Na Índia, garota com dor de estômago descobre restos semiformados de seu gêmeo parasita

Por , em 4.09.2019

Depois que uma garota de 17 anos de Patna, na Índia, chegou ao hospital com dores no estômago, os médicos realizaram um exame e descobriram que se tratava de um caso raro de fetus in fetu (FIF).

E o que é isso? Bem… A garota provavelmente engoliu seu gêmeo quando ambos ainda estavam dentro da barriga de sua mãe.

FIF

A adolescente vinha sentindo dores abdominais pelos últimos cinco anos. Também, ao comer, por vezes se sentia satisfeita muito rápido.

Os médicos que a examinaram notaram uma massa irregular na região, mas como os exames de sangue voltaram normais, resolveram realizar um escaneamento. Foi quando deduziram que a garota tinha FIF.

“Uma tomografia computadorizada de contraste abdominal (TCCA) mostrou uma massa bem definida que media aproximadamente 25 por 23 por 15 centímetros, estendendo-se do epigástrio [logo acima do estômago] à pelve superior. [A imagem] mostrou áreas de densidade de gordura, tecidos moles e múltiplos componentes de densidade calcificada de vários tamanhos e formas, semelhantes ao formato das vértebras, costelas e ossos longos. Essa massa estava causando deslocamento e compressão das vísceras abdominais adjacentes”, escreveram os profissionais de saúde em um estudo de caso.

Cirurgia

Depois de uma cirurgia, os médicos removeram o que parecia ser um ser humano parcialmente formado do abdômen da adolescente. A equipe descreveu uma massa que continha pelo, dentes, gordura, cartilagem, osso, além de tecido neural, intestinal e cutâneo.

A operação foi um sucesso, com a maior parte da massa removida, mas alguns pedaços tiveram que ser deixados para trás porque estavam aderidos aos vasos sanguíneos do trato gastrointestinal da garota. Removê-los arriscaria uma perda significativa de sangue.

A adolescente está bem, e agora só precisa retornar para checagens médicas anuais a fim de se certificar de que a massa não se tornou cancerígena.

“Fiquei muito preocupada com meu nódulo abdominal, depois da operação estou me sentindo muito bem, meu abdômen está agora liso e meus pais também estão muito felizes”, afirmou a jovem no estudo de caso.

FIF ou teratoma?

A teoria (ainda que não totalmente comprovada) dita que o FIF ocorre quando um gêmeo de um par idêntico é absorvido pelo outro. A hipótese é apoiada pela demografia afetada: geralmente, a condição é detectada em recém-nascidos (em 1 a cada 500.000 casos). O caso da adolescente indiana pode ser considerado ainda mais raro porque tal situação não é normalmente vista em pessoas com mais de 15 anos.

Existe a possibilidade de que se tratasse de um tipo de tumor conhecido como teratoma, também muito raro, formado por um ou mais tecidos embrionários. Essa massa de células germinativas pode conter pelos e dentes.   

É mais provável que a garota tenha absorvido seu gêmeo quando ambos ainda estavam no útero, no entanto – embora seja difícil diferenciar as duas condições, os critérios de diagnóstico para o FIF incluem um eixo vertebral com a formação de órgãos, enquanto o último é uma massa desorganizada de células pluripotentes. E, de fato, os médicos encontraram resquícios de membros e órgãos na massa.

O estudo de caso foi publicado na revista científica BMJ Case Reports. [ScienceAlert]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

Deixe seu comentário!