Estudo identificou tipo de personalidade das pessoas que compraram todo o papel higiênico das lojas

Por , em 13.06.2020

Muita coisa aconteceu desde março de 2020, mas você deve se lembrar bem da Grande Corrida pelo Papel Higiênico que tomou conta de países na Ásia, Europa, América do Norte e, em menor escala, do Brasil. De lá para cá, apenas dois estudos analisaram fatores de personalidade para tentar explicar esse comportamento curioso, e um deles tirou algumas conclusões interessantes do acontecimento.

Entre os dois estudos, um deles analisou apenas a dimensão de honestidade-humildade de uma pequena amostra do Reino Unido e concluiu que houve falta de solidariedade entre as pessoas que acumularam papel, enquanto o outro analisou seis dimensões de personalidade de mil participantes de 35 países. Vamos detalhar aqui os métodos e resultados do segundo estudo, que é mais completo que o primeiro.

Este estudo foi conduzido por psicólogos da Universidade de Munster e do Instituto Max Planck de Antropologia Evolutiva (Alemanha), em parceria com a Universidade de Saint Gallen (Suíça). Para analisar a personalidade dos participantes, os pesquisadores utilizaram o teste online do modelo HEXACO, que avalia honestidade-humildade, emotividade, extroversão, afabilidade, conscienciosidade e abertura para experiências.

As seis dimensões de personalidade, segundo HEXACO, são:

  1. Honestidade-humildade – sinceridade, justiça, modéstia e falta de ganância;
  2. Emotividade – medo, ansiedade, dependência, sentimentalidade;
  3. Extroversão – autoestima social, coragem social, sociabilidade, animação;
  4. Afabilidade – flexibilidade, paciência, capacidade de perdoar, ser gentil;
  5. Conscienciosidade – organização, diligência, perfeccionismo, prudência;
  6. Abertura para experiências – apreciação estética, curiosidade, criatividade, inconvencionalidade.

O questionário

Convites para participar do estudo não-remunerado foram enviados por e-mail e postados nas redes sociais em meados do mês de março. Os voluntários responderam ao questionário de cem perguntas entre os dias 23 e 29 de março de 2020, o momento em que os casos confirmados de Covid-19 saltaram de 178 mil para 650 mil. Vários governos ao redor do mundo implementaram isolamento social ou lockdown naquela semana, e a mudança drástica na vida pública foi acompanhada de falta de produtos básicos nos supermercados, entre eles o papel higiênico.

Os participantes foram divididos em grupos de acordo com o local de residência: Europa, Estados Unidos/Canadá e outros. Os participantes da categoria “outros” acabaram excluídos da análise pela pequena participação. Eles responderam às perguntas e deram informações sobre o tipo de isolamento social ou lockdown impostos nas regiões deles, e também descreveram os comportamentos de compras nas duas semanas anteriores.

Resultados

O modelo revelou que a chance de se sentir ameaçado pelo vírus aumentou significativamente com a idade e com o número de dias passados em quarentena até então. Participantes mulheres apresentaram mais medo que os homens, e os residentes da Europa se sentiram menos ameaçados que os norte-americanos.

As pessoas que tiveram pontuação mais alta na dimensão de personalidade emotividade se sentiram mais ameaçadas, e isso teve consequência direta na compra de papel higiênico. Isso faz sentido, já que pessoas com muita emotividade são mais ansiosas e medrosas. Aqueles que se sentiram mais ameaçados compraram papel com mais frequência e em maior quantidade. As pessoas mais velhas foram às compras mais vezes e compraram mais papel do que os mais jovens. Os participantes da Europa foram ao mercado mais vezes, mas compravam em menor quantidade do que os americanos.

Os que tiveram pontuação alta em conscienciosidade foram às compras com mais frequência e estocaram mais papel. Isso provavelmente aconteceu porque essas pessoas são mais organizadas e fazem planejamentos mais detalhados do que quem tem pouca conscienciosidade.

Conclusões

As três principais descobertas do estudo são que a percepção de ameaça pelo Covid está relacionada com o acúmulo de papel higiênico. Em segundo lugar, a emotividade é um fator de previsão da sensação de ameaça. A terceira descoberta foi que os indivíduos com muita conscienciosidade acumularam mais papel higiênico.

Mas por que papel higiênico, especificamente, ao invés de pasta de dentes ou sabonete? Os psicólogos concluíram que o papel higiênico funcionou como símbolo de segurança subjetivo. 

[Influência da sensação de ameaça pelo Covid-19 e traços de personalidade HEXACO no acúmulo de papel higiênico]

Último vídeo do nosso canal: A Terra não orbita exatamente o sol mas um ponto virtual no espao

Deixe seu comentário!