Como reconstruímos a noite anterior depois de um “apagão” de bebida

Por , em 20.12.2011

Quem é ou já foi adolescente sabe o que é ficar “encharcado” o suficiente a ponto de se não lembrar de muito, ou mesmo nada, sobre a noite anterior.

Especialmente para os universitários ou durante um feriado prolongado, a bebida acaba sendo uma eficiente maneira de se ter amnésia. Reconstruir o que aconteceu durante uma noite de bebedeira pode se tornar um enredo hilariante, como o do filme “Se beber não case”, ou um projeto de pesquisa interessante.

Apesar de não ser inspirado pelo sucesso de Hollywood, um estudo recente analisou apagões de memória induzidos pelo álcool, na esperança de aprender como as pessoas preenchem “os espaços em branco” mais tarde, e se esta informação é exata.

Os pesquisadores descobriram que as pessoas frequentemente recorrem a fontes não confiáveis para juntar as memórias esquecidas.

O estudo entrevistou 280 estudantes universitários britânicos. Os estudantes responderam se haviam experimentado tanto um apagão parcial – a lembrança de pedaços e peças do que aconteceu depois que começaram a beber -, ou um total – esquecendo tudo o que fizeram ou viram até acordar no dia seguinte.

Entre os estudantes que beberam, 24% admitiram ter um apagão total, enquanto 37% tiveram um parcial. Beber muito em um curto período de tempo geralmente provocou um apagão total.

Os pesquisadores descobriram que aqueles que sofreram apagão total foram um pouco mais propensos a pedir às pessoas que também haviam bebido detalhes do episódio nebuloso, ao invés de perguntar o que houve para pessoas que não estavam bêbadas, mas também tinham testemunhado a noite. Quase 44% disseram ter visto uma fotografia ou um vídeo para lembrar-lhes o que aconteceu.

“Fiquei surpreso com a forma como pessoas se empenhavam para reconstruir as memórias esquecidas, apesar de saber que isso muitas vezes pode levar a considerável embaraço ou pânico”, disse o professor de psicologia Robert Nash.

Segundo Nash, perguntar a outras pessoas que estavam lá muitas vezes é a única maneira de descobrir o que aconteceu. Mas depender de amigos ou conhecidos que estavam provavelmente bêbados também pode tornar as lembranças menos de 100% confiáveis.

Fontes não confiáveis podem levar a erros de memória e às vezes crenças falsas sobre comportamentos durante um período de tempo esquecido. Isso pode ser verdade não só para apagões de embriaguez, mas outras experiências do passado, sejam memórias de infância ou até mesmo casos de condenação injusta.

Curiosamente, cerca de três quartos dos participantes do estudo admitiram que podem ter involuntariamente inventado informações quando um amigo passou mal e esqueceu o que fez, tais como dizer que a pessoa fez sexo com um estranho ou vomitou em alguém.

Quase 17% dos bêbados que apagam totalmente mais tarde descobrem que foram enganados por informações incorretas, muitas vezes vindas de amigos.

Mas ter um “blackout” e ficar ansioso para saber o que aconteceu pode mudar as perspectivas das pessoas sobre se uma determinada fonte pode ser confiável. “Se queremos informações corretas, colocamos nossa fé em fontes que gostaríamos de considerar altamente confiáveis”, explica Nash.

O conselho do psicólogo é: “Quando quiser reconstruir eventos, tome cuidado se a pessoa em que você está colocando sua confiança é uma fonte verdadeiramente confiável, ou se é a única opção”.[MSN]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (4 votos, média: 3,50 de 5)

9 comentários

  • Rafael:

    Bem, com a tecnologia de hoje, é fácil fazer “investigações” ou “inquéritos” sociais por fartura de provas e testemunhas para apurar o ocorrido nos apagões, da mesma forma que faz uso a perícia policial.

  • Marcelo Muniz:

    “Fontes não confiáveis podem levar a erros de memória e às vezes crenças falsas”

    Em outras palavras… o cara pegou um canhão, perguntou pro amigo se a “gata” que ele pegou era gata mesmo, o amigo tb bebaço responde que sim, e o cara se acha o garanhão. Problem? =D

  • yuicki:

    Como reconstruímos a noite anterior depois de um “apagão” de bebida…. entrei de cara na matéria p/saber como fazer /não ter problemas desse tipo nesse fim de ano… acredito que muitos outros também… Fazer um gancho de matéria é uma coisa difícil sim, mas tem que ser feito de forma a não colocar a matéria como tendencionista ou do mesmo jeito que o Meia Hora [jornaleco do Rio…] faz que é só sacanagem mesmo… mas é bom fazer uma reunião c/o grupo p/ver essa parte dos ganchos, uma vez que muitas matérias tem enfim se apresentado de uma forma totalmente inesperada qto ao título que é postado…..

  • Joao Cruz:

    Achei totalmente imprestavel e decepcionante essa matéria….
    o hypescience.com faz parte da minha leitura diaria, mas essa materia pelo amor de Deus nada a ver, nao fala nada do que alguem nao saiba…

    • Emerson Brito:

      Infelizmente esse site deixou de ser bom…

      Postam publicidade como matéria científica e impedem o leitor de criticar isso.

      Cada dia que passa, me decepciono mais e mais…

  • AgoraQueSouRica:

    O melhor depois de um apagao desses é ABAFAR O CASO….Seja la o que aconteceu , é melhor nao tentar lembrar , vai por mim….rsrsrsrrsr

  • CASTOR:

    eu ja acordei deitado em um barco na areia da praia … não lembro de nada

    ja acordei na cama da minha irmã depois de ter saido “escondido”, minha namorada estava o demonio da sala … não lembro de nada

    rs … parei

    • ze da feira:

      era sua sogra ?

    • CASTOR:

      nada …

      drogas eu nunca usei … mais se eu contar todas as merdas que eu ja arrumei chapado
      da um livro dos grandes

      hoje em dia só uma breja na sexta depois do trampo com os amigos … e nada mais

Deixe seu comentário!