Buraco misterioso na Sibéria: o retorno?

Por , em 25.07.2014

Há algumas semanas, publicamos aqui no HypeScience um artigo intrigante que falava do aparecimento de um buraco misterioso na Sibéria. Se você não leu ainda, clique neste link para acessar a sua segunda chance!

O negócio é realmente muito bizarro e assustador. Como falamos no outro artigo, é um fato tão desconhecido, pelo menos a primeira vista, que gera uma série de explicações curiosas e inusitadas, desde especulações mais prováveis – como derreamento de geleiras em face ao agravamento do aquecimento global – a paranormais, como extraterrestres e por aí vai.

Mas, se um raio não cai duas vezes no mesmo lugar, o mesmo não podemos dizer sobre esse buraco misterioso na Sibéria. Nessa semana, alguns pastores de renas descobriram mais um caso, um novo buraco tão misterioso quanto o antigo, a 30 km de distância do outro.

O mais novo buraco misterioso na Sibéria

Localizadas em uma região siberiana chamada Yamal, onde há gelo permanente no subsolo, e que significa “fim do mundo” na língua local do povo Nenets, ambas as crateras parecem ter sido formadas nos últimos anos e têm lagos gelados em suas bases.

Os cientistas que examinaram o primeiro buraco formularam a teoria de que ele poderia ter sido criado quando uma mistura de água, sal e gás explodiu no subsolo. Isso faz todo sentido, principalmente pela descoberta de que a área possui um dos mais ricos depósitos de gás natural da Rússia. Como era coberta pelo mar cerca de 10.000 anos atrás, depósitos de sal vastos foram deixados para trás.

De acordo com um especialista do Centro de Pesquisa de Sub-Ártico em entrevista ao jornal The Moscow Times, o aquecimento global está causando um derretimento alarmante no gelo do subsolo, liberando gás e causando um efeito que se compara ao estouro de uma rolha de champanhe.

Dimensões

O primeiro buraco tem aproximadamente cerca de 50 metros de largura e 70 metros de profundidade. Já esse segundo buraco misterioso na Sibéria é “exatamente” como o primeiro, só que muito menor. “Dentro da própria cratera, dá para ver neve”.

Será que semana que vem aparecem mais? [Moscow Times, from quarks to quasars]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

3 comentários

  • Alziro Cezar Mariano Pereira:

    Testes subterrâneos de armamentos nucleares ..

  • Reginaldo Ferrão:

    Deve ter havido outro buraco mesmo. Mas usaram a foto do primeiro.

  • Alberto Faria da Silva:

    Não se trata de novo buraco. É o mesmo anterior. Basta que se olhem as características do solo adjacente nas duas imagens.

Deixe seu comentário!