Clonagem de animais: porque é tão controversa?

Por , em 14.06.2011

Nos EUA, desde 2008 a venda de carne e leite de animais clonados para dar maiores rendimentos é aprovada pela Administração de Alimentos e Drogas. Os produtos são considerados seguros para o consumo humano.

A venda desses produtos também deve ser aprovada na Grã-Bretanha. No entanto, a tecnologia continua a enfrentar a oposição firme de vários grupos. As críticas incluem alegações de que a pesquisa sobre a segurança do consumo de produtos de origem de animal clonado é insuficiente, e o argumento de que animais clonados passam por grande sofrimento.

A Associação do Solo, que promove alimentação e agricultura biológica, disse em uma carta que a falta de investigação sobre a “toxicidade e alergenicidade” de produtos clonados é “particularmente preocupante”.

A associação acrescentou que “também se opõe ao processo de clonagem, porque ele é prejudicial para o bem-estar animal”. Segundo o grupo RSPCA, o processo de clonagem “envolve procedimentos científicos que podem causar dor, sofrimento e angústia para os animais”, o que o torna impróprio para “propósitos frívolos”.

O grupo afirma que menos de 5% dos embriões clonados sobrevivem até o nascimento, e os que nascem muitas vezes apresentam anormalidades e tempo reduzido de vida.

Já os geneticistas disseram que a clonagem é essencialmente “uma extensão do processo pelo qual os gêmeos surgem na natureza” e, portanto, não suscita preocupações de segurança especial em termos de consumo humano.

Jim Paice, ministro do alimento e da agricultura britânico, disse que o governo, juntamente com a Comissão Europeia, considera desnecessária a proibição da venda de alimentos de animais clonados no Reino Unido.[Telegraph]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

13 comentários

  • xico:

    Os meios que usamos para matarmos animais, criarmos animais, transportá-los, são incorretos! E quanto menos carne consumirmos melhor será. E outra já pararam para pensar em carne de vitela, em métodos ridiculos usados para termos uma carne mais macia mais isso mais aquilo.. ah vão se fu… só pensam em vcs e não tem moral nenhuma.. eu como carne mas sou totalmente contra esses tipos de métodos, e axo q eu nao sou o culpado por consumir os culpados são os governos que permitem, as pessoas q não apoiam que isto teja um fim.

  • Eddy:

    Provar sensações?
    Hum… provar!!! Que conceito tão relativo.
    Sua mãe te ama/amou? Prove!?
    Sua esposa goza/ou? Prove?
    Você já foi a um matadouro?

    Me lembra Dizzy Gillespie respondendo quando perguntaram-lhe: “O que é o Jazz?” Respondeu: “Se ainda tens que perguntar, nunca saberás?”
    Veja primeiro esse filme, as imagens são suficientes (não precisa falar inglês) se ainda tens que perguntar se eles sentem, diga-me por favor:

    http://www.unleashed.org.au/features/earthlings/

    Como dizem ali, existem varias fases para uma verdade:
    Primeira – Ridicularização
    Segunda- Violenta Oposição
    Terceira – Aceitação

    Para o Tigrão que parece estar na primeira fase quando se compara com um tigre, etc. eu tenho essas perguntas:
    Sabes quantas pessoas podes alimentar com o espaço que uma vaca necessita para se alimentar com pasto?
    Sabes quantos %s da produção mundial de alimentos é destinada para alimentar os animais que comemos?
    Sabe quantos metros cúbicos de gás/peidos gera as vacas do mundo?
    Você já foi a um matadouro?
    Você já comeu um hambúrguer feito no Alto de La Paz Bolívia?

    Também aconselho ver o filme, porque já não precisas ignorar aquilo.

    Renato, o problema do mundo não a quantidade de gente. “O planeta tem condições de alimentar a todos”, o que falta é distribuição. Isso é bastante conhecido com frases célebres até mesmo a que completa essa com: “O que o planeta não têm condições é de alimentar a luxúria de uns poucos.”
    Veja o filme e diga-me se parece ética essa “produção animalesca”?
    Sem dúvida que com menos gente até poderia continuar criando e comendo animais (quem quiser). Mais estamos crescendo sim. Ou nos adaptamos, evoluímos de maneira sustentável, ou puffff, terminou o barato de ser ignorante somente porque é mais fácil. Mais fácil ser desin-formado pela TV.

  • Pedro:

    E vocês acreditam em quem vos conta que a carne é segura? Força…

  • LEONARDO:

    eu gosto de carne mas fazer isso não né

  • bruno:

    se estas pessoas ou seus filhos passassem fome, como populações inteiras de países miseráveis passam, duvido que iriam vir com estas falácias.

  • Guilherme Euripedes:

    Melhor mesmo é assumir que a Indústria da Pecuária/Avícola e afins é podre e nos torna podre e especista.

    Criar um animal de forma que ele não tenha uma vida natural para somente usá-los como produtos é Eticamente incorreto, Ecologicamente incorreto, Economicamente incorreto, Socialmente incorreto e Moralmente incorreto.

    Só gostaria que fosse Legalmente incorreto.

  • Cesar:

    Melhor deixar o boi viver naturalmente, tendo que procurar comida, com medo de predadores, etc. “Angústia e sofrimento”… Algum deles já provou que os animais sofrem alguma angústia e sofrimento por causa dos procedimentos científicos da clonagem?

    • Érico Polo:

      Concordo. Provar sensações, mesmo entre organismos de uma mesma espécie e mesma linguagem, é algo realmente complicado. Filosoficamente, eu diria, até mesmo impossível. Mas provar a ausência delas pode ser tão difícil quanto, especialmente quando se trata de organismos com um grau de parentesco tão próximo ao nosso. A (bio)ética deve, casuisticamente, caminhar também sobre esta terra incógnita.

  • Rodrigo Paim:

    Com a demanda por comida aumentando dramasticamente, em especial nos países desenvolvidos, qualquer coisa que aumente a produção, de forma segura, é válida.

    Não teria nenhum problema em comer carne clonada, desde que tivesse certeza que é segura.

    • Érico Polo:

      E se a demanda aumentar ad infinitum? Até que ponto “QUALQUER COISA [caps meu] que aumente a produção” continua sendo “válida”?

  • Eddy:

    Considerando que comer carne é completamente insustentável economicamente e ecologicamente incorreto. Sem falar que eticamente é completamente questionável e em termos de saúde absolutamente impróprio… somente falta acontecer que descubramos que por alguma curiosa razão comer carne de animais ultrajados abra a porta ou dê direito para que outras raças mais avançadas tecnologicamente possam comer os seres humanos também como parte da dieta. Já pensou nisso!!!? Vale fazer piadas!!!!

    Sem falar que o homem utilizando sua grande ignorância (porque o que não sabemos é maior do que sabemos), toma decisões que alteram certos níveis de organização celular e no ADN como se fosse um grande sábio que controla COMPLETAMENTE TODAS as variáveis que estas mudanças possam ocasionar no futuro ou nos organismos que às absorvem.
    Não é pretensão não… É LOUCURA ENFOCADA EM LUCRO MESMO!!!!

    PORÉM LOUCURA MAIOR É O SILÊNCIO!!!!

    Ass: Vaca não tã Louca

    • Jorjão:

      Comer carne é insustentável economicamente?? Ecologicamente incorreto? Então os leões, tigres, leopardos, e todos os animais que se encontram no topo da cadeia alimentar são ecologicamente incorretos?

      Com todo respeito, isso não tem o menor cabimento. Dizer que comer carne é errado é piada. SEMPRE comerei carne. ADORO churrasco e não há nada de errado nisso.

    • Renato Kami:

      eu discordo, se comer carne fosse tão “insustentavel” e anti-ético assim n existiriam carnivoros e nem seriamos onivoros…o que é insustentavel e anti-ético é a humanidade se proliferar tão desenfreeadamente

Deixe seu comentário!