Neurocientista revela as 6 escolhas mais importantes que você pode fazer

Por , em 2.10.2017

O neurocientista Moran Cerf, da Universidade Northwestern (EUA), passou anos estudando como as pessoas fazem escolhas.

Seres humanos nem sempre são bons em tomar decisões: somos vítimas de vieses e preconceitos, deixamos as emoções atrapalharem nosso julgamento e nos cansamos de fazer escolhas com bastante rapidez.

Mas Cerf também aprendeu que fazer algumas escolhas realmente inteligentes no momento certo pode eliminar a necessidade de fazer centenas de escolhas menores e irritantes. Veja algumas de suas recomendações para ter uma vida feliz e sem estresse:

1. Escolha seus amigos com sabedoria


Cerf disse que esta é a escolha mais importante que uma pessoa pode fazer na vida.

Uma vez que a tomada de decisões é falha e exaustiva, ele argumenta que escolher seu círculo social maximiza suas chances de alcançar resultados felizes e satisfatórios.

Esse conselho é baseado em pesquisas que descobriram que as ondas cerebrais das pessoas se sincronizam quando elas estão na presença um do outro. Então, se você quer se tornar uma pessoa mais divertida ou fitness, pode ser uma boa ideia procurar amigos engraçados ou fisicamente aptos. Você naturalmente começará a se tornar mais como eles.

2. Note como você é sortudo


O neurocientista argumenta que as pessoas têm muito mais sorte do que pensam. A cada semestre, ele encoraja seus alunos da Universidade Northwestern a anotar todas as vezes em que se arriscaram e isso teve um bom resultado.

Por exemplo, toda vez que eles dirigem acima do limite de velocidade e não levam uma multa, fazem uma anotação. Toda vez que levam uma multa, fazem uma anotação. No final do mês, eles podem dar uma olhada nos resultados ruins e nos bons.

Muitas vezes, as pessoas ficam surpresas ao ver quão sortudas elas na verdade são.

3. Evite a sobrecarga de dados


Muitas pessoas gostam de pensar que informação é a chave para tomar alguma decisão. Mas números não necessariamente mudam os hábitos das pessoas.

O conselho de Cerf é parar de basear escolhas cotidianas em números individuais. Isso é particularmente interessante no caso de uma dieta. Os números se tornam facilmente os objetivos em si, em vez de uma métrica para rastrear o seu progresso.

Cerf costuma, por exemplo, se pesar, mas sem olhar o resultado. A balança registra cada pesagem, mas ele apenas confere os números no final da semana. Segundo o neurocientista, isso o ajuda a pensar menos em números e mais sobre a tendência de perda de peso, no geral.

4. Crie o orçamento certo para você


Como um neurocientista que estuda escolhas, o dinheiro é um dos maiores interesses de Cerf. Ele descobriu que muitas pessoas têm dificuldade em fazer orçamento corretamente, devido à complexidade envolvida nas contas. Mas é muito importante que elas o façam.

Por exemplo, algumas pessoas recebem salários a cada quinze dias, enquanto possuem contas fixas para pagar uma vez por mês; elas também costumam fazer compras talvez quatro vezes por mês, enquanto comem três refeições por dia e assim por diante.

O conselho de Cerf é ajustar todas essas entradas e saídas de dinheiro em único orçamento. Pode levar alguns meses de adaptação, mas o resultado é menos estresse e uma maior sensação de controle sobre as finanças.

5. Terceirize suas escolhas amorosas


Cerf considera a tomada de decisão humana como intrinsecamente defeituosa. Logo, não é nenhuma surpresa que as pessoas tenham dificuldade em encontrar o parceiro romântico certo.

Muitas vezes, elas não possuem clareza sobre a situação, tomando decisões erradas, e é por isso que deveriam deixar os amigos ajudarem.

Cerf disse que pode ser uma boa ideia confiar em amigos para lhe apresentarem pessoas que eles pensam que combinam com você. Seus amigos estão próximos o suficiente de você para te conhecerem bem emocionalmente, mas quando se trata de decisões amorosas, possuem uma perspectiva de fora que pode ser muito útil.

6. Faça o bem (para os outros)


Mesmo se você fizer as escolhas certas para você mesmo, diversas pesquisas científicas descobriram que é ajudar os outros que provavelmente traz mais felicidade para as pessoas.

Ou seja, gaste dinheiro com quem você ama, ou doe seu tempo para uma causa. Os resultados de estudos mostram que fazer caridade e ser altruísta aumenta a sensação de satisfação com a vida e diminui as chances de ficar doente ou estressado. [BusinessInsider]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (16 votos, média: 4,81 de 5)

Deixe seu comentário!