Café restaura perda de memória em ratos com sintomas de Alzheimer

Por , em 6.07.2009

Quem gosta de café tem mais um motivo para a próxima xícara: pesquisadores da Universidade de South Florida (USF), nos Estados Unidos, analisaram que ratos com sintomas semelhantes aos da doença de Alzheimer que ingeriram quantias de cafeína equivalentes a cinco xícaras de café por dia tiveram uma reversão no quadro de perda de memória e uma diminuição na produção da proteína beta-amilóide, ligada à doença.

Gary Arendash, neurocientista da Universidade, afirma que os resultados mostram uma nova ajuda para a doença: “A descoberta evidencia que a cafeína poderia ser um ‘tratamento’ viável para a doença de Alzheimer, e não apenas uma estratégia de prevenção”. “Isso é importante porque a cafeína é uma droga segura para a maior parte das pessoas, entra facilmente no cérebro, e parece afetar diretamente o processo da doença”, completa Arendash.

O estudo foi feito com 55 ratos geneticamente modificados para desenvolver problemas de memória semelhantes aos apresentados por pacientes com a doença de Alzheimer. Quando os ratos passaram a apresentar problemas de memória, aos 18 ou 19 meses – equivalente a 70 anos dos humanos – os pesquisadores passaram a dar cafeína na água de metade dos ratos. Ao fim de dois meses, os ratos que receberam a cafeína tiveram melhores resultados em testes de memória e habilidades motoras, enquanto os ratos que receberam água normal continuaram a ir mal nos testes.

“Estes são os experimentos mais promissores feitos com ratos sobre a doença de Alzheimer, e mostram que a cafeína reduz rapidamente a proteína beta-amilóide no sangue”, afirma Huntington Potter, do Centro e Pesquisa em Alzheimer da USF. A pesquisa apontou que a proteína teve uma redução de quase 50% nos ratos tratados com cafeína.

Os pesquisadores ainda não sabem se uma quantidade menor que 500 miligramas diárias seria suficiente, mas Arendash afirma que para a maioria das pessoas, este consumo moderado não traz efeitos adversos à saúde da maioria das pessoas.

Um estudo anterior mostrava que a cafeína diminui os níveis de uma proteína ligada ao desenvolvimento da doença de Alzheimer no cérebro e no sangue de ratos que tinham sintomas da doença. As duas pesquisas se somam a uma primeira pesquisa, que mostrava que a substância ingerida no início da idade adulta prevenia a formação de problemas de memória. [Science Daily]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

4 comentários

  • Manoel Ferreira Paixão:

    Boa matéria.

  • Fernanda:

    Infelizmente mais uma notícia que não aumenta a esperança de ver alguma cura ou ajuda para essa doença, minha mãe sempre tomou muito café, em excesso até, toma até hoje e nenhuma mudança, a doença progride..Pena que a medicina é muito mais lenta.

  • Angélica:

    Muito bom esse artigo.
    Para alguns o café até pode fazer mal, mas pra muitos outros pode ser um “remédio” !
    Parabéns, os assuntos são muito bons !

  • artexes@bol.com.br:

    Muito oportununa a reportagem sobre os beneficios do café. Isso reforça a ideia de que na medida certa o café so faz bem. Portanto, um brinde aos aprecidadores.

Deixe seu comentário!