Essa roda é uma forma simples de motorizar sua bicicleta

Por , em 3.05.2016

A GeoOrbital é uma empresa que quer, literalmente, reinventar a roda da bicicleta. Ela tem trabalhado em um produto muito interessante: uma roda motorizada que pode ser adicionada a qualquer bicicleta para torná-la elétrica.

O CEO da empresa, Mike Burtov, lançou uma campanha no site de financiamento coletivo Kickstarter como um meio de aceitar encomendas antecipadas e levantar um pouco mais de capital.

A tecnologia

A roda GeoOrbital pode ser adicionada a quase qualquer bike em questão de segundos (apenas a dianteira). Em vez de raios, a roda contém uma espécie de invólucro triangular com três rodas pequenas que se apoiam contra o interior do aro.

Como um conjunto de engrenagens, as rodas menores giram a maior, impulsionando a bicicleta para a frente, utilizando um motor de 500W e uma bateria de 36V. A roda é de espuma sólida, o que Burtov diz que resolve o problema dos pneus furados. No geral, tudo pesa cerca de 9 kg.

A única outra peça é o acelerador, que vem sob a forma de uma pequena alavanca que você anexa ao guidão com um botão de liga/desliga e luzes que indicam a carga restante da bateria.

De acordo com Burtov, todas as partes que compõem a roda são as mesmas que outras empresas usam para fazer bicicletas elétricas. A empresa apenas encontrou uma maneira de adaptá-las a quase qualquer bicicleta.

A experiência

A roda tem uma velocidade máxima de 32 quilômetros por hora, e a bateria, que é removível e, portanto, fácil de carregar, dura pelo menos 32 quilômetros por conta própria, ou cerca de 80 quilômetros se você misturar com um pouco de pedalada.

O repórter do portal The Verge, Sean O’Kane, experimentou uma versão quase pronta para produção da GeoOrbital. Ele afirmou que a instalação da roda a sua bicicleta foi realmente tão simples quanto Burtov a descreveu. Além disso, ele considerou a bike fácil de usar, embora tenha principalmente a usado em modo elétrico, pois empregar o acelerador enquanto pedala leva algum tempo para se acostumar.

“Houve algumas vibrações durante o passeio que me deixaram um pouco desconfortável, no entanto. A roda estava solidamente colocada no lugar, portanto, as vibrações pareciam resultar do alinhamento das rodas menores no aro – algo que, esperamos, será aperfeiçoado quando a empresa iniciar o seu ciclo de produção”, escreveu O’Kane no site The Verge.

Tirando as vibrações, O’Kane disse que andar com a GeoOrbital é como andar com qualquer outra bicicleta.

Preço e lançamento

A GeoOrbital tem competição neste estranho ramo das rodas para bicicletas elétricas. A Evelo já está no mercado com sua roda Omni, vendida por mais de US$ 1.000. Outra empresa chamada Superpedestrian licenciou uma ideia semelhante a partir da pesquisa de um grupo do Instituto Tecnológico de Massachusetts, e também está aceitando encomendas antecipadas.

A roda GeoOrbital deve ser vendida por cerca de US$ 900 (R$ 3.150 no câmbio atual), e está oferecendo seu produto por um preço tão baixo quanto US$ 500 para os primeiros apoiadores no Kickstarter. Esses valores colocam a empresa à frente ou pelo menos lado a lado com a concorrência.

Burtov planeja lançar suas rodas dentro de seis meses ou menos. [Listverse]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

2 comentários

  • Chaouki Haddad:

    Esta roda poderia ser adaptada (no caso, duas) a uma cadeira de rodas?

    • Cesar Grossmann:

      Ideia interessante. Acho que colocar dois motores independentes pede por um controle centralizado, acho que vai complicar um pouco o mecanismo, a não ser que você use o motor em uma das rodas e faça com que a outra roda fique “solidária” à mesma (se mova junto com a outra) para que a tração seja igual, mas aí como você vai manobrar a cadeira (fazer curvas, girar no mesmo lugar, etc.)?

      De qualquer forma, é uma ideia muito interessante, talvez seja o caso de entrar em contato com os inventores.

Deixe seu comentário!