O estranho caso da pedra marciana

Por , em 26.01.2010

Uma pedra solitária é o único objeto rochoso em meio a um campo desertico em Marte. O pedregulho causou tanta curiosidade em astrônomos e em pesquisadores, por, obviamente, ficar deslocada no campo em que está, que o Mars Exploration Rover Science Team enviou a sonda Mars Rover para descobrir do que, afinal, era feita a “Pedra Bounce” – não antes de promover um bolão de apostas para que cada cientista desse seu palpite.

Alguns acharam que era apenas uma pedra marciana normal, outros que era um meteorito. O fato é que a Pedra Bounce é uma pedra marciana, mas não do tipo comum, e o pessoal que apostou no meteorito não estava completamente enganado.

A pedra não “cresceu” naquela região, mas também não veio do céu. Parece que ela é um pedaço do próprio planeta, muito similar aos meteoritos que caíram aqui na Terra, vindos de Marte, mas de outra região – o problema é que ninguém sabe como ela foi parar onde está hoje.

O palpite atual é que a pedra disparou de alguma cratera vulcânica distante e aterrissou no local. Parece que a Pedra Bouce merece seu nome – bounce, em inglês, significa saltar, pular. [Space]

Atenção: O vídeo está em inglês. Se você não entende o idioma, divirta-se com as imagens.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

78 comentários

  • mario:

    ORLANDO TU ES UM GENIO CARA, DESCOBRISSE A FAMIGERADA ORIGEM DA PEDRA.E QUANTO AOS BESTAS QUE FALAM INGLES, NÃO SE PROCUPE O BRASIL TAMBEM
    BREVEMENTE SERÁ UMA POTÊNCIA, E OS AMERICANOS E INGLESES VAI PRECISAR APRENDER PORTUGUÊS

  • Leandro:

    do q fala essa materia memo??? Pedra em marte ou problemas com linguas???? XD
    ou ela esta dividida em 2…. XD

  • Rodrigo (o gostosão):

    Me torturassem?? Caramba! Eu sabia que a aculturação contínua do indivíduo desde a infância e adolescência eram muito fortes… mas que funcionavam como uma tortura (!)… essa é nova pra mim. Vivendo e aprendendo! rsrsrs

  • Charles de Menezes:

    quem não tem argumento se apega a míudezas e fica se repetindo….

  • Charles de Menezes:

    Eu já percebi que Rodrigo não entende ironia…
    Vai lá gostosão queria ver você ser “tão” patriota se te torturassem…
    e meu nome é esse e nao JEAN charles…

  • Rodrigo:

    Opa, já temos um que cederá à imposição: Charles de Menezes!
    (o original deve estar se contorcendo no túmulo, hein?)

    Se preparem para o Mandarim… hehehe

  • Charles de Menezes:

    Caro Elvis e Afonso Ludwig…
    Como o doutor Marcos Souza salientou…
    O mandarin só é mais falado poruqe a china é o país mais populoso do mundo, logo não temos que aprender mandarin, só no caso deles dominarem o mundo e nos impor uma doidera dessa…

    tomem jeito…

  • A. Ludwig:

    Elvis.
    Desculpe-me por corrigí-lo mas a lingua mais falada é o Mandarim. O inglês é a mais difundiada.

  • Charles de Menezes:

    Pelo amor de deus… quanta abobrinha junta… primeiro a nóticia nem é muito interessante… depois esse lenga-lenga infantiloide sobre língua… faça me o favor…

    nao vou falar do aerolito!

    sobre a legenda:
    Se o cara que fez não ganhou nada, por que ele tem a obrigaçao de botar legenda? Sorte a dele e de quem sabe falar inglês… Se botasse seria muito gente fina com quem sabe…
    Ficou ofendinho por nao ser em português? Se vira, o mundo não gira em torno da superpotencia Brasil! Vê se acorda… Saber inglês, alemão ou qualquer outra língua é uma vantagem, e tem que ser entendida como tal, e não supervalorizada ou subestimada… Existem otimos profissionais que nao sabem uma palavra de inglês, algumas areas simplesmente nao exigem… O nosso (tenebroso) presidente Lula não sabe la muita coisa de ingles, mas tá se virando…. Agora sentir orgulho por só falar português é tão estupido quanto americanos que não movem uma palha pra aprender outra língua e continuam ignorantes acomodados… É até pior porque quer viver esperando o Brasil virar superpotencia para ser entendido…

    P.s. Nacionalismo exagerado nem sempre gera coisas boas, vide o Nazismo…

  • Rodrigo:

    O que… vc não percebeu? Marcão! Meu último comentário também foi direcionado a todos, ora… eu complementei tudo o que vc disse “a todos”… direcionando a todos! Nem mencionei o seu nome. Aliás, quem é vc mesmo? De onde viemos, para onde vamos?
    hehehehe…

  • Marcos Souza:

    Rodrigo,

    Chega a ser cômico ver você o tempo todo achando que todos meus argumentos são voltados exclusivamente para você hehehe…

    Novamente demonstra nao ter lido ou entendido meu texto.. caso não tenha percebido o meu ultimo post tem um “A todos” logo no inicio… Então ao contrario do que o seu egocentrismo pensou, eu não estava falando aquilo especificamente para você…

    No mais.. por mim a discussão acaba aqui, como ja disse não ficarei me repetindo. .se não entendeu até agora o que eu quis dizer nao vai entender mais…

    Abraço,

  • Gilberto:

    Nossa…
    A esta altura já tiraram até a pedra do meio do caminho.
    Fazer o que.

  • Rodrigo:

    “Caso você goste e tenha interesse em vídeos sobre Marte, então não critique quem te aconselha a aprender inglês…”

    Só os que nem sabem o português.

    “Ao fazer isso você vai estar nitidamente dando a entender que a “critica” ao inglês/americanos é puro despeito por nao ter conhecimento suficiente(…)”

    Mas vc só dará a entender isso aos meninos que não sabem interpretar texto em português. Portanto, tente ensiná-los alguma coisa sobre o assunto, mesmo que eles finjam não estar aprendendo, por birrinha.

    Assim, não irão repetir o mesmo erro lá na frente. Isso se chama educar.

  • Marcos Souza:

    Rodrigo….

    Realmente, ficou comprovado que você tem extrema dificuldade em interpretar o meu texto….

    Sendo assim melhor deixar quieto… caso contrario vou ficar eternamente me repetindo ao dizer que para os fins do que eu quis dizer, usar “cultura”, “aculturação” ou mesmo “criticos de videos em inglês” não faria diferença alguma…

    Se não conseguiu captar isso até o momento paciência… faço suas as minhas palavras… “Dá uma boa reforçada na leitura”…

  • Marcos Souza:

    Complemento II,

    A todos, continuando o argumento original…

    Caso você goste e tenha interesse em vídeos sobre Marte, então não critique quem te aconselha a aprender inglês…

    Ao fazer isso você vai estar nitidamente dando a entender que a “critica” ao inglês/americanos é puro despeito por nao ter conhecimento suficiente para entender algo que tem interesse e que outros entendem…

    Quase como aquele menino despeitado que quando perde as figurinhas para o coleguinha diz que não queria mais elas mesmo porque estavam feias….

  • Rodrigo:

    Meu filho, a idéia que vc quis passar foi aos que criticam a aculturação. Então não foi aos que criticam a cultura. Ponto.

    Agora, veja a Fala de Marcos Souza em 28.01.2010:
    “Aos que criticam a aculturação estadunidense:
    Já que são contra a cultura norte americana(…)”

    Ou seja: misturou aculturação com cultura LOGO DE CARA. Errou, e quer ficar dando voltas pra disfarçar? Tá registrado rapaz. Já era…
    Agora imagino você dando essas voltas na vida real, dizendo que não disse o que disse… dariam um ótimo político, viu? Que triste.

  • Marcos Souza:

    Complementando…

    Como disse, você não soube interpretar o MEU argumento se vc achou que eu respondi ao SEU argumento….

    Se reler meus posts verá que em momento algum eu entrei no assunto “aculturação” que você iniciou…

    Tanto é assim que eu poderia facilmente substituir a frase

    Aos que criticam a “aculturação estadunidense” por Aos que criticam o video em inglês

    Caso tenha dificuldades de interpretar vou resumir o post que originou suas criticas:

    Videos sobre Marte, só existem em ingles, logo se não gosta de inglês ou de americanos (da cultura ou aculturação deles, não importa), não se interesse por Marte e demais videos feitos por eles….

    Abraço.

  • Marcos Souza:

    Rodrigo,

    Caso não lembre, foi você quem criticou o uso da “cultura” em vez de “aculturação” no meu texto… e mais …fez a critica sem sequer ter lido (ou entendido) o conteudo do meu comentário….

    Caso contrário teria visto que as duas palavras possuiam significado não igual, mas desprezível à idéia que eu quis passar…

    Portanto, antes de criticar a interpretação de texto alheia, procure você mesmo interpretar bem os textos que lê antes de critica-los sem razão…

    Abraço,

  • Rodrigo:

    Ah! Que bom que vc percebeu a diferença entre as duas palavras! Viu? Nem doeu.
    Agora, se vc respondeu inicialmente ao meu argumento, óbvio que o que interessava desde o início era o significado das palavras no MEU argumento, ora. Agora se vc as usou em seu texto com significados iguais, eu só lamento, ué! rs
    Valeu!

  • Marcos Souza:

    Rodrigo,

    Aparentemente você é quem nao soube interpretar o meu texto… alias, parece que vc sequer leu ele…

    Cultura pode ser diferente de aculturação no SEU argumento, porém no MEU argumento não faz diferença alguma usar um ou outro termo como você citou… simplesmente porque esse termo nao é central no argumento, podendo inclusive ser excluido sem perda alguma no sentido.. se quiser pode reler e verá…

    Logo não critique a minha interpretação do texto enquanto voce mesmo nao soube interpretar o meu OK?

    Abraço.

  • Andresa:

    Que me desculpem os não falantes de inglês, mas não vi nada demais no que ele falou, e a frase dele não podia estar mais correta. Hoje, se você não sabe falar inglês, só pode se divertir com as imagens mesmo, ou ler as legendas (quando disponíveis) e perder as imagens.

    E me desculpem também os que “não precisaram de inglês para ter o diploma”, mas faculdade hoje em dia qualquer um consegue fazer. Para defender a tese do mestrado, tem que ser em 2 idiomas. E não conheço nenhum DOUTOR que não fale inglês (dentista e advogado não é doutor. Doutor é quem tem PhD).

    —————

    O que é aquela marca redonda na pedra? É a luz do robô, ou ela realmente tem uma marca em forma de círculo?

  • Rodrigo:

    Rafael, muito bem lembrado!

  • Rodrigo:

    Tá legal, Marcão, não tem jeito se não desenhar, não é? Então preste atenção que será só uma vez, viu?
    Criticar a aculturação estadunidense é criticar a atitude de quem se deixou condicionar tanto, a ponto de achar que os outros é que têm obrigação de entender o inglês, num veículo de comunicação destinado a brasileiros, ou que estão “errados” em reclamar.
    É claramente diferente de criticar a cultura, entrar no mérito do que é cultura boa ou ruim. Aculturação é de um povo, cultura é de outro.
    A diferença é óbvia, por isso falei da deficiência da sua interpretação textual. É entender o contexto.
    Abraços!

  • Rafael:

    Caros,

    Numa boa, algum comentário sobre a pedra? Nem que seja “aerolito”, mas, discussões inférteis não são boas, pois sempre finalizam-se estéreis.

    Vejam: “Art. 13. A língua portuguesa é o idioma oficial da República Federativa do Brasil” CRFB/88.

    Abraços.

  • Marcos Souza:

    ih Rodrigão… a coisa tá piorando, hein? Se vc trocar as palavras, JAMAIS terá o mesmo sentido, viu? Dá uma boa reforçada na gramática, procure visitar a biblioteca mais perto de você, não fique APENAS no computador, pra corrigir isso em breve. Quem aconselha amigo é.

    Sem mais….

    Abraço,

  • Leopoldo Ruzicki:

    Ira! Meus parabéns! Lí de quase tudo: discussão pueril sobre idiomas, piadas sobre o tema e até palavrão (em bom Português) de quem sabe Inglês desde os 16 anos.
    A rocha em questão é bem interessante principalmente pelas marcas circulares que tem. Vamos aguardar novidades a respeito, possivelmente para breve… se os cientistas não mudarem o tema para idiomática a fim de agradar a maioria.

  • claudemir:

    cuidado para os noias nao pensar que e crak eles vao fumar tudo e a sosiedade ainda vao falar que eles sao doentes noias sao tao culpados quanto os traficantes funsionan como uma egrenagen

  • Ruben Zevallos Jr.:

    Gosto dos artigos sobre Marte, porque muitos cientistas acham que lá foi como a Terra, com mares e vida… quem sabe foi mesmo? Por isso tantas coisas, inclusive o que tanto vemos por ai nos filmes e até nas propagandas (como a da HP), onde mostra que existem os Marcianos. =) Sobre o Inglês… sem ele muita gente vive e bem… mas sejamos práticos, devemos aprender sempre outras coisas… linguas mais ainda… o Inglês é mais do que necessário.

  • bruno:

    eita nossa a pedra , para nao falarem que é de outro planeta, ja veio com o LOGOTIPO de MARTE…!!! olha os Circulos…..ahaha

  • Rodrigo:

    ih Marcão… o negócio tá ficando feio, hein? Se vc substituir as palavras, NUNCA terá mesmo sentido, viu? Dá uma boa reforçada na leitura, procure conhecer a biblioteca mais próxima, não fique só no computador, pra corrigir isso logo. Quem avisa amigo é.

  • Danielle:

    Como disse o poeta:

    “No meio do caminho tinha uma pedra tinha uma pedra no meio do caminho tinha uma pedra no meio do caminho tinha uma pedra.

    Nunca me esquecerei desse acontecimento na vida de minhas retinas tão fatigadas. Nunca me esquecerei que no meio do caminho
    tinha uma pedra tinha uma pedra no meio do caminho no meio do caminho tinha uma pedra.”

    Nunca esquecerei que a pedra “saltitante” de Marte virou um combate linguistico. Mas vamos lá. Quem não entende inglês, ou outra lingua qualquer, baixe um tradutor ou procure uma legenda.

  • Ju:

    Essa discussão sobre o inglês é a mais besta que eu já vi!

    O Mandarim só é a lingua mais falada do mundo pq o país é o mais populoso do mundo! Agora quero ver vc ir na alemanha falando chinês pra ver se algum alemão vai te entender. Experimente o inglês e aposto que ao menos 1 vai falar com você.

    Não tem jeito. Inglês é a lingua universal sim, para recalque dos brasileiros. Não defendo os americanos, nem os EUA, nem nada, mas temos que ver os fatos como eles são: saber inglês melhora suas chances de se virar em qualquer país. FATO!

  • sely:

    seus comentarios sao ridiculos que nem voces que dizem que o ingles e fundamental. vao morar nos EUA!.quando voces estiverem la seram descriminados por serem latinos bando de idiotas e se tiverem a pele morena entao… vao ter que morar no brooklin que e a rocinha brasileira.seus burros. canbada de cretinos

  • Rafael:

    Bazinga!

  • Marcos Souza:

    Rodrigo,

    apenas para complementar… mais uma tarefa para você:

    Tente substituir a palavra “cultura” no meu comentario aquele por “aculturação” e Voilá…. o texto mantém exatamente o mesmo sentido…. seria coincidencia?

    Abraço,

  • Marcos Souza:

    Rodrigo,

    Não costumo subestimar as pessoas… mas vejo que você não tem o mesmo hábito…

    Claro que aculturação e cultura são coisas diferentes… felizmente não preciso recorrer ao dicionario pra constatar isso…

    Porém ambos os conceitos estão intimamente ligados.. não dá pra vc criticar os anos de aculturação americana sem criticar ao mesmo tempo a cultura do Tio Sam…

    Afinal, ficaria um tanto estranho vc venerar a cultura americana e ao mesmo tempo criticar os brasileiros por se submeterem a mesma.. nao acha?

    Mas em tempo… estou na espera de um Vídeo de Marte em mandarim… encontrou algo?

  • Rodrigo:

    Marcão, “aculturação” não é o mesmo que “cultura”. Só pra vc dar uma olhada no dicionário antes de me atacar se sentiu a carapuça descendo macio, blz? rs. Não precisa partir pra tomar as dores de cultura nenhuma… a questão é outra, viu? Abraço!

  • Marcos Souza:

    Aos que criticam a “aculturação estadunidense”:

    Já que são contra a cultura norte americana, vocês não deveriam se interessar por assuntos relativos a Marte…

    Afinal caso não saibam, vídeos como o deste post, bem como qualquer informação sobre Marte só existem graças aos yankes…

    Criticar a cultura norte americana e logo após pedir legenda chega quase a soar como piada… como se a legenda fosse fazer com que o video deixasse de ter produção americana….

    Abraços,

  • Marcos Souza:

    Rodrigo,

    Quem sabe você tenta encontrar um vídeo sobre Marte produzido e narrado originalmente em mandarim ??

    Só toma cuidado pra verificar, caso encontre algum, se não é falsificado como a maioria dos produtos chineses…

    Isto supondo é claro que os vídeos sobre Marte não sejam alvo de censura na China….

    Abraço,

  • Marcos Souza:

    Rodrigo,

    Te proponho um pequeno desafio então:

    Tente encontrar um vídeo sobre Marte produzido e narrado originalmente em mandarim…

    Certamente você não vai encontrar, pelo simples motivo que não existem programas espaciais na china, pelo menos nenhum que esteja sequer remotamente capacitado de mandar sondas a marte…..

    Isso se você conseguir acessar o Youtube chines… visto que é alvo de censura…

    Aos que criticam a “aculturação estadunidense” pensem no seguinte: Legendar o video não vai tornar os americanos menos importantes… o video original continuará em inglês… Logo criticar a cultura americana e depois pedir a legenda não serve como forma de protesto…. e sim apenas para mascarar a falta de conhecimento de vcs….

  • Jose:

    Afff.
    Interessante a Foto e estes dois circulos na “Rocha”

  • Rodrigo:

    Corrigindo minha fala anterior “que o Alfredo descreveu muito bem(…)”.

    Abraços verde-amarelos a todos, rsrs

  • Rodrigo:

    Só uma observação aos alienados que o Orlando descreveu muito bem: a língua mais falada do mundo é o Mandarim. Não queiram distorcer a realidade baseados no mundinho fechado de vcs, cultivado com muito carinho por anos de aculturação estadunidense.
    Sim, isolamento. Pois o mundo não é, ao contrário do que são levados a crer ingenuamente, representado por uma só cultura ou língua. O que vcs chamam de “mundo” é uma versão editada e filtrada para vcs.

    Agora vão aprender mandarim, quero ver se a disposição continua… ou vão começar a reinvindicar legendas, rs

  • Anderson:

    Pseudointelectuais detectados…

    E sobre a lingua, só tenho uma coisa a falar:

    “Enquanto eu tiver uma, mulher nenhuma me mete medo!”

  • Denis Lima:

    Acho que esse artigo deveria ter sido escrito em marcianês, pois é uma falta de respeito com os seres daquele planeta.

  • Marte:

    To rock or not rock. That is the question.

  • @AtomicBlue:

    “não esconda sua falta de conhecimento atrás de um comentário assim.” [2]

  • Valdomiro:

    eu acho que não era pedra coisa nenhuma, e sim um dente bem cariado, rsrsrsrsrrsrsr!!!!

  • Rafael:

    Quem não sabe inglês é porque não quer. Não é necessário ter dinheiro ou fazer curso, apenas vontade de aprender e querer saber outra língua.
    O mundo não vai parar de progredir só porque você quer ficar parado na mesma pra sempre.
    Quem não sabe, vai aprender que com certeza ganha mais ou para de chorar.

  • Lend:

    acho q marte tem coisas bem mais estranhas que isso.

  • Carlos:

    Eu acho que já temos muitos mistérios aqui na terra para resolver, para que tentar saber de onde veio aquela pedrinha?
    Tenho aqui em meus papeis de parede várias fotos intrigantes. Como por exemplo: uma pedra no meio de um campo desértico do tamanho de vários campos de futebol.
    Como ela foi parar ali?
    Lembrando que no Brasil, ainda não tem vulcões (ainda)
    Ou ainda, uma pedra bem redondinha de várias toneladas, perfeitamente equilibrada sobre outra, igualmente redonda.
    Isso sim é mistério, agora…Marte…deixa prá lá

  • Pablo Moreno:

    Agora sobre o artigo hehe

    Bem interessante, mas essas dúvidas só existem porque por enquanto temos que entender o planeta Marte através de um carrinho de controle remoto de bilhões de dólares.

    Sobre a marca circular que aparece na superfície da rocha na foto ela foi feita pelos aparelhos de coleta da Rover, é uma broca circular que retira material das rochas para análise.

  • Pablo Moreno:

    Sim, brasileiros não tem obrigação de saber outra língua.
    Porém esses não tem que reclamar quando algum conteúdo esta em inglês..se você optou por não saber também não pode exigir que o mundo pare porque você tem preguiça de aprender outro idioma.

  • Mebius:

    O Comentário do Sr. Marte ” matou a pau ” e acredito que não sejam mais necessários novos argumentos sejam eles de caráter científico ou político para caracterizar o aerolito.
    Mas convenhamos, não é meio perigoso fazer uma prótese ou tratamento de canal com aquele tal dentista? ehehe ….

  • Marcos Souza:

    Pessoal,

    Ninguem está questionando se a lingua inglesa é melhor, pior do que a portuguesa….

    A questão é que saber inglês é SIM importante, pelo menos se você pretende ser um profissional diferenciado. Também não gosto de ter que aprender outra lingua para poder crescer, mas infelizmente isso não depende de mim.

    É fato que os melhores profissionais, os melhores cientistas e os melhores estudos estão/falam em inglês… O próprio vídeo da matéria está em inglês…. assim como vários outros materiais cientifico que na internet só existem em inglês….

    Ninguem é obrigado a saber inglês, assim como o editor do site não é obrigado a postar em português… Aprenda inglês quem quiser…. Assista o vídeo quem quiser…

    O Editor talvez não tenha nem conhecimento sobre como legendar um vídeo, mas não é porque o vídeo não possui legenda que ele iria deixar de postar…

    Essa história de “fascinação pelo estrangeiro” é a mais pura bobagem… isso não existe.. ninguem está “idolatrando” o estrangeiro, e sim reconhecendo que, você gostando ou não, o inglês é sim fundamental para quem pretende crescer na vida…

    Isso está muito alem dos papinhos de pseudo-anarquistas que gostam de aparecer dizendo que são contra a sociadedade e “o imperialismo norte-americano”…. afff

  • ira:

    Vamos falar de lingua.
    A lingua menos falada no planeta é;

    A LINGUA SEM CONSTRANGIMENTO E EDUCADA

  • Marte:

    OK. É um aerolito.
    Mas o que me intriga nesse close-up são
    as estranhas marcas circulares no meio desta.
    Já vi coisas curiosas nesse site, mas esta
    foto merece o top. O Hype Science deveria
    pagar um big de um hot dog – com milk shake, claro – para quem desvendar esse mistério.
    Outro dia, um playboy – vestido a caráter: de blue jeans com uma t-shirt mudernosa e ostentando um indefectível Ray-ban – estava no playground do prédio ouvindo seu walkman. Dançava um rock’n roll arretado… cantarolava “let’s dance, let’s dance…”
    Opss. isso não tem nada haver com o assunto. Deixa pra lá.

    Bye-bye!

    E parodiando o grande poeta:
    Had a stone in the half of the road.
    In the half of the road there was a aerolito.

  • Mitsay:

    A tal pedra é muito interessante. Um mistério… lol

    Quanto a língua, convém aprender Inglês. Caso viajem para outro país fora da América do Sul, será muito útil. Convém também aprender linguagem gestual, nunca se sabe quando poderá perder a voz. ahah

    Aprendam algo básico de Trumái também.

    Cumps

  • eduardo:

    Prefiro em japonês….

    Mas qnt à notícia, não achei muito interessante… achei q akele círculo ali na pedra (foto) tivesse sido feito por algum operário marciano… mas, enfim……..

  • Bruno Juncklaus:

    Por favor né, além de postar aqui notícias de graça o cara quer que seja em portugues ainda.. uaheuheahheau

    voce pode ser dentista, mas não saber inglês é foda cara. Eu já sabia falar com 16 anos, tenho 20 hoje.. vai procurar no youtube legendado pow..

    Valeu hypescience bem instingante a matéria 😉

  • Eduardo:

    Deixem de frescura! Se não entendem inglês, leiam o artigo em português, logo acima do vídeo. O vídeo vale pelas imagens e o artigo escrito vale pelo audio. Querem legenda? FAÇAM UMA! And quit bitching about it!

  • Gilberto:

    Interessante matéria… e sobre o inglês concordo com os que dizem sobre a legenda pois a informação não pode se limitar ao seu idioma. A fonte deve se adaptar ao usuário e não o usuário a fonte.

    Se fossemos pela regra do “Inglês”, para lermos todo e qualquer conteúdo que encontramos na “internete” teríamos que aprender todos os idiomas da terra, obrigar o usuário a aprender um idioma só/ou para ver um vídeo não me parece muito sugestivo, não nos tempos de hoje onde a tecnologia é capaz de suprir esta necessidade.
    Legenda sim e liberdade para informação, todos tem direito.

  • Vitor:

    Com certeza, é um aerolíto.
    Sobre a língua Inglesa, ninguém em solo pátrio tem a obrigação de saber ou engolir isso.
    Um bom trabalho,requer pelo menos legenda!

  • Alfredo:

    Vem do tempo da escravidão e do Brasil colonia essa fascinação pelo que é estrangeiro (do reino). Naquela época já existiam os que queriam se destacar por ter e saber sobre coisas dos Portugas. Essa gente apenas, querendo ser diferente, continua atual.

  • Maria Cristina Novo:

    Bom dia , pessoal, não sejamos radicais, todos estamos com razão quanto a importância saber ou não inglês ou qualquer outro idioma. O importante é termos consciência que a internet está ao alcance de todos, pobres e ricos, mas os cursos de idiomas, esses infelizmente são para as pessoas com situação financeira “folgada”, pois o custo de um aprendizado de QUALQUER IDIOMA , principalmente do INGLÊS é, infelizmente, ALTÍSSIMO e não atinge a maioria de nós brasileiros. Portanto sejamos razoáveis em nossas opiniões.

  • sonia:

    Elvis, meu caro, além de aprender outra língua, seja ela qual for, atrás disso existe o aprendizado da educação, ética e boas maneiras, para abordar um amigo e chamá-lo a atenção de uma forma tão áspera, é a prova dessa verdade, falta conhecimento de idioma e falta muito mais o respeito, ex: por os caipiras, (simbolicamente falando), são simples e conhecem outros conceitos que não precisou aprender em escola de supostos ignorantes.

    Sônia

  • Everton Carlos da Costa Cardoso:

    É, Orlando, vamos deixar que os “poliglotas” façam a pesquisa em inglês, francês, espanhol, italiano, alemão e mandarim. Para sabermos se é um aerolito ou pedra derivada dos rins. Não é assim, Wilson? E o Benfica me faz lembrar de Portugal…

  • wilson:

    ACHO QUE A PEDRA É A MESMA QUE TENHO NOS RINS!!!!
    Êta povinho tupiniquim americanizado (que adoram ser expulso
    dos EUA) defensores da lingua imperial mais besta!!!

  • Bemfica:

    Dos 7 comentários acima, só o Macaíba fez algum comentário sobre a matéria. Os outros ficaram falando da importância do inglês na vida do Everton. Vamos voltar ao assunto.
    É isso aí, Macaíba. Também acho que é um aerolito. Preciso anotar na minha cadernetinha…

  • Orlando:

    Minha lingua é o portuga e penso, falo, ouço e me comunico em portuga, logo deveria ser em portuga. Os gringos que se danem, pois se quizerem me dominar com sua cultura que aprendam o português.

    Voltando ao assunto da pedra, acho que foi algum doido que ao tentar jogar pedras na Lua, sem querer acertou Marte. Eita pontaria bestial.

  • Alex:

    Acho que a questão do debate seria sobre a pedra de marte, não sobre inglês ou coisas do Tipo.
    Só queria saber se o materia dessa “pedra” é diferente dos tipo encontrados aqui na terra.

  • Edu:

    Sem estresse…logo a China vai a ser a maior potência econômica mundial e tudo virá em chinês.
    Falo inglês razoavelmente e também acho que deveria vir a tradução para quem ainda não aprendeu.

  • Ricardo Schirmer:

    Acredito que se todo o site fosse em inglês não teria problema.

    Sugiro ao dentista não apenas estudar inglês, mas espanhol, português, francês, alemão, e alguma outra como chinês ou japonês…

    Além de aprender, poderá pesquisar em outras fontes e, principalmente forçará o cérebro a um ótimo exercício.

  • Marcos Souza:

    Everton,

    Pode não ter precisado de Inglês para concluir o curso “básico” de odonto, mas com certeza se algum dia você pretender se especializar, fazer um mestrado, doutorado, pode ter certeza que o inglês fará sim muita falta.

    Afinal como disse o Elvis, o inglês é sim a lingua mais falada no mundo. Sendo assim, os maiores estudos, artigos e pesquisas cientificas mundiais não são encontrados em português.

    Mas é claro, se você pretende continuar o resto da vida sendo um destista “comum” como tantos outros que existem por aí, o inglês de fato não é necessário.

    Abraço,

  • Everton Carlos da Costa Cardoso:

    Sou formado em Odontologia e nunca precisei de Inglês para concluir o Curso e exercer minha profissão da qual me orgulho.

  • elvis:

    desrespeito? é de rir, você não é obrigado a saber ingles, mas se quiser ter informações eu sugiro que aprenda, pois é a lingua mais falada do mundo. não esconda sua falta de conhecimento atrás de um comentário assim.

  • Everton Carlos da Costa Cardoso:

    Não entendo como esse site coloca um vídeo falado em inglês. Eu acho que é um desrespeito para os cidadãos brasileiros que não são obrigados a entender o que não é falado em português.

  • Macaíba:

    ‘É um aerolito’.

Comentários fechados

Os comentários deste post foram encerrados.