Álcool pode combater Artrite Reumatóide

Por , em 29.07.2010

A Artrite Reumatóide é uma doença “nova”, que começou a ser estudada mais a fundo apenas nos anos 80. Por essa razão, os tratamentos ainda são pouco mais do que experimentais, a maioria dos médicos ainda não sabe exatamente como lidar com ela e ainda não há uma cura definida, apenas remédios que aliviam o sofrimento dos pacientes. Mas o estudo de um hospital britânico quer oferecer uma alternativa aos portadores da doença: bebidas alcoólicas.

Quem tem artrite reumatóide enfrenta uma luta diária pelo bem-estar. Trata-se de uma doença auto-imune (em que as células do corpo atacam outras células sem motivo aparente), que se caracteriza pela inflamação constante das articulações. Quase todos os dias, o portador acorda com os joelhos inchados e doloridos, mal consegue se locomover, e só é capaz de andar normalmente depois de algumas horas. Quando vai se deitar, à noite, está com o corpo perfeito. Dorme, e quando acorda no dia seguinte, lá estão as articulações inchadas de novo.

Diante desse quadro desanimador, não é de admirar que os cientistas estejam empenhados em achar um alívio aos portadores. Para começar, o estudo do Hospital Roterham, no Reino Unido, afirma que o álcool já pode ser uma prevenção à Artrite Reumatoide: aqueles que são abstêmios têm quatro vezes mais chances de contrair a doença do que aqueles que se servem de uma bebida três vezes por semana.

Mas o álcool também traz vantagens para aqueles que já sofrem com a Artrite. Os pesquisadores descobriram que os pacientes que bebem têm sintomas mais leves em comparação aos que não bebem.

Isso pode parecer uma tremenda injustiça da natureza para os abstêmios. Eles cuidam do corpo, não colocam uma gota de álcool na boca, e aqueles que maltratam o fígado têm maior alívio em uma doença que eles nada fizeram de mal para contrair! Por isso, os cientistas explicam que a situação não é tão simples assim: não se torne um bêbado inveterado na esperança de se livrar dos males da Artrite Reumatoide.

A pesquisa só analisou quantos dias por mês os pacientes beberam, mas não a quantidade. Assim, é claro que eles não recomendam que se encha a cara todo dia, porque o efeito só vai até certo ponto. Mas alguns estudos afirmam que é uma relação de proporção: quanto mais se bebe, mais se amenizam os sintomas.

Contudo, há outros perigos, como o de misturar o álcool com os medicamentos usados para tratar a doença (em geral, corticóides fortíssimos), combinação que pode causar sérios danos ao fígado.

Além disso, tudo o que se tem até agora são testes de causa e consequência: compararam abstêmios com pessoas que bebem e descobriram uma menor chance e incidência da doença no segundo grupo. Mas ainda não se sabe os motivos disso, embora a maioria dos médicos acredite que seja algo relacionado com a imunidade: como o álcool abaixa nossa imunidade de anticorpos, talvez também abaixe a auto-imunidade, responsável pela artrite, mas ainda não há comprovações.

Os médicos ainda afirmam, com segurança, que beber não o torna livre de contrair Artrite Reumatóide. Ela pode chegar até você por fatores genéticos (a hereditariedade é o mais forte), hormonais e ambientais. A bebida alcoólica pode ajudar, mas não é um elixir da boa saúde. [CNN]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 5,00 de 5)

14 comentários

  • João Carlos Agostini:

    Neste ano mesmo, 2018, hypescience publicou artigo que afirma que uma equipe de pesquisadores após revisarem a literatura sobre o álcool chegou a conclusão de que não há dose segura de consumo de álcool, ou seja, qualquer quantidade faz mal. E agora José?

    • Cesar Grossmann:

      Já ouviu falar em medicamento que tem efeito colateral? Ter efeito colateral não impede que tenha efeitos benéficos.

  • Lidia Lopez:

    Já provei tudo o que é tratamento…e o melhor, é o descrito no Livro:”A cura da artrite sem medicamentos” de Margareth Hill (são 2 livros), e comprei no site do Submarino

  • Solange Alkimim Bezerra:

    Iniciei o tratamento para AR
    a mais ou menos 06 meses alternando a medicação os corticoides antiflamatórios e drogas e mais drogas, estou quase trocando toda medicação por minha cervejinha pois quando não tomava essas drogas e tomava minha cerveja sentia dores mas vivia bem mais feliz, agora eu tomo medicação e além das dores ainda tenho que conviver com os efeitos colaterais, Ninguem merece.

  • maria ignez:

    minha medica disse q com esses remedios,calcort,plaquinol 400, aravas de 20 inclusive esse aravasde 20 que eu nao poderia beber por causa do figado tanto que tenho que fazer todo mes exame de sangue e e bom salvar,nao tenho nada no figado.Obrigado pela atencao,aquardo resposta.
    Maria Ignez: a intenção da noticia é meramente curiosidade. Não é conveniente utilizá-la para alterar seu tratamento médico.

  • maria ignez:

    tomo calcorte o mai fraco 1 pela manha e meio a noite,tomotambem so meio de plaquino pois tive alergia esperamos que mais tarde eu possa voltar a tomar inteiro de ovo e ainda tomo tambem aravade 20.melhorei total das dores mas gostaria de saber se posso tomar umas ceveginhas pois amo e nao quero estragar o tratamento mas acho que nao vou aguentar pois sao mais ou menos 6 meses tenho 53 anos e depois que passei por tudo isso tenho muitasede de viver passei a dar mais valoir a vida.Agradeco e aquardo resposta.

  • maria ignez:

    Tomo calcort o ais fraco 1 a noite meio ao deitar durante o dia meio plaquinol,poitive alergia a um inteiro depois deuns 34 diastomando,pareca que estava com rubeula opor isso passei a tomar so metade de plquinol 400.minha medica quer introduzir mais um araca de 20 mligramas,i por dia ,enfim tudo isso para ver se continuo com o plaquinol sem dar alergia se tudo der certo ela tirando aos poucos o calcort. a pergunta e fazendo este tratamento posso beber? e se isto esta correto.diz minha medica que nao posso beber,e outros falao que pode.nao sou alcolatra mas gosto de tomar umas cerveginhas.obriga,aguardo resposta.

  • rusania machado:

    poder tomar uma cervejinha é bom,mas cuidado com a medicação

  • Lidia Lopez:

    tem um livro, de margareth Hill, que conta como ela se curou da artrite.(tem no Submarino). Vou tratar de provar o tratamento, pois desde os 36 sofro com essa doença, e tenho 54…e já experimentei tudo ou quase tudo o que existe….

  • Priscila Torres:

    Discordo quando diz, “apenas remédios que aliviam o sofrimento dos pacientes”.
    Não é correto afirmar isso, sendo que hoje temos uma diversidade de medicamentos Modificadores do Curso da Doença, que estão trazendo esperanças de Dias Melhores e Melhorando a Qualidade de Vida de nós, portadores de Artrite Reumatóide. Medicamentos esses, denominados por “Medicamentos Biológicos”, que na prática clínica tem levado pacientes a experimentarem completa remissão da doença. Por isso, existe sim, perspectiva de tratamento para a Artrite Reumatóide.

    http://www.artritereumatoide.blogspot.com

    Abç
    Priscila Torres

  • Jocafe:

    Eu sabia que a “mardita”servia para alguma coisa.
    Não vou sofrer de AR nunca.

  • Marcos:

    Esquecí de falar: não acho que seja uma doença hereditária, uma vez que nenhum, NENHUM parente meu tem AR – nem meus pais, nem meus avós (maternos e paternos) nem tios, primos, etc … Ninguém tem, só eu ! Sorte, né ?
    Abraços

  • Marcos:

    Ueeebbaaaa !!!
    Vou tomar (quase) todas !!!
    A AR pode ser desenvolvida por qualquer um de nós, em qualquer idade, ao contrário do que se pensava ser uma doença de idosos.
    A partir de uma contusão no pulso, em 1999, a AR se instalou mas tive sorte de ter sido diagnosticado logo e começado o tratamento em seguida. Graças a isso, levo uma vida normal, praticando esportes e sem dores nas articulações, a não ser raramente. Não acordo como descrito no texto mas devo ser minoria.
    Enfim, torçamos para a cura.
    Abraços e bom final de semana !

    • Lourdes Paes:

      Estou tratando ja ha dois anos da artrite reumatoide, agora estou sentindo dores no pescoço, pode ser sintoma da mesma?

Deixe seu comentário!