Discurso de líderes religiosos pode ajudar na preservação da biodiversidade do planeta

Por , em 10.09.2013

Os líderes religiosos espalhados pelo planeta podem ajudar muito na preservação da natureza. Pesquisadores da Universidade Sueca de Ciências Agrícolas (SLU), na Suécia, defendem que líderes religiosos podem ter um papel determinante se influenciarem seus seguidores a cuidarem do meio ambiente.

Um novo estudo mostra que sempre que os líderes religiosos desejavam alguma mudança ao longo da história, eles estavam em uma posição ideal para influenciar as pessoas – e podem fazer o mesmo em relação à preservação do meio ambiente.

Os pesquisadores analisaram quais são as áreas com maior biodiversidade no mundo e quais são as religiões mais seguidas em cada uma dessas regiões. “Nossa análise indica que a maioria das áreas mais importantes se encontra em países dominados pelo cristianismo, especialmente pelo catolicismo romano”, conta Grzegorz Mikusinski, pesquisador da SLU que coordena o estudo.

Além da religião católica romana, que influencia amplamente países latino-americanos, outras religiões de grande influência em locais importantes para a biodiversidade são o budismo (sudoeste asiático), hinduísmo (Índia) e islamismo (Ásia menor, nordeste e centro da África).

Os pesquisadores acreditam que membros de grupos religiosos podem começar a se preocupar mais em conservar a natureza se forem guiados por discursos morais de preservação dos recursos naturais para as próximas gerações.

A maioria das religiões sempre pregou atitudes moralmente boas, e durante séculos mostram para as pessoas o que seria certo e errado de acordo com valores morais. Mikusinski acredita que os líderes religiosos têm o potencial de fazer “milagres” nos locais de grande biodiversidade a partir de seus discursos.

Os resultados do estudo mostram que os católicos romanos são os que têm o maior potencial de preservar a diversidade biológica onde vivem. A Igreja Católica acaba de eleger o papa Franscico, que tem um nome associado ao “santo verde” do catolicismo, Francisco de Assis – o santo padroeiro da ecologia. Os pesquisadores esperam que o papa e outros líderes religiosos se envolvam ativamente no debate sobre a conservação da natureza. Embora a ciência e a religião vivam em conflitos, a união entre as duas áreas pode ser muito importante para o futuro do planeta. [ScienceDaily]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

2 comentários

  • Silvia Sato:

    Qualquer ser humano, independente da religiao, deve ser consciente da importância da preservaçao da natureza. Desde sempre. Índios, por ex., originariamente ñ pertencem a nenhuma dessas religioes, e preservam a natureza e a idolatram, pelo menos antes de serem “catequizados”…

    • Cesar Grossmann:

      Não sei, Silvia, até que ponto os indígenas tem consciência ecológica ou simplesmente incapacidade de realizar danos maiores — por que são poucos e praticam uma economia de subsistência, com pouco ou nenhum comércio, e indústria artesanal mínima. É certo que a natureza faz parte da religião indígena, mas este é um traço de todos os povos que vivem em uma civilização semelhante.

Deixe seu comentário!