A maioria dos cânceres da pandemia mundial são evitáveis: veja como

Por , em 9.02.2014

A Organização Mundial de Saúde já soou o alarme: o câncer está se tornando rapidamente uma pandemia global. No seu relatório World Cancer, a agência da ONU observa que a doença provoca uma em cada oito mortes no mundo. Estima-se que 14 milhões de pessoas foram diagnosticadas com câncer em 2012, e até 2032 esse número deve crescer ainda mais, chegando aos 22 milhões.

Os cânceres mais comumente diagnosticados em todo o mundo são o de pulmão, mama e cólon. Também em escala global, os que mais matam são de pulmão, fígado e estômago. Em certas áreas da África e da Ásia, o câncer cervical é a principal causa de morte em mulheres.

O envelhecimento e crescimento da população mundial estão no centro da razão do aumento no número de casos de câncer, bem como a disseminação de fatores de risco em países de baixa e média renda. Estes incluem o uso de tabaco, obesidade, falta de atividade física e má alimentação – que, no relatório, caracterizam “um estilo de vida industrializado”, causando aproximadamente metade das mortes por câncer nos Estados Unidos e Europa Ocidental.

Ao mesmo tempo, as taxas de morte por câncer diminuíram em cerca de 20% ao longo dos últimos 20 anos nos Estados Unidos e Europa Ocidental. Isto se deve, em grande parte, a campanhas de prevenção, especialmente à diminuição do tabagismo. O uso desta substância em países com menor renda faz o contrário: que as taxas de mortalidade por câncer aumentem. Outros hábitos que causam câncer comuns no Ocidente, como dietas nutricionalmente pobres e de alto teor calórico que promovem a obesidade, também estão aumentando em lugares com menos renda.

Esses países também têm infraestruturas inadequadas de médicos e saúde pública. Nos países economicamente em desenvolvimento, os cânceres são frequentemente diagnosticados numa fase tardia, quando eliminar a doença não é mais possível. Muitas vezes, as pessoas sofrem por causa de cuidados paliativos ruins. Narcóticos não estão disponíveis para tratamento da condição em mais vinte países, e são difíceis de obter em muitos outros.

O relatório ainda salienta que as organizações internacionais governamentais e não governamentais precisam focar em atividades de prevenção do câncer em países de renda baixa e média. Além disso, esforços de prevenção precisam ser re-enfatizados em países desenvolvidos, como os Estados Unidos.

Como prevenir

O câncer não tem de ser inevitável. Há muito que você pode fazer para reduzir o risco que você corre:

  • Não use produtos de tabaco: Se você fuma, pare. Nunca é tarde demais para parar. Benefícios para a saúde podem ser vistos tão cedo quanto 24 horas após o último cigarro.
  • Fique em equilíbrio: Evite o excesso de ganho de peso em todas as idades. Para aqueles que estão com sobrepeso ou obesos, emagrecer, nem que seja só um pouco, tem benefícios para a saúde e é um bom lugar para começar. Limitar a ingestão de bebidas e alimentos altamente calóricos é uma das chaves para ajudar a manter um peso saudável, assim como ter uma dieta saudável, com ênfase em alimentos de origem vegetal e cuidar das quantidades ingeridas. Também limite as carnes vermelha e processada. Coma, pelo menos, 2,5 xícaras de frutas e legumes todos os dias. Escolha cereais integrais em vez de produtos de grãos refinados. Por fim, se você beber álcool, não abuse. No caso das mulheres, não é recomendável ultrapassar um drinque por dia; para os homens, o limite é de dois.
  • Faça atividade física regularmente: Os adultos devem se dedicar a pelo menos 150 minutos de exercícios de intensidade moderada ou 75 minutos de exercícios vigorosos por semana. As duas modalidades podem ser combinadas e o ideal é que as atividades físicas estejam distribuídas ao longo da semana. Já crianças e adolescentes precisam de ao menos uma hora de atividade de intensidade moderada ou vigorosa por dia, sendo que a atividade vigorosa deve estar presente em no mínimo três dias por semana. Evite o comportamento sedentário, como ficar sentado, deitado, assistindo TV ou outras formas de entretenimento que não requeiram que você se movimente.
  • Vacine-se: Várias das principais causas de câncer são causadas por infecções que podem ser controladas através de vacinação. A vacina contra a hepatite B é agora uma vacina padrão para crianças nos Estados Unidos e na Europa, os adultos que não foram vacinados deve considerar fazê-lo. No Brasil, pessoas com até 49 anos ou pertencentes ao grupo de risco, como manicures, doadores de sangue, prostitutas, trabalhadores da saúde, gestantes, podem receber a vacina gratuitamente pelo SUS. Já a vacina do papilomavírus humano (HPV) é comumente dada às meninas, preferencialmente antes do início da vida sexual, e previne a infecção com o vírus que causa a maioria dos cânceres cervicais. Há evidências crescentes de que ela também poderia prevenir alguns tipos de câncer de cabeça e pescoço, e alguns especialistas recomendam que meninos sejam vacinados também. A partir de março de 2014, meninas de 11 a 13 anos de idade passam a receber gratuitamente a vacina no Brasil e até 2016 a faixa etária será expandida para atendê-las a partir dos 9 anos.
  • Evite a exposição solar desnecessária: Use camisas de mangas compridas, calças compridas e chapéus de abas largas quando possível, e não esqueça do protetor solar quando a exposição ao sol é absolutamente necessária. Isto irá reduzir o seu risco de melanoma e outros tipos de câncer de pele.[CNN, Ministério da Saúde]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

Deixe seu comentário!