Metástase do câncer de mama: extrato de pêssego pode inibi-la

Por , em 30.03.2014

De acordo com um estudo da Universidade Texas A&M (EUA), extrato de pêssego é capaz de inibir a metástase do câncer de mama em ratos. Os cientistas creem que o tratamento pode funcionar em humanos também.

A pesquisa, publicada no Journal of Nutritional Biochemistry, afirma que a mistura de compostos fenólicos presentes no extrato de pêssego é a responsável pela inibição da metástase.

Metástase do câncer de mama pode ser evitada com extrato de pêssego

“As células cancerígenas de um tipo agressivo do câncer da mama foram implantadas sob a pele de ratos, e vimos uma inibição de um gene marcador nos pulmões após algumas semanas, indicando uma supressão da metástase quando os ratos estavam consumindo o extrato de pêssego”, conta o Dr. Luis Cisneros-Zevallos, cientista de alimentos da Universidade Texas A&M.

O estudo foi realizado utilizando uma variedade de pêssego chamada Rich Lady. Os cientistas dizem que outras variedades possuem compostos polifenólicos similares, mas podem diferir em conteúdo.

A pesquisa também determinou que o mecanismo subjacente pelo qual os polifenóis do pêssego estão inibindo a metástase é visando e modulando a expressão gênica de metaloproteinases.

Os pesquisadores calculam, a partir da dose necessária para ver os efeitos nos ratos, que o mesmo resultado seria visto em seres humanos com o consumo de 2 a 3 pêssegos por dia.

O trabalho baseou-se em pesquisas anteriores feitas na mesma universidade há alguns anos, que mostraram que os polifenóis do pêssego e da ameixa matavam seletivamente células de câncer de mama agressivos, mas não de normais.

O câncer de mama é tipo mais frequente no mundo e o mais comum entre as mulheres, depois do câncer de pele. No Brasil, as taxas de mortalidade por câncer de mama são elevadas, muito provavelmente porque a doença é diagnosticada em estádios avançados. Segundo dados do INCA (Instituo Nacional do Câncer) de 2011, 13.345 pessoas morreram no país por causa da condição naquele ano.

Segundo Cisneros-Zevallos, a maioria das complicações e alta mortalidade associada com o câncer de mama são devido a metástase.

“A importância do estudo é muito relevante, porque mostra in vivo o efeito que os compostos naturais, neste caso, os compostos fenólicos do pêssego, tem contra o câncer de mama e a metástase. Ele dá oportunidade para incluir na dieta uma ferramenta adicional para evitar e lutar contra esta terrível doença que afeta tantas pessoas”, conclui. [MedicalXpress, INCA]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

Deixe seu comentário!