Cartazes publicitários “descobrem” a idade e o sexo dos consumidores

Por , em 19.07.2010

A cidade de Tóquio está parecendo cada vez mais futurista. Você se lembra do filme Minority Report, com Tom Cruise, no qual as propagandas vinham equipadas com scanners de retina e podiam ter acesso à sua identidade, se dirigindo diretamente a ele? O material publicitário de Tóquio está equipado com um sistema que pode identificar a idade e o sexo dos passantes.

Enquanto alguns acreditam que isso seja uma violação da privacidade, os publicitários acreditam que, da mesma forma que a internet usa seus interesses para filtrar os anúncios que possam lhe interessar, essa identificação também seria uma maneira de selecionar os consumidores interessados.

O projeto, chamado Digital Signage Promotion, foi lançado no mês passado, por 11 companhias que controlam os metrôs da cidade. Segundo representantes dessas empresas, os anúncios podem identificar o sexo e a idade das pessoas, mesmo que elas não parem em frente a eles e só passem em sua direção.

Sendo assim as estações ofereceriam anúncios que seriam mais interessantes para cada pessoa. E você? Acha uma boa idéia ou acha que esses anúncios seriam uma violação de sua privacidade? [DailyTech]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

6 comentários

  • samuel:

    Cesar
    Não só pela forma de andar, aqui mesmo já mostrou uma matéria onde falava que era possível identificar o sexo de uma pessoa por pigmentos da pele, mais pigmentos vermelhos se trata de um homem e mais pigmentos verdes é uma mulher.
    Agora a idade deve ser pela textura da pele, quanto mais lisa mais nova é a pessoa.
    Com certeza não é um exemplo de precisão.
    Não conheço o sistema, pura suposição lógica.

  • CyberMandrake:

    @Locutor: Tela azul da morte (BSOD)!

  • Locutor:

    E se 2 pessoas de idades e sexos diferentes parassem em frente ao outdoor ao mesmo tempo, o que será que aconteceria?

  • Cesar:

    A grande pergunta que não foi respondida é “como os cartazes identificam o sexo e a idade”? Imagino que ele simplesmente filme você e pela forma de andar deduza isto. Não precisa nem mesmo ser uma filmagem em alta definição, acho que só de ver o vulto já dá para fazer uma inferência.

  • Davi Dalben:

    Violação de privacidade, não, já que qualquer bom vendedor muda seu discurso de acordo com o possível cliente que tem à frente.

    O problema é se o out-door errar na identificação e provocar alguma situação constrangedora. Prato cheio para os advogados!

  • Giovani Raci Paganini:

    Impressionante, mas penseo que as propagandas iriam ficar bem confusas se mudassem varias vezes.

Deixe seu comentário!