LHC está em fase de atualização; nova tecnologia deve trazer ainda mais descobertas

Por , em 15.04.2014

O Grande Colisor de Hádrons (LHC, na sigla em inglês), nosso acelerador de partículas preferido, está em uma pausa merecida.

O famoso acelerador, além de comprovar a existência do tão procurado bóson de Higgs, tem feito progressos em muitas outras áreas, como na criação de plasma quark-glúon e na descoberta de uma nova partícula exótica, que é uma forma inteiramente nova da matéria.

No entanto, a equipe do LHC no Laboratório CERN (Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear, em Genebra), reconheceu que a instalação recentemente começou a sofrer retornos decrescentes, e que muitas de suas partes poderiam ser melhoradas, devido ao desenvolvimento de novas tecnologias e avanços em velhas formas de fazer as coisas.

Sendo assim, a instalação entrou em um processo de atualização de várias peças e seus diferentes aceleradores, que vai de fevereiro deste ano até o início de 2015.

A equipe de cientistas também informou que o processo de reiniciar o sistema mais complicado de máquinas do mundo terá de ser feito por partes, para assegurar que cada uma esteja funcionando corretamente antes que a próxima possa ser melhorada. O custo total desta reformulação foi estimado em aproximadamente 4,4 bilhões de dólares (cerca de R$ 8,84 bi).

Até agora, os cientistas reiniciaram com êxito a parte do equipamento que eles chamam de fonte, responsável por captar elétrons a partir de átomos de hidrogênio para uso na produção de prótons.

Em seguida, a equipe pretende trabalhar no Linac2, um acelerador cuja função é dar aos prótons seu impulso inicial. Depois, os pesquisadores querem fazer com que o sistema lance os prótons a velocidades ainda mais rápidas. Para o LHC ser aproveitado ao máximo, deve receber prótons que já estão se movendo muito rápido.

Além de trocar peças e atualizar o sistema para uma nova e melhorada tecnologia, os técnicos também vão substituir cabos desgastados e outros componentes menores, mas necessários. Se tudo correr bem, o LHC deve estar pronto e de volta ao negócio no início do próximo ano – e descobertas ainda mais provocantes podem estar nos aguardando. [Phys]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 3,00 de 5)

2 comentários

  • Marco Oliveira:

    Com a mais recente descoberta o tetraquark que é um novo tipo de matéria, devemos esperar novas partículas que irão evidenciar novas estruturas que pertencerão a um novo universo que estará além de nosso universo material. Isso vai evidenciar a existência de novas dimensões com suas peculiaridades parecidas com a nossa, largura, comprimento e altura e muitas outras dimensões Universos, completamente diferentes. A matemática já definiu essas dimensões que são representadas pelas Teoria das Cordas e Teorias das Membranas.

  • Thiago Corrêa:

    Legal!

    Gráviton, cade você?!

    Só se esta partícula existir para termos carros voadores iguais daqueles filmes de ficção ciêntífica, pois se na matéria existir o gráviton na antimatéria possivelmente existiria o antigráviton! Será!?

    A antigravidade não existe se a força da gravidade existir em decorrencia da curvatura do espaço-tempo.

Deixe seu comentário!