mais tenra idade (infância mesmo), tais pessoas com a mente em formação, que se parecem mais com um livro de páginas em branco, ainda não são capazes de ver a maldade e a malícia nestas informações.

    Desde cedo nós vamos sendo condicionados a “vermos e ouvirmos” somente o que “as propagandas” virtuais e “HUMANAS” nos passam, repassam, nos preparam e nos incitam a distribuírmos das formas mais distintas e variadas possíveis.

    Como os mais jovens “ainda” não desenvolveram o discernimento e “ler nas entrelinhas”, as mensagens cheias de más intenções (As subliminares) passam totalmente desapercebidas e, portanto, não são questionadas e por isso absorvidas sem resistência alguma.

    Criou-se um determinado padrão mental, social, intelectual e espiritual em nossas sociedades, onde aceita-se quase tudo que nos chegam do falso e estupidamente chamado “primeiro mundo”, onde cremos e aceitamos sem uma avaliação mais profunda e criteriosa, quase todos os tipos de pesquisas, estudos, investigações, descobertas e “novidades prazerosas”, de todos os tipos e naipes!

    Ora, o que isso senão uma “espécie” de “ataque terrorista” contra o bom senso, a liberdade de escolha e uma agressão aos padrões culturais de toda uma nação?

    Se numa pesquisa dizem que comer carne vermelha faz bem e vive-se mais e melhor, milhões passam a consumir mais e atém além do que era o seu padrão.

    Se dizem que “beber algumas doses” faz bem, e que até mesmo quem bebe mais, vive mais e é mais feliz, milhões passam a acreditar e a consumirem mais.

    Poderia dar dezenas de outros exemplos desse tipo, mas não é preciso.
    A maioria sabe e percebe isso!

    Mas algo precisa ser dito e escancarado para todos: “Estão trabalhando maliciosamente e cada vez com mais eficiência e destreza, o embrutecimento e o condicionamento de nossas mentes!”

    Isso vai nos tornando cada vez mais obtusos, tacanhos e idiotas.
    É tudo que “eles” querem!
    – Que sejamos “obedientes” aos seus comandos e orientações”!
    – Que sejamos submissos e não resistamos às suas induções e manipulações!

    Noutras palavras, que sejamos “bons marionetes” e sigamos e façamos tudo o que “eles” mandarem!

    Portanto pessoal, “abram os olhos” com as propagandas, os anúncios, estudos e pesquisas como esta!!!

    Obrigado Luciana!

    “Quando formos ver, já será “sexta-feira”!

    • Carlos Vieira:

      Concordo plenamente, um povo que é induzido a ter como herói um Neymar, a cantar tchu tcha e trocar a namorada por uma lata de cerveja … com certeza é uma excelente massa de manobra extremamente manipulável.

  • Everton Carlos da Costa Cardoso:

    Assino embaixo do que a Fernanda escreveu. Também concordo plenamente com a opinião de Rodrigo M.

  • Fernanda:

    Essa matéria só me fez acreditar mais ainda na incosistência de pesquisas científicas. Beber ou não beber? Eis a questão! O que mais me chamou a atenção não foi o tema desse artigo, mas em uma certa parte do texto dizerem que uma pessoa solitária vive menos. Não seria tão estranho eu ler isso se há algum tempo não tivesse lido em outro artigo científico que, segundo pesquisas, pessoas solitárias e introvertidas vivem mais que as pessoas sociáveis e festeiras, já que não se arriscam tanto. Até quando cientistas vão querer desvendar enigmas que não se aplicam a quase 7 bilhões de pessoas? Cada caso é um caso, e digo uma coisa: viva do jeito que achar melhor. A vida é uma só e cada uma tem a sua.

  • Carlos Bayma:

    Isso é colóquio para acalentar bovino (conversa pra boi dormir). Essa é desculpa dos pinguços, inclusive a dos pesquisadores pinguços.

  • bernardo:

    Marcelo L

    De fato vc tem razoes pra fugir do alcool e falar mal de quem bebe, ja q passou anos numa maré de fracasso pois nao conseguiu controlar seu vicio e provavelmente arruinou sua vida. Porém no caso o problema nao era o alcool e sim vc, diz q as pessoas que bebem se escondem e vc o q faz agora, se esconde por tras de sua doutrina espirita ou em quaisquer outras coisas a que se apega.

  • Genivaldo:

    Os papudinhos são as provas que o álcool não mata e sim leva para o cemitério rapido.

  • Julinho (Promoter&Empresário):

    Essa é boa em Bione !!!!

    Vamos beber sempre e com muita dedicação, e ainda mais na fase que se encontra o nosso Corinthias !!!!!

    Rumo ao titulo Brasileiro de 2010 e muito drink !!!

  • Rodrigo M.:

    MARCELO L,

    Li todo o seu comentário e tenho certeza que você tem bons fundamentos para tudo que está afirmando. Não discordaria do conteúdo em si, mas talves da intensidade e da inflexibilidade. Não vou levantar bandeira a favor ou contra o consumo de bebidas alcoólicas, mas vejamos uma frase do seu comentário:

    “Quem bebe está fugindo de si mesmo, de sua realidade. É um fraco que não suporta as dificuldades que vida lhe impõe; a relação com a próximo etc”

    Você realmente acha que isso pode ser uma regra geral? Claro, diariamente lidamos com pessoas para quem isso se aplica perfeitamente, mas todos? Penso, por exemplo, naquelas pessoas que não bebem rotineiramente (nos happy-hours ou vendo um jogo de futebol), mas apenas em momentos especiais, como festas ou outras celebrações e nestes casos me parece que a bebida estaria (quase sempre) estritamente relacionada àquele momento de bem-estar, já que nas situações cotidianas (de pressões e dificuldades) a bebida não aparece. Todos podem sim ter momentos de alegria sem o álcool, mas não acho condenável que o álcool seja um componente de um momento agradável como um todo.

    Acho fantástico o que você fez para mudar a sua vida. Seria injusto deixar de reconhecer a sua determinação e a sua vitória, mas é bom lembrar que é uma vitória particular e considera a sua vida, a sua realidade.

    Minha intenção não é polemizar nem (absolutamente) dar lição de moral em ninguém, justamente porque não acredito em “verdades absolutas”. Exatamente por isso acho saudável o debate e o exercício da reflexão.

    Abraço!

    Rodrigo

  • jwilber:

    Ou Seja Beba Moderadamente sem se entorpecer ! ! !

  • Marcelo L:

    Conclusão: NÃO BEBER é a melhor opção. Quem acha que o texto aprova o consumo de bebida alcóolica NÃO ENTENDEU o que leu.

    Pra esses, uma dica: existem CENTENAS de maneiras de aliviar o stress sem destruir a saúde. Ninguém consegue boa saúde sem uma mente equilibrada.

    Quem bebe está fugindo de si mesmo, de sua realidade. É um fraco que não suporta as dificuldades que vida lhe impõe; a relação com a próximo etc.

    Quem enfrenta tudo de cabeça limpa consegue meios de superar os problemas com muito mais facilidade e isso influenciará na saúde positivamente. Ao contrário dos que bebem, que ganham somente uma FALSA ideia de relaxamento, já que as dificuldades continuam.

    E quem vier com a já batida conversa “eu bebo para me divertir não para fugir da realidade”, que fique 15 dias fazendo as mesmas coisas sem beber e encontrará o motivo que o leva a beber. 100% dos casos a pessoa não suporta algo em sua vida de relação e prefere acreditar nessa mentira sem fundamento de que está bebendo só para se divertir. A verdade é que ela não consegue se divertir porque tem problemas, conflitos, então bebe para esquecê-los… Mas é tudo ilusão! Agindo assim está colocando uma mascara nos conflitos que carrega, mas um dia terá que enfrentá-los e quando ele chegar ela não terá estrutura psicológica para lidar com eles, já que preferiu fugir a vida toda de algo que sempre esteve dentro de si, cobrando uma solução saudável e positiva… Acha que é feliz bebendo? Então tá. Mas anota aí: as dificuldades crescem a cada gole de álcool. Você vive uma ilusão. Mas a vida não é uma ilusão. É uma realidade. Cedo ou tarde terá que lidar com ela de cara limpa.

    Se interessa pra alguém: usei álcool e drogas durante oito anos (dos 14 aos 22), hoje com 35, 13 anos sem consumir absolutamente nada que me tire do estado normal, posso afirmar que adquiri forças internas que jamais conseguiria bebendo. Continuo curtindo a vida, ouvindo muito rock n’ roll, estudando Kardec (sou espírita), sou casado há mais de 10 anos com a mesma mulher e tenho um filho perfeito de 7 anos. Minha saúde? Não sei o que é um resfriado há anos.

  • ivone:

    pessoas que gozam de perfeita saude e bebem moderadamente,para ter o prazer da companhia dos amigos, colegas, familiares e da pessoa amada podem não ter muitos prejuizos com o uso da bebida alcoolica. Aqueles,porem, que bebem descontroladamente e não são saudaveis (hipertensos, depressivos, diabeticos,etc.),os que fazem uso de medicamentos que interagem com o alcool, sobretudo os de uso controlado, serão muito prejudicados. Ainda há os que dirigem embriagados e aqueles que bebem para esquecer os problemas,pois os mesmos continuarão apos a bebedeira, caso não sejam resolvidos.

  • Farofa:

    excelente noticia para se ler numa sexta feira

  • Hedeson:

    Hehehehe, vou viver mais que Matusalém. 🙂 🙂 🙂

  • Rita B.:

    Apesar de não acreditar muito nesta pesquisa, um tio meu viveu até os 80 anos e era alcoolico. Morreu de cirrose.
    Os alcoolicos atualmente morrem e matam mais em acidentes de carro.

  • Elizabeth:

    É temeroso afirmar isso, já que o álccol pode nào ser o responsável pela vida mais longa.
    Por outro lado, em outra matéria publicada por vocês lê-se:
    “o álcool aumenta o colesterol bom, previne entupimento das artérias e, conseqüentemente, problemas cardíacos. Ou seja, bebidas consumidas com muita moderação fazem bem para a saúde.”

  • José Calasans:

    Bebo nos finais de semana e ha muito tempo,levo uma vida normal, porém, conheço pessoas q/ não bebem nada de bebida alcoolica e tem problemas de pressão alta, diabéts etc…

  • Jocafe:

    Acredito que tudo que façamos com prazer e sem exageros nos traz benefícios tanto físicos como psiquicos.
    O álcool consumido com moderação só pode fazer bem pois nos dá prazer, assim como um bom prato ou uma bela transa.
    São as coisas que justificam a nossa vida.

  • Sheik Ghalib:

    A pesquisa deve ter sido financiada por algum fabricante de bebida álcóolica. Aí pegaram um grupo com pessoas que bebiam álcool e o outro grupo eram usuários que não bebiam álcool, mas usam drogas mais pesadas como crack. Pronto o álcool ia vencer.
    E outra coisa a pesquisa tbem não fala de quem tinha mais qualidade de vida, do que morreram os abstêmios, como era a alimentação, atividades físicas. Sem saber detalhes da pesquisa eu posso montar ou manipular uma pesquisa e dizer que quem come bolacha vive mais quem como laranja, é fácil basta colocar no grupo da laranja pessoas sedentárias, com predisposição genética, alimentação ruim (apesar de comer laranja) e no grupo das bolachas colocar pessoas que praticam atividades físicas, se alimentam bem, dormem bem, etc. Pronto no final provei que comer bolachas é mais saudável que comer laranja.

  • moizés:

    É isso ai: bebendo e aprendendo…

  • ANILSON MARTINS:

    Da um carro para um bom bebedor ir para uma de nossas BRs e depois me conta o tempo que durou a vida dele dirigindo após beber !

  • Edu:

    Bem, não é o álcool que prolonga a vida, mas sim o prazer que as pessoas que bebem têm pela vida. É claro que os alcólatras não se enquadram nesta relação pois são doentes e precisam de tratamento.
    Beba com moderação e viva bem.

  • eduardo:

    Então, digamos que os amigos, ao final do expediente, vão para um barzinho beber refrigerante, água, leite… kkkkkk…. só pra relaxar… isso aumentará a expectativa de vida deles?
    Acho q o álcool tem uma funcão mais importante no nosso organismo do q simplesmete “apagar nossas ansiedades sociais”…

  • ANTI HIPOCRITAS:

    mais uma mentira descabida todo mundo sabe que beber faz mal, que beber mata,e faz matar.por favor não enganem o povo.vamos deixar de ser hipocritas que o brasil agradeçe.

  • Nelson:

    Concordo, em parte, a pessoas com strees não relaxam, elas acumulam stress, e isso não faz bem. ao tomar uma dose de alcool a pessoas relaxa, pelo menos durante alguns momentos.

Deixe seu comentário!