Café pode causar distúrbios mentais?

Por , em 2.06.2013

Quem já abusou de refrigerante, café ou energético sabe que o excesso de cafeína pode fazer mal ao estômago ou lhe privar de uma boa noite de sono. Contudo, de acordo com a nova edição do Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders (um manual referência para psicólogos e psiquiatras no tratamento de doenças mentais), exagerar nessa substância pode ter efeitos ainda mais sérios: transtorno mental temporário – e síndrome de abstinência também.

Entre os sintomas do excesso estão inquietação, nervosismo, excitação, rubor, desconforto gastrointestinal, espasmos musculares, confusão na fala, insônia e ritmo cardíaco alterado (e, em níveis extremos, morte). Quem sofre cinco ou mais desses sintomas pode estar com intoxicação por cafeína, e cortar (ou reduzir drasticamente) o consumo traz suas próprias complicações – como fadiga, dor de cabeça, dificuldade em se concentrar e depressão leve.

Há quem questione a inclusão da intoxicação e da abstinência no manual, alegando que é exagero. O psicólogo Alan Budney, que participou da elaboração da edição mais recente do documento, justifica a escolha. “A cafeína invade nossa sociedade cada vez mais. Assim, há preocupação suficiente para considerar esse tópico com seriedade, mesmo que seja, provavelmente, uma das questões mais controversas enfrentadas pelo nosso grupo de trabalho”.

Discussões como essa podem levar algumas pessoas a perguntar “afinal de contas, café faz bem ou faz mal?“, mas vale lembrar que os riscos não necessariamente eliminam os benefícios, e que o alerta feito é direcionado especialmente a quem consome cafeína em excesso.[LiveScience]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

10 comentários

  • Anderson Oliveira:

    De fato, a confusão na fala é algo que percebi. Meu consumo diário de café é excessivo, acho que to viciado. Sempre ouvi dizer que tudo que acaba em (Ína) é extremamente viciante. Sem dúvida o consumo abusivo do café está me trazendo transtornos físicos.

  • David Quirino:

    Deve ser por isso que o café é tão caro, ou mais, que o tabaco… e a própria maconha! Só falta agora monopolizarem sua produção e comercialização, como privilégio de uns poucos cartéis… como é o caso desta última.

  • Carlos Ossola:

    Meu falecido pai, que era médico, costumava dizer: “tudo que demais mata, um pouquinho cura”. Quanto ao café as pesquisas estão divididas (como, aliás, qualquer pesquisa médica). Eu adoro um cafezinho e bebia muitas xícaras diariamente, mas hoje sigo os conselhos do pai, por que precisei cortar o açúcar e usar adoçante. No meu caro, café com adoçante não vicia e não sinto síndrome de abstinência. O que acham disso?

  • Horacio Acosta:

    Tenho 60 anos e tomo cerca de 15 cafezinhos por dia. Não apresento sintomas de excesso ou abstinência. Tomo o último café do dia antes de dormir.

  • Vitor Zelenka:

    Faço das minhas palavras as de ” Lulu ” 07.06.2013

  • Camilo Mulque Gomes:

    Bebo café exageradamente e devo estar na categoria de “excessivo”.Estou com 68 anos e nunca tive sequer um dos sintomas relacionados. Talvez não esteja ainda no meu limite, pois, como dizem, até “água demais mata a planta”. Pode ser genético, pois meus pais adoravam café a qualquer momento.

  • Axel O.Q:

    Não é café que faz mal, é o excesso das pessoas! Como sempre acontece, não só com o café mas com outros alimentos também.

  • gloria:

    Em quem acreditar? Vi num programa do Bem Estar em q um médico Neurologista q trata pessoas c\ Alzaimer disse muitas vezes durante o programa q as pessoas q consumem “4 xicaras de café” diariamente tem muenos chances de sofrer de Alzaimer, q a cafeina estimula os neuronios a viverem mais, eles tem vida longa, muito mais q quem ñ consome cafeina.Sendo assim como saber quem fala a verdade? Eu acho q o café é uma boa bebida, antigamente quando o povo ñ consumia tantas outras bebidas , porque ñ existia, ñ existiam tantas pessoas idosas c\ Alzaimer

    • Lulu:

      Não existiam tantas pessoas com Alzheimer ou não existia diagnóstico? Ou as pessoas não atingiam a expectativa de vida para a senilidade?
      E será que 4 xícaras de café pode ser considerado excesso ( o texto n]ao relaciona os distúrbio ao consumo da café mas ao seu excesso)?

  • Breis Junior:

    O CAFÉ NOSSO DE CADA DIA…

Deixe seu comentário!