NASA: iceberg gigante está prestes a se desprender na Antártica

Por , em 27.02.2019

Um iceberg com aproximadamente o dobro do tamanho da cidade de Nova York está prestes a se desprender de uma plataforma de gelo na Antártica, como resultado de uma fissura sendo monitorada pela NASA.

Essa rachadura ao longo de parte da plataforma de gelo Brunt apareceu pela primeira vez em outubro de 2016, e começou a se espalhar para o leste.

Ela deve cruzar com outra fissura aparentemente estável pelos últimos 35 anos, mas que agora está acelerando para o norte a uma taxa de cerca de 4 quilômetros por ano.

Uma vez que essas duas fendas se encontrarem, o que pode acontecer em algumas semanas, um iceberg de pelo menos 1.700 quilômetros quadrados (km²) deve ser solto da plataforma de gelo.

Desprendimento de icerbergs

O processo de desprendimento de icebergs ocorre naturalmente nas plataformas de gelo, mas mudanças recentes não são familiares nesta área e podem levar à desestabilização de Brunt, alertou a NASA.

“A provável perda futura de gelo do outro lado da fissura sugere que mais instabilidade é possível”, disse Chris Shuman, glaciologista da NASA e da Universidade de Maryland (EUA).

Embora o iceberg previsto seja consideravelmente grande, não é dos maiores que já se desprenderam na Antártica.

Em julho de 2017, um dos maiores icebergs da história se rompeu da plataforma de gelo Larsen C: com cerca de 5.700 km², você pode imaginar quão grande é isso ao levar em conta que a cidade de São Paulo possui uma área de 1.521 km².

Por que isso importa?

O futuro a longo prazo das plataformas de gelo da Antártica terá uma grande influência no aumento do nível do mar em todo o mundo.

Um relatório divulgado por cientistas dos EUA e do Reino Unido no ano passado afirmou que o gelo na Antártica está derretendo a uma taxa recorde, representando uma grande ameaça para as cidades costeiras.

O estudo descobriu que o derretimento da camada de gelo acelerou três vezes nos últimos cinco anos. A menos que medidas drásticas sejam tomadas para reduzir as emissões de gases do efeito estufa e limitar o aquecimento global, os pesquisadores estimam que o derretimento do gelo antártico deva acrescentar mais de 25 centímetros ao total do aumento do nível do mar até 2070. [TheGuardian]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (40 votos, média: 4,65 de 5)

Deixe seu comentário!