As 10 perguntas mais comuns e como ter um ótimo desempenho em uma entrevista de emprego

Por , em 19.01.2014

Quase todo mundo tem uma história de pergunta de entrevista de emprego meio esquisita, com perguntas inesperadas ou até mesmo ligeiramente inapropriadas. Isso costuma acontecer para que o entrevistador analise o seu processo de pensamento e esta oportunidade deve ser aproveitada para demonstrar seus valores, caráter e como você trabalha sob pressão.

Porém, felizmente, esses casos costumam ser exceções e a maioria das entrevistas costuma se desenvolver de maneira não muito fora do convencional. Por isso mesmo, é bom estar preparado para esse momento tão importante, tendo as respostas na ponta da língua. A revista econômica “Forbes” listou as 50 perguntas que mais aparecem nas entrevistas de emprego:

Perguntas de entrevista de emprego

1. Quais são os seus pontos fortes?
2. Quais são seus pontos fracos?
3. Por que você está interessado em trabalhar para nós?
4. Onde você se vê daqui a 5 anos? 10 anos?
5. Por que você quer deixar sua empresa atual?
6. Por que houve uma lacuna no seu emprego entre [data] e [data]?
7. O que você pode nos oferecer que outra pessoa não pode?
8. Quais são as três coisas que o seu ex-gerente gostaria que você melhorasse?
9. Você está disposto a mudar?
10. Você está disposto a viajar?
11. Conte-me sobre a realização da qual você mais se orgulha.
12. Conte-me sobre um erro que você tenha cometido.
13. Qual é o seu emprego dos sonhos?
14. Como você ficou sabendo sobre esta posição?
15. O que você procura realizar nos primeiros 30 dias/60 dias/90 dias nesta vaga?
16. Fale-me sobre o seu currículo.
17. Fale-me sobre a sua formação educacional.
18. Descreva-se.
19. Conte-me como você lidou com uma situação difícil.
20. Por que devemos contratá-lo?
21. Por que você está à procura de um novo emprego?
22. Você trabalharia em feriados/fins de semana?
23. Como você lidaria com um cliente nervoso ou irritado?
24. Quais são as suas exigências salariais?
25. Dê-me um exemplo de uma vez que você tenha se esforçado ao máximo por um projeto.
26. Quem são nossos concorrentes?
27. Qual foi o seu maior fracasso?
28. O que lhe motiva?
29. Qual é a sua disponibilidade?
30. Quem é o seu mentor?
31. Conte-me sobre alguma vez em que você não concordou com seu chefe.
32. Como você lida com a pressão?
33. Qual é o nome do nosso CEO?
34. Quais são seus objetivos de carreira?
35. O que faz com que você acorde de manhã?
36. O que seus subordinados diretos dizem sobre você?
37. Quais eram os pontos fortes e fracos dos seus chefes?
38. Se eu ligasse para seu chefe agora e lhe perguntasse uma área em que você pode melhorar, o que ele diria?
39. Você é um líder ou um seguidor?
40. Qual foi o último livro que você leu para se divertir?
41. O que o irrita nos seus colegas de trabalho?
42. Quais são os seus hobbies?
43. Qual é o seu site favorito?
44. O que faz você se sentir desconfortável?
45. Quais são algumas de suas experiências de liderança?
46. Como você demitiria alguém?
47. O que você mais e menos gosta neste setor de trabalho?
48. Você trabalharia mais de 40 horas por semana?
49. Quais perguntas eu não fiz?
50. Que perguntas você tem para mim?

Tendo essa lista em vista, as dicas abaixo vão te ajudar a estar mais preparado para quando se deparar com algumas destas perguntas.

Faça a lição de casa

“Uma das maiores queixas dos gerentes de contratação é que muitos candidatos de entrevistas de emprego sabem muito pouco sobre a empresa para qual estão se candidatando”, afirma Andy Teach, um veterano corporativa e autor do livro “From Graduation to Corporation: The Practical Guide to Climbing the Corporate Ladder One Rung at a Time” (em tradução livre, “Da graduação à Corporação: O Guia Prático da Escalada Corporativa Um Degrau de Cada Vez”).

Jogue no Google o nome da empresa para a qual você está sendo entrevistado e leia alguns dos artigos que surgem. Estude o site da empresa; conheça a sua missão, seus produtos e serviços, as suas posições e quem são seus principais executivos. Vá para a aba de Relações Públicas deste mesmo site e imprima alguns de seus últimos comunicados de imprensa. “Estude-os de modo que na entrevista você possa falar sobre o que está acontecendo com a empresa agora”, explica.

Prepare uma lista de perguntas prováveis

Shweta Khare, especialista em pesquisa de carreira e emprego, diz que, atualmente, obter uma lista das perguntas mais frequentes para uma entrevista é mais fácil do que nunca. “Você nunca pode subestimar a importância da preparação. É o primeiro passo e o mais importante “, garante ela.

Identifique o que a organização quer e precisa

“Embora o foco de ‘Por que devemos contratá-lo?’ (e outras perguntas de entrevista semelhantes) esteja no ‘você’, o entrevistado, é importante lembrar que a resposta não é só sobre você”, ressalta Miriam Salpeter, coach de busca de emprego, proprietária do site Keppie Carreers e autora de “Social Networking for Career Success” e “100 Conversations for Career Success” (“Redes Sociais Para o Sucesso da Carreira” e “100 Conversas Para o Sucesso da Carreira”, em tradução livre).

As respostas da entrevista mais bem sucedidas se concentram nas necessidades do gerente contratante. “Moldar respostas que demonstrem compreender os seus problemas, ou ‘pontos problemáticos’, faz uma grande diferença quando você está competindo com muitos outros candidatos qualificados”.

Prepare-se identificando as habilidades que os empregadores estão procurando. “Use a fundo as descrições da vaga, veja vídeos que os empregadores postam sobre a sua organização e visite suas páginas no Facebook e Twitter”, ela sugere.

Busque seu nome no Google

Descubra o que a empresa sabe sobre você, Teach acrescenta. “Veja o que eles vêem. Se há algo negativo sobre você, tenha uma resposta pronta a respeito de porque aquilo é negativo, mas não fique muito na defensiva. Responda e, em seguida, siga em frente”.

Entreviste a você mesmo

Antes de cada entrevista, pergunte a si mesmo: “Por que eu me encaixo bem neste trabalho?”. “Digo aos meus clientes para colar a pergunta ‘Por que devemos contratá-lo?’ em seu espelho do banheiro, geladeira ou em qualquer lugar que eles vão vê-la durante o dia”, ensina Salpeter. “Eu os instruo a responder, em voz alta, mantendo diferentes empresas em mente de cada vez. Ensaiar desta forma irá ajudá-los a aprimorar a resposta para ‘O você tem para oferecer?'”.

Identifique o que é único ou especial sobre você. Como você foi além do esperado para realizar suas tarefas? O que você conseguiu que ninguém mais conseguiu fazer? Você se ofereceu para resolver um problema e conseguiu solucioná-lo? “Não subestime o valor de olhar para si mesmo, suas habilidades e suas realizações e delinear os pontos-chave que você vai querer compartilhar com um potencial empregador”.

Pratique e planeje

Ensaie respostas a perguntas típicas de entrevistas com um amigo, colega ou coach, diz Anita Attridge, membro do Five O’Clock Club e coach de executivos. “Esteja preparado para as perguntas típicas de entrevistas pensando sobre o que sua resposta seria antes da entrevista”, acrescenta.

“Mesmo se você é um recém-formado, muitos centros de carreira universitária irão realizar entrevistas simuladas para ajudar ex-alunos”, garante Tech. “Peça que a entrevista seja filmada para que possam te criticar e estudar a gravação. Não se preocupe se você estiver nervoso ou fizer alguma bobagem. É bem melhor que você estrague uma entrevista simulada do que uma real”.

Você não deve necessariamente memorizar as respostas, mas tente ter uma estratégia geral para responder às perguntas da entrevista mais comuns. “Hoje, muitas organizações estão usando perguntas da entrevista comportamental para entender melhor o que você fez”, conta Attridge. “Eles geralmente começam com ‘Conte-me sobre uma situação em que…'”, ao que a profissional sugere que o entrevistado descreva brevemente qual era a situação, como você lidou com ela e qual foi o resultado.

Para se preparar para estes momentos, você vai querer pensar sobre as histórias de experiência no local de trabalho que descrevem as suas realizações ou mostrem como você lidou com uma situação difícil, explica Khare. “Se você não tem alguma história que você pode lembrar agora, reserve algumas horas para pensar e escrever pelo menos duas ou três histórias. Uma pergunta simples como ‘Conte-me sobre uma vez em que você cometeu um erro’ pode pegá-lo de surpresa e não é algo fácil de lembrar sem ensaiar. Ter um repositório de histórias de experiência de trabalho escritas antes de uma entrevista fará com que fique mais fácil lembrar delas”.

Reflita sobre entrevistas anteriores

Mantenha no computador ou por escrito um registro de suas entrevistas, orienta Teach. “Tenha um registro da época de suas entrevistas, por quanto tempo elas duraram, suas impressões sobre o gerente contratante, e, talvez o mais importante, quais perguntas foram feitas a você e qual resposta você deu. Também registre todas as perguntas que lhe foram feitas que você sentiu que poderia ter respondido de forma diferente”. Estude esses elementos e suas habilidades de entrevista vão melhorar, garante ele.

Descubra como articular seus objetivos

A maioria das perguntas mais frequentes durante uma entrevista ou investiga sua experiência anterior ou quer explorar seus objetivos futuros, afirma Khare. “Prepare-se, articule seus objetivos e seja honesto. Respostas inconsistentes não vão te dar o respeito e a credibilidade, que são uma obrigação para impressionar o entrevistador”.

Seja positivo

Ao se preparar para uma entrevista e antecipar prováveis ​​perguntas, tente responder a todas as perguntas de forma positiva. “Mesmo se você estivesse em uma situação ruim, pense sobre como você pode falar sobre a situação de forma positiva”, ensina Attridge. Você sempre tem uma escolha. É tudo sobre o seu ponto de vista, e em uma entrevista ser otimista conta.

Nunca diga nada negativo sobre seus empregadores anteriores ou chefes – não importa o quão ruim a situação possa ter sido. “Uma resposta negativa, na verdade, é um reflexo sobre o seu julgamento e visão de negócios, e não sobre aquele empregador ou gerente”.

Sinta-se confortável

“Deixando a preparação e os ensaios de lado, a dica mais importante que eu gostaria de sugerir aos candidatos a emprego é sentir-se confortável com o processo de entrevista”, aconselha Khare. “Você pode ler todos os conselhos do mundo sobre se sair bem na entrevista, mas nenhuma destas táticas vai funcionar se você não for você mesmo durante o processo”.

Sentir-se confortável e relaxado influencia positivamente a sua confiança. “E os entrevistadores sempre apreciam um candidato relaxado e confiante, ao contrário de alguém nervoso”, acrescenta. Pratique acalmar seus nervos e se concentre em como você pode provar que você seria um trunfo valioso para a empresa.

“Conte-me sobre você”

Apesar de esta frase não ser exatamente uma pergunta, respondê-la da maneira errada pode realmente prejudicar suas chances de conseguir um emprego, diz Teach. “Certa vez, um executivo de RH me disse que isso pode realmente ser uma pegadinha. Gerentes contratantes não podem fazer algumas perguntas legalmente, mas se você sair pela tangente ao responder, você pode lhes dizer algumas coisas sobre você que são melhores quando não ditas”.

A pior maneira de abordar esta solicitação é com a sua história de vida, o que é algo que a companhia definitivamente não está interessada. Já a melhor maneira de abordar esta questão é apenas discutir quais os seus interesses relativos ao trabalho e por que sua bagagem faz de você um grande candidato.

“Quais são os seus pontos fortes e fracos?”

É fácil falar sobre seus pontos fortes: você é detalhista, dá duro, trabalha bem em equipe, etc, mas também é fácil tropeçar quando se discute seus pontos fracos, conta Teach. Nunca fale sobre uma fraqueza real, a menos que seja algo que você já superou. “Muitos gerentes de contratação são imunes às respostas muito usadas, tais como: ‘Bem, a minha maior fraqueza é que eu me dedico muito ao trabalho, então eu preciso tentar pegar mais leve de vez em quando’. A melhor resposta é discutir uma fraqueza que você superou, como quando você costumava se atrasar muito para o trabalho, mas depois de seu supervisor ter explicado por que era necessário que você entrasse na hora certa, você nunca mais se atrasou”.

“Onde você quer estar daqui a cinco anos?”

“O que os empregadores estão realmente perguntando é: ‘Este trabalho está ao menos perto do seu plano de carreira? Você está apenas se candidatando a este trabalho porque você precisa de alguma coisa? Os seus planos de carreira a longo prazo são semelhantes ao que vemos para este cargo? Quão realista são as suas expectativas para a sua carreira? Você já pensou sobre a sua carreira a longo prazo? Você vai sair depois de um ou dois anos?'”, enumera Sara Sutton Fell, CEO e fundadora da rede FlexJobs.

Mostre a eles que você já fez uma autoavaliação e planejou sua carreira. Deixe-os cientes de que você espera desenvolver-se profissionalmente e assumir responsabilidades adicionais naquela determinada empresa. “Não diga algo ridículo como, ‘Eu não sei'”, instrui ela.

Teach diz que ninguém pode saber onde estará em sua carreira daqui a cinco anos, mas os entrevistadores querem ter uma noção de seu compromisso com o trabalho, a empresa e a indústria. “Na verdade, eu até mencionaria que é difícil para você saber o cargo que você pode alcançar daqui a cinco anos, mas que o ideal é que você gostaria de ter subido alguns degraus nesta empresa com base no seu desempenho. Que você está esperançoso de estar em algum cargo de gestão e seu objetivo é ajudar a empresa de qualquer maneira que puder”. Se você dá a impressão de que este trabalho é apenas um trampolim para você, é improvável que o gerente se interesse por você.

“Por que você quer trabalhar para esta empresa?”

Esta questão é um ponto definitivo, pois os contratantes querem ver alguém que claramente tem uma paixão pela missão e os objetivos da empresa. Os candidatos a emprego devem dar uma resposta que é ao mesmo tempo bem pesquisada e de coração. Passe algum tempo aprendendo sobre a companhia antes da entrevista e tenha em mente as coisas com as quais você está mais intrigado. O que te atraiu para a empresa em primeiro lugar? Como você se vê encaixado na cultura da corporação? E que tipo de impacto que você quer fazer no trabalho?

Attridge acredita que isso está se tornando uma questão cada vez mais importante nas entrevistas, já que os empregadores querem encontrar pessoas que estão interessadas em sua empresa e não apenas em qualquer trabalho, em qualquer lugar.

Teach diz que há dois componentes para esta pergunta. “O primeiro componente diz respeito à forma como a empresa irá ajudar o candidato. Você menciona ao entrevistador que você pesquisou muitas empresas e sentiu que esta é a melhor, e então indica as razões por que você acha isso”, explica. “Pode ter a ver com a sua reputação, seu sucesso financeiro, a sua classificação entre os principais lugares para se trabalhar, como eles treinam seus funcionários, etc. Importante: você precisa saber os produtos e serviços de trás para frente e dizer ao gerente contratante por que você acha que estes produtos e serviços são os melhores e como você quer trabalhar para o melhor na indústria”. Mencione alguns executivos-chave da empresa e fale sobre como você está impressionado com o seu histórico.

“O segundo componente relaciona-se com a maneira como você, como um empregado, irá ajudá-los”, prossegue. O principal é falar como aquela companhia vai permitir que você exiba seus pontos fortes ao máximo porque seus objetivos estão alinhados com os objetivos deles. Fale sobre como você acha que eles irão fornecer o melhor ambiente para que você possa se ​​destacar que, de uma forma pequena, vai ajudá-los como uma empresa chegar ao próximo nível.

Salpeter aconselha que o candidato tenha certeza de que sua resposta está em consonância com o trabalho e se concentra no que você tem a oferecer, e não especificamente sobre o que você quer.

“Qual é o seu emprego dos sonhos?”

Quando você menciona qual seria o seu emprego dos sonhos, ele não necessariamente tem que ter um título específico ou estar com uma empresa específica, garante Teach. “Quando você menciona como seria o seu emprego dos sonhos, deve ser sobre o tipo de trabalho que você estaria fazendo, o calibre das pessoas com quem você estaria trabalhando, o tipo de reconhecimento que se obtém (incluindo ser promovido quando é merecido), quanto você estaria contribuindo para o seu departamento e para a empresa, e do tipo de trabalho pelo qual você fica ansioso todas as manhãs. É um trabalho que utiliza a sua educação e habilidades ao máximo possível. O seu emprego dos sonhos é aquele que define você, que lhe dá validação e realização pessoal. Um emprego dos sonhos é um trabalho que você ama e pelo qual você é grato a cada dia. Talvez o melhor de tudo, ele não é um trabalho para você. É uma carreira”.

Attridge concorda. Ela diz que esta questão oferece uma grande oportunidade para falar sobre como você gostaria de usar suas habilidades e conhecimentos em vez de falar de um trabalho real. “Por exemplo, você pode dizer: ‘Eu gosto de fazer as organizações mais eficientes. Meu emprego dos sonhos seria aquele em que eu poderia usar a minha liderança, poder de análise e habilidades de gestão de pessoas para aumentar a eficácia de uma organização'”.

“Por favor, me dê um exemplo de um momento em que você teve um problema com um supervisor/colega de trabalho e como você abordou este problema”

“Eu acho que a coisa mais difícil do trabalho não é o trabalho,mas sim os colegas”, opina Teach. A maioria dos funcionários tem um problema com um supervisor ou colega de trabalho em algum momento de sua carreira. Como eles lidam com esse problema diz muito sobre suas habilidades pessoais. Se você explicar para o entrevistador que você foi capaz de superar um problema com pessoas no trabalho, isso vai certamente ajudar nas suas chances de conseguir o emprego.

“Quais são as suas exigências salariais?”

“O que os empregadores estão realmente perguntando é, ‘Você tem expectativas realistas quando se trata de salário? Será que estamos na mesma página ou você vai querer muito mais do que podemos dar? Você é flexível quanto a este ponto, ou é a sua expectativa é imutável?'”, lista Sutton Fell.

Tente evitar responder a esta pergunta na primeira entrevista, porque você pode se enganar com isso, orienta Teach. Diga ao gerente de contratação que, se eles o estão levando seriamente em consideração, você poderia dar-lhes uma gama salarial, mas, se possível, deixe que eles façam a primeira oferta. Pesquise na internet para ter uma ideia do que a posição deve pagar. “Não necessariamente aceite a primeira oferta”, acrescenta. “Pode haver espaço para negociar”.

Quando chegar a hora de dar um número, não se esqueça de levar a sua experiência e os níveis de educação em consideração, lembra Sutton Fell. “Além disso, considere a sua região geográfica, uma vez que o salário varia conforme a localização”. Fale em faixas salariais ao dar números e mencione que você é flexível nesta área e também que você está aberto a benefícios. “Seja breve e direto ao ponto, e esteja confortável com o silêncio que pode vir depois”.

“Por que você está deixando seu emprego atual?”

Gerentes de contratação querem saber a sua motivação para deixar o seu trabalho atual. Você é um oportunista apenas à procura de mais dinheiro ou você está procurando um emprego que espera que vá se transformar em uma carreira? Se você está indo embora porque você não gosta do seu chefe, não fale negativamente sobre ele – apenas diga que você tem diferentes filosofias de trabalho, Teach ensina. Se o trabalho era chato para você, basta mencionar que você está procurando uma posição mais desafiadora. “Discuta os aspectos positivos que saíram de seu trabalho mais recente e se concentre em por que você acha que esta nova posição é ideal para você e por que você vai ser uma grande adição para a empresa”.

Se você já deixou seu emprego anterior (ou foi demitido), Sutton Fell sugere o seguinte: “Se você foi demitido, não fale mal do seu último chefe ou empresa. Diga que infelizmente eles precisaram se desfazer de você, que você entende o raciocínio deles e você reconheceu áreas em que precisa melhorar e, em seguida, diga-lhes que você vai ser um empregado melhor por causa disso. Se você pediu demissão, não entre em detalhes sobre a sua infelicidade ou insatisfação. Em vez disso, diga-lhes que, enquanto você valorizou a experiência e educação que recebeu, sentiu que tinha chegado o momento de buscar uma nova oportunidade, para expandir suas habilidades e conhecimentos, e para encontrar uma empresa com a qual você pode crescer”.

“O que você pode nos oferecer que outra pessoa não pode?”

“Este é o momento no qual você resume todas as suas habilidades em 30 segundos, algo digno de um discurso de elevador”, simplifica Teach.

Salpeter diz que a melhor abordagem é estar preparado com detalhes sobre o que a empresa quer. “Dê exemplos de como você tem resolvido problemas, superou desafios e alcançou itens que têm a ver com o que a companhia vai precisar que você ofereça. Você pode ou não ser capaz de chegar a algo específico que você tem a oferecer que outra pessoa não faz, mas se você está preparado e sabe o máximo possível sobre a organização, você terá uma melhor chance de criar uma forte ligação”.

Não se esqueça de considerar os pontos intangíveis que podem o diferenciar, se você realmente não tem nada relacionado a habilidades para descrever para esta pergunta. “Às vezes, a paixão, o forte interesse e a emoção podem ajudar a sua causa. No entanto, tenha certeza de que não pode contar com o seu forte interesse às custas de se concentrar em suas habilidades e conhecimentos”.

“Por que devo contratar você?”

Um gerente contratante pode não fazer esta pergunta diretamente, mas cada pergunta que você responder na entrevista deve contribuir para ajudá-lo a entender por que você é a melhor pessoa para o trabalho. “Mantenha-se focado sobre o porquê de sua bagagem faz de você um candidato ideal e diga-lhes como você irá contribuir para o departamento e a empresa”, reafirma Teach. “Deixe o entrevistador ciente que um dos seus objetivos é fazer com que o trabalho dele seja mais fácil ao assumir tanta responsabilidade quanto possível e que estará animado para este trabalho desde o primeiro dia”.

Salpeter sugere que você imprima e destaque a descrição do trabalho, focando nos três ou quatro detalhes mais importantes. “Eles incluem termos como ‘equipe multifuncional’, ‘trabalho em equipe’ e ‘bom membro de equipe’ várias vezes?” Se assim for, a sua resposta para “Por que devemos contratá-lo?” (perguntado diretamente ou como uma questão subjacente) deve mencionar e se concentrar em suas habilidades relacionadas a equipes, e assim por diante. [Forbes]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

5 comentários

  • Saprugo:

    Prefiro trilhões de vezes rachar de estudar e passar entre as vagas em um concurso público, que eu sei que é meu sem a necessidade de puxação de saco ou fingimento, do que dar uma de ator para agradar um zé-remela que acabei de conhecer (e que na maioria das vezes é arrogante e imbecil) para ganhar um emprego como se fosse um favor. Para a iniciativa “privada” eu já puxei a descarga faz tempo…

    • Marcelo Ribeiro:

      Funcionalismo público é o sonho de todos aqueles que não querem mais trabalhar.

    • Marcelo Ribeiro:

      Funcionalismo público é o sonho de todo brasileiro. Não importa o quão incompetente o empregado seja ele não pode ser demitido.

    • Saprugo:

      Vagabundo existe em todos os setores, mas é óbvio que o funcionalismo público é muito mais suave e sem stress de trabalhar, mas me diga, qual o trouxa nesse mundo quer ser explorado? Agora se você gosta de ser esfolado e explorado, sem nunca ter garantia de que acordará amanhã empregado, continue na privada, é melhor mesmo, pois diminui a concorrência nos concursos, rsssss… a tua opinião puco me importa meu chapa, tenho um bom emprego, um bom salário e vou continuar fazendo concursos para conseguir empregos melhores ainda… agora vá colocar sua roupinha social e decorar suas frases prontas na frente do espelho para sua entrevista de emprego vá…

    • André Luís Gabrialovitch:

      Concordo contigo em tudo! Infelizmente ainda dependo da iniciativa privada para financiar meus estudos para concursos públicos 🙁 .

Deixe seu comentário!