O estranho caso do feto de 60 anos

Por , em 2.12.2013

A história parece lembrar um pouco “O curioso caso de Benjamin Button”: uma velha senhora chinesa, com 92 anos, dá à luz um feto com 60 anos, mas o paralelo com a ficção termina por aí.

Huang Yijun ficou grávida em 1948, quando recebeu dos médicos a triste notícia que seu filho havia morrido na sua barriga. Sem dinheiro para pagar a cirurgia para extrair o feto morto, ela resolveu deixar tudo como estava e seguir sua vida. Anos mais tarde, ao sentir uma dor na barriga, a “criança” foi identificada como a causa do desconforto.

Em casos em que o feto morre no corpo da mãe, geralmente o tecido se desfaz e é absorvido pelo organismo da mulher, ou expulso. Não foi o que aconteceu com o feto da senhora Yijun, que foi calcificado — um dos métodos de defesa do corpo contra corpos estranhos —, um fenômeno raro conhecido como litopédio (de lito – pedra, pedo – criança; “criança de pedra”).

Litopédios começam normalmente como uma gravidez ectópica, quando o óvulo se fixa fora do útero, o que geralmente significa gravidez tubária. Em situações raríssimas, o feto se fixa na cavidade abdominal, como nos intestinos, no ovário, ou até mesmo na aorta, condições perigosas.

Um trabalho publicado no Journal of the Society of Medicine, em 1996, apontou apenas 260 casos de litopédio conhecidos pela medicina. O mais antigo deles era de uma senhora francesa que faleceu em 1582, com 68 anos, Madame Colombe Chatri, que se queixou de dores de barriga por 28 anos.

Usando os dados disponíveis, o trabalho apontou que a “gravidez pétrea” dura em média 22 anos. Em alguns casos, a mulher não fica sabendo que tem um litopédio. Ela fica grávida, os sinais da gravidez somem, ela pensa que teve um aborto e deixa tudo como está.

Mulheres que vivem em países onde o cuidado obstétrico não é amplamente disponível podem nem ficar sabendo de sua condição, até que a massa calcificada cause algum tipo problema de saúde, como uma obstrução intestinal, abcesso pélvico, problemas de fertilidade, entre outros. Foi o caso recente de uma mulher de 82 anos em Bogotá, na Colômbia, que teve um feto de 40 anos removido de seu corpo. Inicialmente, pensava-se que algum vírus era o que estava causando sua dor de estômago. [The Herald, NBC News, DailyMail]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

2 comentários

  • Aline Cruz:

    Minha avó teve um problema assim…o feto morreu e ela não percebeu…acabou perdendo o utero..

    • Larissa Cristina Lopes:

      Nossa bem diferente esse caso… Não sabia que isso poderia acontecer, nem imaginava.

Deixe seu comentário!