Incêndios na Rússia não foram causados por mudanças climáticas

Por , em 18.08.2010

De acordo com diversos climatologistas, as ondas de calor, secas e incêndios florestais na Rússia não são sinais do aquecimento global.

Ainda assim, as evidências sugerem que o aquecimento global está desempenhando um papel nesses desastres naturais. Segundo os investigadores, a maneira certa de pensar no papel do aquecimento global é que ele piora situações que ocorreriam de qualquer forma, tornando as secas são mais intensas, mais duradouras e, assim, elevando o risco de incêndios.

Alguns especialistas, em contrapartida, dizem que a recente onda de condições meteorológicas extremas na Rússia, juntamente com outras catástrofes naturais, como as recentes inundações no Paquistão e a onda de calor na França em 2003, são todos sinais do aquecimento global.

Já os climatologistas acreditam que a interpretação correta do clima hoje é que tudo tem um componente de variabilidade natural, e o aquecimento global é um deles. Segundo eles, não dá para atribuir ao homem cada mudança climática que ocorre. Mas o fato de que os eventos estão ocorrendo com mais freqüência pode significar que foram causados por nós. Segundo ecologistas, chegamos a um ponto em que podemos detectar o aquecimento global nas estatísticas, mas não em eventos isolados.

Com as alterações climáticas, vai se tornar mais comum ocorrer um evento meteorológico extremo, mas ele acontecer por acaso sempre será possível, independentemente do aquecimento global.

O número de recordes de dias de calor, por exemplo, já está superando o número de recordes de dias frios. É o dobro do que seria na ausência de alterações climáticas.

A onda de calor russa foi, segundo algumas estimativas, um evento que aconteceria uma vez em mil anos, só que com o aquecimento global pode se tornar um evento que aconteça a cada 10 anos. Mas quando os pesquisadores tentam ligar os eventos ao aquecimento global, é muito complicado estabelecer os elo, e mais difícil ainda quantificá-los. Portanto, ainda são necessários mais estudos para perceber o real papel do aquecimento global nos desastres naturais. [LiveScience]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

4 comentários

  • lol:

    finalmente uma investigação mais criteriosa e menos irracional; todos sabemos que existem ciclos climaticos e estamos na transição de uma era glacial pra uma era mais quente; o planeta ja teve concentração de carbono e metano maiores que as atuais e mesmo ja foi bem mais quente..achar que causamos isso é mesmo superestimar nosso tamanho diante da natureza; a teoria do caos no maximo explica a aceleração do processo, mas não diz que fomos nós que o iniciamos, até por que o neanderthal se extinguiu bem antes da primeira industria, justamente por que o clima que o favorecia foi destruido, enquanto o sapiens menos adaptado ao frio foi avançando com sua tendencia nata a superpopulação..

    o tipo cromagnoide ou caucasoide antigo foi o primeiro a enfrentar o neanderthal e talvez o unico..

  • Alberto Carvalhal Campos:

    Estes fenômenos podem ser devidos a incidencia de raios gama, assim como muitos outros.

  • ROOSEVELT S. FERNANDES:

    Concluimos uma pesquisa na Região da Grande Vitória (ES)- cerca de 1000 entrevistados, sendo metade de católicos e a outra metade de evangélicos – voltada aos estudo da percepção ambietnal da sociedade frente à problemática das Mudanças Climáticas. Os dados podem ser disponibilizados aos interessados como fonte de reflexão.
    Roosevelt
    Núcleo de Estudos em Percepção Ambiental / NEPA
    roosevelt@ebrnet.com.br

  • Eartha:

    No Golfo do México não está só a vazar petróleo mas também toneladas de metano que é 20 vezes mais potente que o CO2 no que diz respeito à capacidade de provocar efeito de estufa. Por coincidência (ou não) este mês de Julho foi o mais quente desde 1931… Como se não bastasse a actividade solar está a aumentar bastante desde os últimos meses. bastar somar 2+2…

Deixe seu comentário!