EUA quer implantar nanotecnologia no corpo de soldados

Por , em 21.03.2012

Tratar doenças em soldados, durante guerras, é mais complicado do que cuidar de pacientes civis em uma cidade. Nas cercanias de locais de conflito, os médicos ficariam muito agradecidos se recebessem uma mãozinha da nanotecnologia em seu trabalho.

Pois este momento parece ter chegado: no último dia 15, a Agência de Projetos de Pesquisa de Defesa Avançada (DARPA, na sigla em inglês), do governo dos EUA, anunciou a intenção de instalar mini robôs-médicos no organismo dos militares.

Historicamente, as guerras registram mais mortes por doenças em combate do que propriamente pelas batalhas em si. O objetivo da DARPA é criar um sensor que monitore a saúde dos soldados e dê diagnósticos precisos antes que a má saúde represente uma baixa nas fileiras do exército.

Ainda em 2012, os pesquisadores esperam lançar um protótipo para testes deste dispositivo, que é focado na interação com nanopartículas do corpo. O aparelho será de utilidade para evitar cirurgias, já que alguns locais onde as forças armadas dos EUA têm atuado (como o Iraque, por exemplo) estão a centenas de quilômetros de um centro hospitalar capacitado para procedimentos complicados. Muitos soldados americanos têm voltado para casa por este motivo.

Em uma meta de longo prazo, os cientistas idealizam que este mecanismo sirva não apenas para fazer diagnósticos, mas também para auxiliar nos tratamentos. Para cumprir esta finalidade, já estão em planejamento alguns testes do aparelho em funcionamento no corpo de animais. [LiveScience, Foto]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

20 comentários

  • Mario:

    pior que ser vítima da guerra é perder o pudor.

  • João Alberto da Silva Frota:

    A guerra é a maior caracteristica da ANIMALIDADE humana, pois os interresses de poucos desside a morte de muitos! Orgulho, vaidade, prepotência, arrogância, abuso do poder de Hum sobre o outro. Se tudo que é gasto com armas que matam fosse utilizado para ajudar aos que sofrem, aos que padessem da miséria… amparando as comunidades pobres do mundo que não tem outra alternativas senão usar armas para combater a tirania e a escravidão econômica. Se as potências subsidiasem a agricultura sustentável para que os povos deixem de planta cocaina e maconha, quantas vidas seriam salvas. Mas nós um dia chegaremos lá… caminhamos do ruim para o que é bom.

  • John jones:

    nanotecnologia? agora! uma coisa dessas vai dar muito problema ainda mais em guerra!

    • jose ajosilaudof eliciano mendes:

      o estados unidos ja deve ter inventado é soldados robos, se ainda não fez ja deve esta em andamento.

  • Sempre Livre:

    O perfil da Dalane parece ser o mesmo que o Hype tem perseguido ultimamente.

  • JOÃO HENRIQUE:

    Todas as grandes utilidades humanas nasceram nos períodos de conflitos da humanidade. O desenvolvimento tecnológico dá verdadeiros saltos quando ocorre uma guerra. É só ver o antes e o depois da 2ª Grande guerra. Por certo houve um preço alto demais por isso, mas que vivemos bem hoje por causa das descobertas e das conjunturas politicas após a guerra isso é inegável. O desenvolvimento automobilistico, aeronáutico/espacial e de exploração energetica são alguns exemplos de que tiveram alavancagem extraordinária durante a guerra.

    • Rogério:

      isso é desculpa para poder guerrear. O ser humano é cruel, se fosse um pouco melhor, teríamos muito mais avanços.

    • Marcelo Borges:

      Não creio que as obras de arte e grandes obras de arquitetura foram criadas durante as carnificinas…

      Compreendo o que diz, inclusive como historiador que sou, mas outro caminho exite e é possível – o que diria os próprios maias e egípcios ao construir as Pirâmides: os tempos eram de PAZ!

      Abraços

  • Lupa:

    Há qt tempo é que eles já fazem isso?

  • Ciro:

    acho tão engraçado o fato de jornalista nenhum entender q nanotecnologia não se trata de minirobos, mas sim explorar propriedades de substancias que são completamente distintas em nanoescala…
    sempre acho graça!

    • jose ajosilaudof eliciano mendes:

      para mim pode ser besteira que for, mas se for em auxilio da nossa saude vou torcer para isso chegar ao brasil, e ser implantado pela saude publica.

  • Jonatas:

    Avanço tecnológico aplicado mais em guerras do que em salvar vidas. Duvido que as autoridades americanas façam isso por se importar com a saúde dos soldados, fazem mais é para que seus piões permaneçam mais tempo no tabuleiro de Xadrez para mais matanças insanas.

    • jose ajosilaudof eliciano mendes:

      jonatas sou historiador e desde o primordio dos tempos o passatempo do homem é tomar o espaço do outro, então amigo os americanos so estão fazendo o que os outros gostariam de fazer, ou seja ter força de conquista.

    • Jonatas:

      Isso é verdade.

    • gargwlas:

      concordo em genero numero e grau

      se fosse o Brazil com tal poder talvez fizesse pior…

      pensem…e se fosse a China com aquela politica dela? calafrios…

    • JOÃO HENRIQUE:

      SE fosse assim tão simplório como você expõe não haveria tanta violência nas ruas. Deter o poder é vontade de todos que possuem capacidade para isso. Se vão matar alguém para conseguir isso depende da resistência que encontram na investida que fazem. Estude a história humana e agradeça aos soldados da sua nação por você ter a liberdade de falar besteiras na net, porém antes aconselho ler o livro “A arte da guerra”.

    • Jonatas:

      Eu já li, e uso, a Arte da Guerra. E lá, meu amigo, já diz coisas de sentido como:
      A melhor Guerra é aquela que se consegue evitar;
      Lutar só em último caso;
      Guerra não se vence na força, mas sim na inteligência, e o objetivo final sempre deve ser a paz;

      Não gostei da tua postagem, foi desrespeitoso ao falar que posto besteiras na Net. Estudei história, sei perfeitamente que ela foi escrita em guerras, mas a maior parte delas insanas e por motivos mesquinhos.

      E os americanos são péssimos modelos de sabedoria em guerra, se baseiam apenas em força, e isso é ineficaz, por isso perderam no Vietnã.

    • Elias:

      São péssimos modelos em guerra porque eles não defendem pessoas, e sim o capital. Eles sempre estão metidos em guerra por petróleo ou por acordos comerciais…
      Se eu estiver errado, por favor, me dê um exemplo.
      Ah! Também li “A Arte da Guerra”! Mas já faz tempo…

    • CASTOR:

      isso mesmo …
      cada soldado custa uma fortuna em equipamentos e treinamentos

      não vão deixar morrer $$$$ facil

  • Roberto:

    Dalane, isto parece uma barriga. Desculpe, mas o próprio assunto em si é uma fantasia grotesca. Há outros meios mais práticos e conhecidos que poderiam fazer até melhor, como um celular com GPS, um kit help, etc., mas nanotec não faz milagres, nem sentido e nem mesmo ficou explicado o que realmente se propõe.

Deixe seu comentário!