Exercícios errados podem piorar azia crônica

Por , em 27.07.2010

Para pessoas com azia crônica, exercitar-se pode ser um problema ao invés de uma solução: correr e pular muito pode causar refluxo ácido.

Mas o tipo certo de exercício, com algumas precauções, pode realmente melhorar a condição. Estudos descobriram que pequenas doses de exercícios bastante moderados, pelo menos duas vezes por semana, pode reduzir o risco da doença do refluxo gastroesofágico ou DRGE, em parte porque reduz o índice de massa corporal, um fator de risco primário.

Um estudo publicado em 2004, que incluiu mais de 3.000 pessoas que relataram o refluxo, descobriu que uma sessão de meia hora de exercício, uma vez por semana ou mais, junto com o consumo regular de alimentos ricos em fibras, ajudou a reduzir o risco da doença pela metade.

Duas coisas podem ajudar: evitar alimentos duas horas antes de praticar exercícios, e consumir bebidas ricas em carboidratos. Mas é crucial fazer o exercício correto. Os cientistas descobriram que os exercícios aeróbicos com mais “agitação do corpo”, como corridas vigorosas, provocam constantemente refluxo ácido, mesmo em pessoas que não tem azia crônica. Exercícios menos agitados, por exemplo, pedalar em uma bicicleta estacionária, causam menos problemas.

Outro fator é a posição do corpo. Supino, flexão de perna ou qualquer outro exercício que envolva deitar acentuadamente aumenta o risco de refluxo ácido. Um estudo realizado em 2009 mostrou que os surfistas têm mais riscos de ter DRGE do que outros atletas, porque a posição deitada em superfícies duras da prancha leva ao aumento da pressão intra-abdominal. [NewYorkTimes]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 3,00 de 5)

2 comentários

  • Juvanildo:

    Se mata mané…
    Dar umazinha nem pensar….sai fora.

  • Steph:

    A doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) devem-se a um relaxamento inadequado do esfincter esofagico inferior (EEI).

    Este relaxamente deve-se a uma resposta a um estímulo (factores ambientais ou físicos) que influenciam a contractibilidade do EEI.

    Como tal, a pressão do EEI é diminuída por alimentos gordurosos, chocolate, café, coca-cola, nicotina, chá, alguns farmacos, como é o caso dos bloqueadores dos canais de calcio e os antinflamatórios não esteróides (AINES).

    Conselhos para tratar a (DRGE):
    -Fazer 4 a 6 peq. refeições diárias.
    -Seguir uma dieta pobre em gorduras, mas rica em proteínas (para aumentar a capacidade dos esfincter).
    -Reduzir a ingestão de chocolate, café e outras bebidas que contenham cafeína, porque relaxam o (EEI).
    -reduzir ou eliminar a ingestão de alcool.
    -comer lentamente e masticar cuidadosamente os alimentos.
    -evitar refeições à noite e não comer 2-3 horas antes de deitar, porque ao estar na posição horizontal, os alimentos que se encontram no estômago, têm tendência a deslocar-se para o esófago. A única coisa que o impede é o EEI, mas como no caso de DRGE, o EEI encontra-se relaxado e não contraído, permitindo deste modo a passagem dos alimentos para o esófago, causando azia, regurgitação, deglutição difícil ou dolorosa.
    -Ficar levantado se possivel 1-2 horas após as refeições e nunca comer na cama.
    -Evitar qualquer alimento que provoque azia
    -Reduzir o peso corporal (se tiver excesso de peso).
    -Dormir com a cabeceira da cama elevada de 15 a 30 cm e nunca dormir na horizontal.

    A DRGE também pode ser tratada com uma combinação de fármacos e se necessário, intervenção cirurgica.

    Quanto a actividade física, exercícios que aumentem a pressão intrabdominal não devem ser realizados, porque aumentam o risco de refluxo, assim como, levantar objectos pesados, roupas apertadas, curvar-se ou inclinar-se para a frente.

Deixe seu comentário!