Esta é a idade na qual você é mais feliz e mais confiante, de acordo com a ciência

Por , em 9.10.2018

Mais velho, mais sábio e também mais contente – pelo menos é isso que a ciência parece mostrar.

Pessoas com mais de 60 anos são satisfeitas com a vida e, de acordo com um estudo recente da Universidade de Berna (Suíça), mais autoconfiantes do que as pessoas em suas décadas mais jovens.

Qual é o segredo?

Os estudos indicam que há vários fatores envolvidos. Por exemplo:

As pessoas mais velhas têm melhor saúde mental

Em uma pesquisa de 2016, os cientistas entrevistaram mais de 1.500 pessoas de todas as idades para determinar saúde física, cognitiva e mental. Eles descobriram que aquelas em seus 20 e 30 anos tinham níveis mais altos de depressão, ansiedade e estresse, e níveis mais baixos de felicidade em comparação com pessoas mais velhas.

O psiquiatra Dilip Jeste, um dos autores do estudo, disse ao portal Time que isso é provavelmente resultado do fato de que pessoas mais velhas são mais capazes de eliminar os fatores estressantes do cotidiano.

Sua vida provavelmente fica mais estável conforme você envelhece

O estudo da Universidade de Berna, publicado na revista Psychology Bulletin, descobriu que a autoconfiança atinge seu auge por volta dos 60 anos.

Segundo os autores da pesquisa, isso é provavelmente devido a um ambiente mais estável. A essa altura, as pessoas podem já ter formado relacionamentos sólidos, terem sido promovidas no trabalho ou ajudado seus filhos a se tornarem adultos responsáveis.

Quando você é mais velho, felicidade significa estar contente com o que você tem

Um outro estudo descobriu que os participantes mais jovens descreviam a felicidade como momentos em que se sentiam extasiados ou entusiasmados.

Já os mais velhos descreviam sentir-se felizes quando estavam em paz, tranquilos ou relaxados, o que está mais alinhado com a ideia de estar contente com o aqui e agora do que se empolgar com o que ainda vem por aí.

Essa mudança de atitude é provavelmente atribuída ao aumento de sentimentos de conexão com os outros, de acordo com os cientistas.

Seu cérebro fica menos propenso a respostas emocionais negativas conforme envelhece

Uma pesquisa publicada em 2004 descobriu que os indivíduos mais velhos apresentam atividade reduzida em sua amígdala, a área do cérebro associada ao estresse e às respostas emocionais, quando observam imagens negativas.

Isso pode significar que sua resposta automática a estímulos emocionais negativos se torna mais moderada à medida que você envelhece.

Ressalvas

Vale mencionar que, quando se trata de felicidade, muitas pesquisas realizadas sobre o assunto sugerem que esse sentimento normalmente segue uma curva em forma de U.

Isso significa que seu nível de felicidade atinge um pico quando você está na casa dos 20 anos, diminui na meia-idade e, em seguida, sobe novamente na casa dos 60 anos.

Os estudos feitos também não cobrem todas as teorias que cercam o envelhecimento e a felicidade.

Além disso, é óbvio que qualquer um pode aumentar seu sentimento de contentamento ou autoconfiança, em qualquer idade.

No geral, porém, a literatura científica sobre o tema é digna de nota, especialmente considerando o fato de que muitas pessoas pensam que o envelhecimento é uma experiência mais negativa do que positiva. Não é isso que a ciência mostra: talvez você envelheça mais feliz do que nunca. [HuffPost]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (19 votos, média: 4,26 de 5)

Deixe seu comentário!