Abelhas possuem uma espécie de “GPS” para voar

Por , em 10.10.2011

As abelhas vivem em uma perfeita sociedade “industrial”, onde cada inseto conhece sua função e todos trabalham em prol da coletividade. Um dispositivo, até então desconhecido, torna o trabalho das abelhas ainda mais eficiente. Pesquisadores ingleses descobriram que elas são capazes de calcular a menor rota possível entre as flores durante a coleta do pólen.

As abelhas possuem, ao que parece, um mecanismo sensorial que funciona como um GPS. Ainda não se sabe o motivo, e é isso que cientistas da Universidade de Londres estão investigando. Esse atributo das abelhas economiza energia, minimizando a que se gasta para coletar pólen das flores. Com um cérebro de apenas 950 mil neurônios (cem mil vezes menos do que nós), as abelhas solucionam problemas de trajetória que exigem complicados cálculos matemáticos de um ser humano.

Os pesquisadores fizeram um teste curioso. Colocaram seis flores artificiais em um ambiente, dispostas de uma maneira não natural. No total, era possível fazer 720 rotas entre elas. Do modo como as flores estavam distribuídas, uma rota que fosse sempre de uma flor até a vizinha mais próxima não seria o trajeto mais rápido. Seria necessário, portanto, calcular a rota mais inteligente a se fazer.

Hora da ação: os pesquisadores soltaram abelhas no ambiente e passaram a tomar nota das rotas. Para se orientar, conforme foi observado, as abelhas usam uma série de indicadores ambientais, tais como posição do sol, pontos de referência no terreno, memória das distâncias percorridas e da direção escolhida. Após 80 tentativas, as abelhas foram capazes de achar o trajeto mais curto possível. A cada erro de escolha, elas aprendiam algo a não ser feito na rota, o que eliminava algumas possíveis rotas e as aproximava do acerto.

O que não se compreende, no entanto, é como exatamente elas conseguem fazer isso. Os cientistas tentam entender o cérebro das abelhas como uma espécie de computador. Seria possível, segundo eles, aperfeiçoar os atuais sistemas de GPS e localização, se entendêssemos o “algoritmo” que os pequenos insetos produtores de mel usam para se situar no terreno. [LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

9 comentários

  • Troll:

    Vou por uma no meu carro a ver o que dá. lol :S

  • Rafael Rosa:

    Segundo Einstein, o mundo vai acabar quando não houver mais abelhas. a Polinização é muito importante para a continuação da flora na esfera terrestre. E as abelhas ficam desnorteadas (desestabilização desse “gps”) com o acúmulo de gás carbônico na atmosfera.

  • Evandro:

    as mulheres poderiam apreender com as abelhas a comprar roupas no shopping.

  • Rock:

    Resolvem o famoso problema do caixeiro viajante (melhor rota) tratado por diversos algoritmos de pesquisa operacional ,entre eles o simplex e mesmo os chamados algoritmos genéticos . Estes últimos são uma aproximação, via computação, de processos de cruzamento e seleção natural que ocorrrem na natureza.Interessante que as abelhas resolvem problema a milhoes de anos com um cérebro minúsculo que os seres humanos tem se dedicado a resolver com mais resultados apenas a partir da segunda guerra mundial, não com seus cerebro apenas mas com o usoo de com computadores.

  • Shyro:

    O título só revela ignorância de quem escreveu o artigo. O modo de funcionamento de GPS em nada é semelhante à aprendizagem por tentativa-erro que as abelhas fazem para escolher o melhor caminho.

    Tanto se quer captar a atenção do público para notícias e simplificar explicações técnicas usando termos e comparações que toda a gente conhece, que se acaba por dizer grandes disparates e contribuir ainda mais para ignorância dos leitores.

  • Pedro Ornellas:

    Obrigado, Stephanie, por postar assuntos que nos fazem refletir sobre as maravilhas da criação. Elas são provas vivas da existência de um Criador inteligente, sábio e poderoso.
    P.S.: Todos os Ornellas com suas variantes têm procedência comum. Assim, mesmo que distantes, somos parentes. Desejo sucesso a você!

  • José Calasans.:

    É uma forma diferente de inteligência.Quem quiser tecnologia de ponta e eficiente,tem que investir pesado em pesquisas relacionadas a vida dos animais,plantas e outros seres da natureza.

  • Bovidino:

    Claro que não tem nada a ver com GPS.
    Trata-se evidentemente de um sistema muito diferente que se relaciona muito mais com memorização do que com captação de sinais vindos do espaço.

  • leandro:

    até as abelhas estão tirando proveito dos satelites

Deixe seu comentário!