Elemento superpesado é descoberto e preenche buraco na tabela periódica

Por , em 6.04.2010

Físicos dizem terem sintetizado o elemento 117, a última descoberta na busca pelos elementos superpesados de laboratório.

Cientistas da Rússia conseguiram juntar o cálcio-48 (um isótopo com 20 prótons e 28 neutrons) e o berkelium 249 (que tem 97 prótons e 152 neutrons) criando dois isótopos diferentes de um elemento com 117 prótons.

A maioria dos elementos mais pesados do que o urânio, que tem 92 prótons, não existem estavelmente na natureza e precisam ser criados em laboratório. O próprio berkelium é um elemento raro criado em laboratório – e os cientistas russos conseguiram apenas 22 gramas dele para o experimento.

Como não é estável, o elemento possui uma vida de78 milisegundos.
O novo elemento, que ainda não foi batizado, ocupará um buraco na tabela periódica, entre os números 116 e 118, que já foram descobertos. Esses elementos superpesados são, normalmente, radioativos e se extinguem quase instantaneamente.

Por enquanto o elemento é conhecido como Ununseptium, mas ele receberá um novo nome se sua existência conseguir ser reconhecida pela comunidade científica.

Fonte: Science News

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

39 comentários

  • Jeferson Müller:

    Meu irmão me deu uma tabela periódica que já tem esse elemento! 🙂

    • Jeferson Müller:

      a tabela é da MagiadoSaber, não sei de que ano que é!

  • Adauto Vieira:

    O problema é que muitos acham que só porque uma coisa existe por pouco tempo, é inútil.
    Isso não se restringe ao público em geral, mas também a professores universitários traidores de química, como uma que eu conheci na UECE, Universidade Estadual do Ceará.
    Os elementos que são ignorados por pessoas dissimuladas como essa professora e algumas que já comentaram, revelaram propriedades dos elementos que nem todos os quase 90 elementos naturais conseguiram mostrar.
    Se não conhece, não fale mal.
    Parabéns a todos que mesmo sendo leigos no assunto, abriram suas mentes para interpretar as informações, e não só se deixaram levar pelo que a mídia mostra.

    • Ricardo Ribeiro:

      78 milisegundos…?

      Isso dá direito a entrar na Tabela Periodica…?

      Medo…

  • Storm:

    hahahahaha… pobres coitados esss ciêntistas… as veses são até bem intencionados, o que me parte o coração… porem tudo irá mudar quando provarem pela própria ciência a existência de Deus, assim vão passar a respeitar mais a humanidade e a natureza e deixar de procurar soluçoes onde não existe, como em nossos desastres nucleares, desastres ambientais pelo combustível fóssil, apoiando teorias de conjecturas ciêntificas que mais parecem fanatismo religioso…

  • flavio ciência:

    a fome e a miseria existem por muitos fatos , entre eles a ganacia e mesmo o proprio ego dos poderosos que gastam rios de dinheiro em seus consumos luxuosos e muitas outras coias contribuem. ENTAO NAO VEM COLOCAR A CIENCIA DE BOTE ESPIATORIO COMO CULPADA PELKA FOME NO MUNDO .

  • Victor:

    Senhores, sinto que estou em uma sinuca, sou leigo o suficiente pra não me aprofundar nesses assuntos, interessantes por sinal, indo a outros locais para ler artigos, por isso sinto-me a vontade ao ver que estamos todos no mesmo nível (eu e os outros “comentaristas”). Entretanto fiquei particularmente com vergonha por ver a imbecilidade de muitos aqui, e por saber que esse site é tão mal frequentado.

    Senhores, essa particula que foi “inventada”, em pouco tempo pode ser responsável pela geração de energia para abastecer um país. Se vocês acham isso inútil, por favor erradiquem a palavra ciência de suas vidas.

    Tenho dito.

  • Alan:

    Que legal, quem assistiu chemistry sabe um pouco a importância desta descoberta que os cientistras vêem tentando há alguns anos. Agora pode não ter uso ou aplicação pra qualquer pessoa, mas quem pensa um pouco à frente sabe que isto um dia pode ser utilizado em nosso próprio benefício.

  • Paulinho Rola:

    Qui Bom!

  • gabriel:

    tudo e da natureza=] esse elemetos veio da planeta

  • Jor-el:

    aff. por que ao invés de gastarem tanto tempo e dinheiro com pesquisas pouco aproveitaveis para as massas, não pesquisem sobre algum tipo de energia auto sustentavel que faça com que a população deixem de uma vez por todas de usar esses combustiveis fósseis que destroem nosso ecossistema ? estão colocando sua inteligencia em um caminho desnessário de trilhar enquanto o verdadeiro caminho que talvez possa salvar a humanidade está oculto e poucos saibam que existe!

  • thalwan:

    “Procure que seu comentário seja colaborador. Comentários pouco educados, irrelevantes, com grafia muito pobre, ofensivos, injusta ou exageradamente críticos serão deletados antes mesmo de aparecerem aqui.”
    Cerio???

  • Rodrigo:

    Faz parte né. quem não tem o que fazer fica inventando moda ou melhor “elemento”.

  • Matheus A.:

    A reportagem pecou em dizer que este era o último elemento super pesado a ser descoberto. A tabela periódica é expansível; é possível produzir elementos com Z > 118, e as propriedades desses vão se repetindo indefinidamente.

  • João:

    É pelos mesmos motivos de vários comentários acima que a ciência vai em muitos lugares quase parando.

    Quem sabe os elementos em uma próxima linha não sejam estáveis (um ou dois quem sabe), sabe o que pode significar? Não? Nem eu! Investem no nada, descobrem algo inovador e o bando de cientista que disse “Mudou a minha vida” vai ficar chupando o dedo.

  • Marina:

    Só me pergunto o que daria pra fazer com todo o dinheiro gasto em pesquisas pouquíssimamente úteis como esta.
    Tudo bem, tem gente que gosta de química a ponto de sintetizar elementos… mas de todos esses trocentos elementos sintetizados, que existiram por menos tempo do que um ser humano pode de fato perceber, algum realmente acrescentou algo ao nosso conhecimento como humanidade? Eu não conheço nenhum.
    Esse tipo de pesquisa, a meu ver, assemelha-se a uma criança jogando o mesmo videogame pela enésima vez… chega sempre no mesmo lugar, sem no entanto chegar a lugar algum.

  • Eliakim Ferreira Oliveira:

    Ótimo! Mendeleev sentiria imenso orgulho da evolução científica de sua tabela. Talvez tal novo elemento seja usado para fins médicos ou para a evolução das energias de reatores.

    Em relação ao comentário do Ricardo, afirmo que estaríamos com certeza lidando com problemas um tanto mais complexos pela complicada detecção da energia escura. Creio que não poderíamos incluí-la facilmente na Tabela Periódica pela sua imensa peculiaridade em relação à matéria que conhecemos.

    PS.: Acho que esses comentaristas de plantão que ridicularizam tal descoberta logo aí em cima deveriam sentir vergonha de sua imensa falta de interesse e por seus sintomas de ignorância.

  • Ricardo:

    outra dúvida:

    a matéria escura faria parte, estaria nessa tabela, criaria uma nova tabela, ou faria que nem o hidrogênio e se isolaria dos demais?

    Abraços, e se alguém puder responder para um leigo agradeceria…

  • Ricardo:

    o que ele faz?
    – se extingue quase instantâneamente…

    agora esses elementos existem apenas artificialmente e duram muito pouco..

    Mas em outros planetas, estrelas, galáxias ou outros lugares, esses elementos podem existir em abundância ou serem estáveis??

  • Lucas:

    Mas se não gostaram da reportagem então porque leram??? Não entendo… O.o Achei o máximo eles terem descoberto sendo que esse elemento tem uma meia-vida tão pequena. \o/

  • Tom:

    já estava na hora de tirar alguns elementos dessa tabela, deixar uns 5 no máximo… só pra atrapalhar nos vestibulares mesmo

  • Lelo:

    Sim, um elemento estranho rondando por aqui.
    Mas foi instantaneamente embora depis da policia chegar.
    Quanta bobagem pra botar na periodica.

  • Geu.H.:

    Com as cadeias e penetenciarias cheias quero ver com vão prender este elemento / surpresa, rsrsrsrsr.

  • Aldo:

    Se quebraram a cabeça, para descobrir um elemento o qual por ser radiotavivo se extingue quase instantaneamente??? Gente se não tem outra coisa pra fazer por que não vem aquí em casa que estou terminando um puxadinho me dão uma mão???

  • Leandro:

    cara isso eh um blog de curiosidades!!!! idai q num mudo nada na sua vida!!! esses ignorantes de merda!, aposto q disseram o mesmo da internet qndo falaram q soh o exercito americano tinha ela…nunca se sabe oq se pode fzer com um elemento novo ( naum soh destruição como alguns pessismistas dizem ¬¬)
    obs.: concordo com o Lauro e com o MarioW.

  • Geraldo:

    Com esta descoberta, acho que nem foi dormir hoje a noite!!!!

  • Thaís:

    Que legal . Nem vo durmi pensando nesse novo elemento ¬¬’

  • Leo:

    ai ai ai, muito util p/ me ferrar nos vestibular!

  • Deep:

    IRADÍSSIMO!!!

    Oq ele faz? Corrobora a teoria de Dimitri Mendeleev que já havia previsto a existência de elementos assim!

    Como muda sua vida? Aumenta o entendimento a cerca daquilo que entendemos como energia e matéria… Avança na fronteira desses assuntos!

    Unumseptium, hein!? Eu gostei até do nome!!!

    Valeu Hype! (Curtinha e certeira! Parabéns!!!)

  • Aristides Neto:

    Complementando: O Silício foi descoberto em em 1823 por Jöns Jacob Berzelius. O transistor foi inventado em 1926 e só começou a ser utilizado no início da década de 50. Hoje são comuns e custam centavos de Reais. Os computadores modernos nascem em 1956, ENIAC, que com o rápido desenvolvimento dos transistores, evoluem até o que temos hoje.
    Então, da descoberta do silício até o início da aplicação em computadores, temos 127 anos ( 823 – 1950). Para o que temos hoje, são 187 anos.
    Que tal esperar e ver o que acontece com esses elementos?
    Certamente, a descoberta não virá de países onde a educação é tratada com descaso, como o nosso.

  • Aristides Neto:

    Pessoal, a utilidade de alguns elementos não é conhecida. Isto não quer dizer que deva ser deixado de lado. Talvez sozinho não exista uma utilidade comercial, digamos assim, até que se descubram ligas que possam ser utilizadas. Como exemplo nobre, o ferro. Como elemento natural, não é muito útil. Mas combinado com o carbono, em pouquíssima quantidade, obtém-se o aço. Se combinarmos essa liga com o cromo, tungstênio, fósforo, enxofre e outros, teremos uma família de materiais mecânicos de larga aplicação na engenharia. Muito dos nossos utilitários são fabricados com esses elementos combinados e aparentemente inúteis.
    Só o fato de saber da possibilidade da existência de um elemento, que não conhecemos, mostra a necessidade de se reservar seu lugar na tabela periódica. E não menos importante é a pesquisa que tenta, muitas vezes consegue, sintetizar esses elementos.
    Imagine o seguinte, se um elemento de número atômico 123 for descoberto. Isso significa que talvez existam os de números 119, 120, 121 e 122. O que já justificaria as pesquisas.
    Tabela atualizada para todos: http://www.tabela.oxigenio.com/

  • Domani:

    E qual a utilidade dessa substância?

  • Lauro:

    Observação: Não existe na natureza do planeta Terra. Quem sabe se esses troços não estão vagando por aí no espaço???

  • Ricardo:

    o que ele faz?
    – se extingue quase instantâneamente…

    agora esses elementos existem apenas artificialmente e duram muito pouco..

    Mas em outros planetas, estrelas, galáxias ou outros lugares, esses elementos podem existir em abundância ou serem estáveis??

    Uma outra dúvida.. “essa ridícula”
    a matéria escura faria parte, estaria nessa tabela, criaria uma nova tabela, ou faria que nem o hidrogênio e se isolaria dos demais?

    Abraços, e se alguém puder responder para um leigo agradeceria…

  • Mário W.:

    tripé, vários elementos da atual tabela periódica não existem na natureza….

  • rafasr:

    irado *-*, oq ele faz?

  • Emerson:

    ah… agora eu vou durmir sossegado. essa ausência do 117 tirava meu sono! ¬¬

  • André:

    Mudou minha vida ¬¬

  • tripé:

    Se não existe na natureza, nem devia ir para a tabela periódica.

Deixe seu comentário!