A webcam que faz o livestreaming mais antigo do mundo vai ser desligada

Por , em 22.08.2019

A câmera batizada de fogcam, ou câmera da neblina, foi instalada em 1994 para mostrar o clima no campos da Universidade Estadual de São Francisco (EUA). Ela fez a transmissão de uma rua do campus quase que interruptamente, sendo desligada apenas para passar por manutenção ou para reposicionamento.

Os responsáveis por sua manutenção afirmaram que vão retirá-la do local para sempre no dia 30 de agosto de 2019, com a explicação que não há na região nenhuma área boa para colocá-la.

“Sentimos que era hora de deixar isso para lá”, diz Jeff Scwartz, um dos responsáveis pela câmera. Ele explica que estava ficando difícil encontrar localizações seguras para a webcam de forma que mostrasse a avenida Holloway.

Mesmo com a desativação da Fogcam, o site usado para fazer o stream das imagens vai continuar no ar. Este site também é um dos mais antigos da internet. Se você quiser ver a webcam ainda em funcionamento, clique aqui.

Schwartz e seu colega Dan Wong utilizaram o projeto da webcam para praticar codificação e para ficarem mais familiarizados com a internet quando ela ainda dava seus primeiros passos. “Foi um projeto de estimação que desenvolveu uma vida própria, afirmou ele ao jornal SFGate.

Livestreaming da cafeteira

Pesquisadores de todos os laboratórios podiam saber quando havia café fresco na sala do café

Schwartz relembra que a instalação desta câmera foi inspirada no primeiro livestreaming do mundo, que aconteceu na Universidade de Cambridge (Reino Unido) entre 1993 e 2001. A primeira webcam do mundo a transmitir continuamente mostrava uma cafeteria da própria universidade.

A transmissão surgiu como solução para um problema de ordem prática: os pesquisadores do departamento da computação tinham que se deslocar até o prédio do laboratório principal para buscar café. A sala do café era conhecida como Trojan, e atraía pesquisadores que trabalhavam em diferentes andares e laboratórios.

Então é possível imaginar a frustração de alguém que se desloca de outro prédio para ir lá em busca de café e se deparar com a cafeteira vazia.

Para resolver este “problemão”, dois cientistas instalaram a câmera, que transmitia três frames de imagem por minuto, e desenvolveram o software que permitia levar as imagens da câmera para a rede interna de computadores da universidade.

A partir de então, ninguém mais foi obrigado a tomar café velho naquele departamento; assim que alguém passava um café novo, logo aparecia uma pequena multidão atrás do líquido precioso.

Mais tarde, a transmissão passou a ser aberta para a internet toda.

Dez anos depois, a famosa máquina de café da sala Trojan foi vendida no eBay, atraindo 71 lances com valor máximo de 3.350 libras esterlinas (R$16.616 segundo o câmbio atual). [BBC, BBC]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (21 votos, média: 4,71 de 5)

Deixe seu comentário!