É oficial: assistir animais fotos faz bem para a saúde, descobre estudo

Por , em 3.10.2020Quokkas

Agora você tem um bom pretexto para assistir filhotinhos fazendo peripécias no YouTube.

Ver animais fofos ​​realmente ajuda a diminuir os níveis de estresse nas pessoas, descobriram cientistas da Universidade de Leeds na Inglaterra.

E não precisamos ter contato direto para que haja um impacto positivo na vida real em nosso bem-estar.

Em parceria com a Tourism Western Australia, a Universidade de Leeds investigou qual o impacto na fisiologia e psicologia humanas de animais “fofos” usando alunos e colaboradores da instituição como voluntários.

A declaração afirma que 19 participantes foram assistiram a uma apresentação de slides de 30 minutos que incluía fotos e vídeos curtos de uma variedade de animais, incluindo o icônico marsupial da Austrália, o quokka.

15 dos 19 participantes deveriam fazer um exame 90 minutos após assistir à apresentação de slides. Os quatro participantes restantes eram colaboradores que declararam se sentir estressados ​​no trabalho.

A frequência cardíaca de cada voluntário reduziu depois de ver imagens e vídeos de animais fofos por apenas 30 minutos.

A média da pressão arterial média (PA) de todos os voluntários também caiu: de 136/88 para 115/71, movendo a média do grupo para dentro da faixa de pressão arterial ideal.

Os participantes que assistiram à apresentação de meia hora e responderam a 20 perguntas para que os pesquisadores pudessem avaliar os níveis de estresse.

Em casos individuais, os níveis de ansiedade caíram quase 50%: mostrando que ver animais fofos pode ser um poderoso tranquilizante de estresse que melhora muito o humor.

Na verdade, em todas as medidas, houve uma queda na ansiedade e no estresse como resultado de assistir à curta apresentação de slides.

Então, o que é melhor: imagens de animais fofos, vídeos ou coisas reais?

A Dra. Andrea Utley, que coordenou o estudo, comentou: “Parece que as imagens atraem, mas os vídeos são mais significativos e, portanto, eu esperaria que a proximidade física [com os animais] fosse ainda melhor”.

Deveria haver oito sessões no total, mas por causa da pandemia, o restante foi adiado. De acordo com a CNN, Utley está procurando opções online para que o estudo possa continuar.

Último vídeo do nosso canal: A Terra não orbita exatamente o sol mas um ponto virtual no espao

Deixe seu comentário!