Nosso universo pode não ser o primeiro – nem o último

Por , em 23.11.2010

A atual teoria amplamente aceita do começo vida e do universo diz que tudo que existe agora nasceu de um “pacote pequeno e apertado” a partir do qual houve a explosão conhecida como Big Bang, cerca de 13,7 bilhões de anos atrás. Essa explosão arremessou violentamente tudo à existência.

Mas 13,7 bilhões anos para chegar onde estamos não é suficiente para alguns especialistas. O físico Roger Penrose tem uma teoria diferente: ele acredita poder provar que as coisas não são ou não foram tão simples assim.

Com base em uma evidência encontrada na radiação cósmica de fundo, o físico afirma que o Big Bang não foi o começo do universo, mas um em uma série de Big Bangs cíclicos, sendo que cada um desses Big Bangs gerou o seu próprio universo.

Apesar de haver teorias meio malucas, a ideia do físico parece ser relativamente possível. Ele afirma ter encontrado as provas de que precisava para sustentar sua hipótese do universo cíclico na radiação cósmica. A radiação cósmica de fundo deve ter começado a existir quando o universo tinha apenas 300 mil anos de idade, e por isso é tratada como uma espécie de registro do estado do universo naquele momento.

Pela estimativa do cientista, o nosso universo não é o primeiro, e mais importante, nem será a último. Na verdade, é esse alto grau de ordem aparentemente presente desde o nascimento do universo que levou o físico a essa linha de pensamento.

O atual modelo do Big Bang não fornece um motivo para que um estado altamente ordenado e uma baixa entropia existissem no momento do nascimento do nosso universo, a menos que as coisas fossem colocadas em ordem antes de ocorrer o Big Bang.

De acordo com Penrose, cada universo retorna a um estado de baixa entropia à medida que se aproxima do dia final da sua expansão ao nada. Os buracos negros, devido ao fato de que sugam tudo o que encontram, passam suas vidas trabalhando para “limpar” a entropia do universo. E, conforme o universo se aproxima do seu fim, os buracos negros se evaporam, colocando as coisas de volta em um estado de ordem. Incapaz de se expandir mais, o universo “se colapsa” e volta a ser um sistema altamente organizado, pronto para disparar o próximo Big Bang.

O modelo atual do universo diz que qualquer variação de temperatura na radiação cósmica de fundo deve ser aleatória, mas o físico afirma ter encontrado círculos concêntricos muito claros dentro dessa radiação, sugerindo regiões onde a radiação tem faixas de temperatura muito menores. Essas seriam as evidências esféricas dos efeitos gravitacionais das colisões de buracos negros durante o universo anterior. Os círculos se encaixam bem em sua teoria, mas não são tão coerentes na teoria padrão do Big Bang.

Ainda assim, não é possível afirmar que a nova teoria seja mais verdadeira. O físico ainda tem que “ligar” algumas pontas soltas de seu trabalho, e provar alguns pressupostos. Seus estudos vão ser examinados cuidadosamente, e quem sabe um dia sua teoria pode vir a revolucionar os fundamentos da física moderna. [POPSCI]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 5,00 de 5)

44 comentários

  • Claudio Do Nascimento Souza:

    Alguém me diz o que “Provar” tem em comum com ciência.

    • ayronD12:

      Bem ,Claudio, de acordo com o que você falou, a ciência não tem de fato uma logica, uma coisa não pode simplesmente existir,(de fato é verdade) no entanto eu gosto da ciência, por que apesar dela não chegar ao ponto zero e acabar de vez com qualquer duvida formando uma logica perfeita, ela tenta buscar o máximo de logica possível em qualquer assunto no qual temos duvida, eu prefiro a ciência, por que?
      1: tem mais logica do que qualquer outro fundamento polemico contraditório(religião,ufologia,etc.)
      2:sempre foi justo com todos, não matou herege algum.
      3:não é um simbolo de poder único, da conhecimento desde o mais rico ao mais pobre, não critico a religião, cada um com suas opiniões, quando morrermos veremos o que esta certo e o que esta errado, se alguém tiver alguma opinião contraditória a minha peço que diga, e acabe de vez com esse impasse de crenças.

  • cp:

    em relação a possibilidade de outros universos, temos que entrar na filosofia pra separar a existencia da imaginação.
    a vida pertence a este universo, que nesse sentido é fechado, apesar da evidência da aceleração da expansão, justificada pela energia escura, indicar o contrário.
    se a ciência humana, cosmologia no caso, adquire o poder de extrapolar os domínios da existência, então podemos juntar as evidências e criar modelos.
    assim sendo, me permito imaginar (como uma ferramenta válida e verificável) que a aniquilação matéria X antimatéria gerou essa energia potencial, se tornando, portanto, a causa motora dos big bangs.

  • Werex:

    Fábio Cerqueira, toda explosão de certa forma é uma expansão, pois emite energia, e as expansões violentas são chamadas de explosões.
    Então o BigBang foi uma explosão sim.

  • Tony Amorim:

    Realmente, á isso aí

  • Val Brand:

    Muito cuidado, não levem muito a sério:- Big Bang, universos paralelos, matéria escura, são teorias. O fato é que ainda não conhecemos nem as profundezas de (nossos) oceanos, a maioria das nossas doenças ainda não tem cura, queimamos combustíveis fósseis em nossos automóveis, nós matamos os nossos semelhantes e destruímos o nosso planeta com uma incrível facilidade… A verdade é que não sabemos nada, não aprendemos nada e não evoluimos absolutamente nada.

    • caio:

      Como você consegui afirmar que não evoluimos nada? A tecnologia que você usufruir, o meio de tranporte que você utiliza, isso é oque? Não pode descobri a cura de certas doenças assim de uma hora para outra, isso leva tempo, tem nem como compara com os séculos passados. Mata nossos semelhantes é consequencia de uma civilização diversificada, raciolnal,inteligente e numerosa. A “destruição” do nosso planeta é quase que inevitavel pelo padrão de vida que nós levamos ou certa parte leva.

  • Tony Amorim:

    Mas a natureza cíclica e ritmica das coisas, e a composição desses ritmos e ciclos numa espécie de “sinfonia”, essa eu já sabia da observação empírica mesmo, e da analogia com outros fenômenos similares.
    Concluindo, para uma pedra todos os livros do mundo são insuficientes, para um entendedor razoável meia palavra basta. Mas o bom entendedor só precisa observar com atenção o que acontece ao redor e usar os recursos de pesquisa de que dispõe.

  • Tony Amorim:

    Não inventei nada

  • Tony Amorim:

    Mais um pouco: http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=lei-gravidade-revisada-dispensar-materia-escura&id=010130091123

    https://hypescience.com/o-cosmo-possui-uma-historia-antes-do-big-bang/

    e por aí vai

  • Tony Amorim:

    Tiro da internet memo, é só se dar um pouco o trabalho de pesquisar. Mas taí uma amostra: http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=energia-escura-materia-escura-nao-existir&id=010130101018

  • Ananias:

    Mentis finitas, sobre assuntos infinitos sempre vai dar margem a questões sem uma resposta concréta, teorias e mais teorias, e sempre ficara difícil de explicar ou achar uma idéia concréta sobre o início no caso universo, eo pós fim no caso da vida humana.

  • felipe:

    @Tony Amorin
    “Baseio o que acredito no fato na natureza ser intrinsecamente cíclica, com padrões repetitivos”
    Hein?!
    Cara do que você está falando? A natureza não é intrinsecamente cíclica, de onde você tira essas coisas?

    “E há ainda a controversia de se matéria e energia escura realmente existem, nem os maiores cientistas do mundo entram totalmete em acordo quanto a isso.”
    Novamente, de onde você tira essas coisas? Tanto a materia escura quanto a energia escura ja foram provadas.
    http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=010130060823
    http://www.scientificamerican.com/article.cfm?id=geometric-test-universe

    “E talvez tenha me expressado mal, a aceleração existe sim, de fato, mas mesmo que os intrumentos científicos mais sofisticados digam que ela é constante”
    Mais uma vez, de onde você tira essas coisas? A taxa de aceleração não é constante ela está aumentando. Se não fosse pela energia escura ou a taxa de acelaração estaria diminuindo ou a taxa de crescimento estariam diminuindo pela ação da gravidade.

    “Expansão acelerada é, a meu ver, apenas a primeira fase do grande “ciclo””
    Blz, você pode acreditar no que quiser, não estou argumentando contra isso.

  • Tony Amorim:

    https://hypescience.com/o-cosmo-possui-uma-historia-antes-do-big-bang/comment-page-1/#comment-75483

  • Tony Amorim:

    Expansão acelerada é, a meu ver, apenas a primeira fase do grande “ciclo”

  • Tony Amorim:

    Tudo o que temos são dados empíricos, nenhuma certeza. Baseio o que acredito no fato na natureza ser intrinsecamente cíclica, com padrões repetitivos, não vejo por que esse caso seria exceção.
    E há ainda a controversia de se matéria e energia escura realmente existem, nem os maiores cientistas do mundo entram totalmete em acordo quanto a isso.
    E talvez tenha me expressado mal, a aceleração existe sim, de fato, mas mesmo que os intrumentos científicos mais sofisticados digam que ela é constante, pode ser que haja uma mínima redução ao longo de bilhoes de anos, isso é indetectável como tentar observar a olho nu o movimento do ponteiro das horas de um relogio.

  • felipe:

    @Lucas
    Esses dois links são bons:
    http://cesarakg.wikispaces.com/Talkorigins+-+Evid%C3%AAncias+do+Big+Bang
    http://www.on.br/certificados/ens_dist_2008/site/conteudo/modulo4/3-big-bang/big-bang.html

    @Tony Amorin
    A expansão está acelerada pela ação da energia escura, se fosse apenas a força resultante do Big Bang então a expansão seria constante ou estaria se desacelerando.
    Sim, a aceleração da expansão está ocorrendo agora, mas você parece que não entendeu o problema, mesmo que ela possa se inverter e começar a retrair o universo nós não temos evidencia nenhuma para isso, todas as observações que temos apontam que a energia escura sempre se comportou assim, mesmo que não seja impossível não deve ser considerado pois as teorias cientificas explicam a natureza pelas observações e experimentos, se você ver uma bola azul você deveria presumir que ela é uma bola azul ou que ela é azul algumas vezes mas fica espontaneamente vermelha outras vezes, sendo que você só a observou azul?

  • Tony Amorim:

    Sim, a expanção está acelerada neste primeiro “momento” cósmico, ainda impulsionada pela força do big bang, mas quem garante que continuará assim para sempre? Pode acontecer dela diminuir até zerar, e depois começar “a grande retração”

  • Tony Amorim:

    Pois é, até nossas “crenças” tem que ser bem construídas

  • Lucas:

    Bom… acreditava nessa teoria até descobrir que o Big Bang está em expansão acelerada….
    Alguém podia me explicar que força faz com que o universo se expanda de forma acelerada?

    Vou descrever como eu ACREDITAVA que funcionava:
    Acreditava num loop infinito que se seguia assim nessa sequencia:
    1.Big Bang
    2.Formação do Universão como conhecemos
    3.Pela ação gravitacional estrelas se uniriam e formariam grandes buracos negros
    4.Por meio da gravidade os buracos negros atrairiam uns aos outros e também o resto do universo
    5.Dessa forma estaria formado, depois do ciclo completo, um ponto incrivelmente quente e denso que daria origem a outro big bang

    Não só acreditava nisso como publiquei um vídeo com essa idéia. Lógicamente não sabia que o universo estava em expanção ACELERADA. Sempre tive a idéia que a expanção estivesse desacelerando.
    Também sei que existem outras falhas técnicas como a perda de energia das estrelas por irradiação que não permitiria que esse ciclo fosse ad infitum. Alguém poderia mandar um link ou me citar alguma obra que possa exclarecer como funciona de fato a teoria mais aceita atualmente do big bang?

  • mauro:

    este comentário do guigui leigo foi o pior que eu já vi no site, pelo amor

  • felipe:

    O principal problema com essa teoria é que o universo está em expansão acelerada, não ha nenhum sinal de que ele vá começar a se contrair.
    Não entendi o que ele quis dizer sobre os círculos concêntricos, como podem ser resultado dos buracos negros do “universo anterior” se na singularidade esse efeitos deveriam ser “zerados”?
    Quem quiser ler o artigo está aqui:
    http://arxiv.org/ftp/arxiv/papers/1011/1011.3706.pdf

    “vale a intuição e o que vc acredita ! O resto é bla bla bla !”
    Esse é um dos comentários mais infelizes que eu já li aqui. É triste imaginar que haja pessoas que pensem assim. Do que importa saber de algo por estudo e observações se você pode simplesmente imaginar e achar que é a verdade; por que deveríamos testar nossas teorias por observações e experiências para ver se elas estão corretas se podemos acreditar no que for conveniente?
    Com certeza teríamos melhores medicamentos, melhores plantações, mais energia, etc.

  • livramento:

    Alguem manda nessa area e não é qualquer lider eleito por estes ou aqueles
    Não se pode negar a existencia de DEUS, mesmo que haja quem não acredite nele.

  • kiddo:

    Estou com os sábios indus (dia cosmico, respiração…)
    Pra mim o universo expande, se retrai… buuum de novo… expande, retrai… bum de novo… e por aí vai, pra sempre !
    Porque “Deus” é eterno, assim como a energia e a mudança.
    Mas não há porque se preocupar: somos todos energia divina
    e tamos aí pra sempre. E como ninguém sabe nada, e o universo se retrairá outra vez antes que saibam, vale a intuição e o que vc acredita ! O resto é bla bla bla ! rsrs

  • flavio ciência:

    ai cesar concordo com voce e acho que temos muito em comum quando se trata de ciencia voce tem um site , voce é fisico ou quimico parabens

  • yuji:

    Como Deus é grande e incrível , e como nós somos pequenos ,o universo não tem começo e nem fim , pode ser que tenha ciclos ou de tempos em tempos se abre e fecha , o universo não é um só , são vários universos , com as quais cada um tem milhares de dimensões ,estamos todos numa delas .

  • Tony Amorim:

    Toda resposta minimamente científica tende a abrir um leque de novas perguntas. A história confirma isso.

  • Dener F.:

    Esse site deveria mostrar discuções de seus seguidores ao vivo pela Internet, uma vez que elas trariam novos conceitos e novas maneiras de pensar.

  • Ninja:

    Maravilha, mas esse tipo de conhecimento só serve pra escrever livro.

  • Rodrigo:

    Cesar, mas mesmo a física precisa dessa explicação, desse “começo”. Uma outra teoria diz que toda essa gravidade “inexplicável” de nosso universo vem de um “outro universo” acima de nós e que estamos dentro de um buraco de minhoca. Mas e esse universo acima de nós, de onde vem a gravidade dele? São idéias monumentais, realmente nossa noção é muito limitada e tudo isso é muito maior do que a nossa mente possa processar. Por isso é que eu acho que o ceticismo incrédulo e fanático também não é uma frente interessante, assim como a religiosidade fanática. É tudo muito complexo e não podemos ter certeza DE NADA.

  • lipp:

    Essa teoria de universos paralelos é muito complicado p minha cabeça.

  • Gray:

    Essa teoria é linda e ao mesmo tempo bizarra…

    Universos finitos implica que há uma probabilidade finita de variações, ou seja, uma quantidade limitada de “histórias” diferentes para o universo.

    Sendo assim, cada uma delas já ocorreu infinitas vezes. Ou seja, já houveram pessoas exatamente iguais a você, que fizeram exatamente o que você fez. Ou que fizeram tudo o que você quis fazer, mas não conseguiu.

  • eduardo:

    César, concordo com vc sobre Penrose ter q apresentar provas, assim como qualquer pesquisa…. e é exatamente nisso q ele deve estar pensando nesse momento…
    Mas, na minha opinião de leigo, essa teoria é um pouco mais compreensível do q simplesmente dizer q o universo surgiu de um átomo primordial…
    E outra, sobre a não evidência de q exista outra força capaz de contrair o universo, devemos lembrar de uma outra notícia na qual mostra que, talvez, o universo não sofra das mesmas reações físicas em toda parte do espaço sideral, ou seja, as leis da física podem sim mudar, ser diferentes ao longo desse espaço. Tá aki o link pra kem tiver curiosidade: http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=variacao-leis-fisica&id=010830100910

  • eduardo:

    E esse ciclo encerra-se em 12/12/2012…. kkkkkkkkkkkk….

    Interessante e ousado o pensamento desse cientista…. vou ler mais a respeito… valew pela notícia…

  • Alex Keher:

    Rodrigo, para entender esse conceito de não haver ‘começo’ é mais fácil você imaginar o tempo como a ‘superfície’ de uma esfera que se expande para sempre e tentar imaginar onde ele é o ‘começo da esfera’.
    Esse é apenas um modelo mental para tentar superar a intensa tendência que nossos cérebros têm a sentir a linearidade do tempo que na verdade é uma ilusão.
    Ou uma estrada muito longa em que você vê um kilômetro de cada vez mas se olhar de um satélite verá tudo simultâneamente.
    Nós somos o viajante na estrada, se sua espiritualidade exigir isso, imagine que deus vê tudo de um satélite. 😉

  • Cesar:

    Rodrigo, não há necessidade de “um começo”. Esta é uma maneira limitada de pensar, e é típica dos humanos: nós temos um começo e um fim, e achamos que todo o Universo tem que ser igual a nós.

    Sobre a hipótese do Penrose, ele tem que primeiro explicar como é que o nosso Universo vai entrar em contração, já que ele está em expansão acelerada e, pelo que sabemos, não há força alguma capaz de impedir esta aceleração e expansão. Mas não é só dizer que existe uma força que fará o serviço, tem que ter um modelo e evidências empíricas ou pelo menos a forma de obtê-las.

    Por enquanto, o modelo do Penrose é cheio de furos. Com o que sabemos, ele não serve. Claro que não sabemos tudo, mas isto não significa que devemos jogar fora o que sabemos e abraçar qualquer hipótese só por que gostamos mais desta ou daquela.

  • Gil:

    Ou seja, a Matrix é criada e recriada o tempo todo!

  • Rodrigo:

    Sim, mas daí temos outra pergunta: e o que causou os outros universos antes de seus próprios “big bangs”? Onde isso se iniciou?! Se é um ciclo contínuo de “morte e nascimento”, como isso começou? A resposta dele só deu margem a outra pergunta…

  • Tony Amorim:

    Se a palavra “Deus” já está muito desgastada pelo mau uso, troquemo-la então por algo como “Princípio organizador universal” ou “Lei universal de organização de todos os sistemas”, o que vem a ser palavras diferentes definindo a mesma coisa. Francamente, nunca achei mesmo que fosse um velhinho barbudo e zangado sentado numa nuvem…

  • Tony Amorim:

    Interessante, é exatamente o que dizem místicos do oriente, gnosticos e teósofos, mas com outras palavras é claro. Eles trabalham com o conceito de “dia cósmico”, “manvantra” e outros termos. Significam períodos imensos de tempo no qual se fecha um ciclo, a natureza aliás funciona ciclicamente. As estações do ano, o alternar dia/noite, as marés, o giro das etrelas e planetas são apenas alguns exemplos dessa incrível “dança” cósmica que sugere um “todo” altamente organizado. A teoria faz muito sentido e vale a pena ser pesquisada a fundo.

    • jodeja:

      Concordo inteiramente. O dia cósmico, segundo Blavastsky compõe de um mavântara e um pralaya.

  • Algures:

    Essa teoria não é nova, e a acho muito bacana. Para mim, que sou um leigo, faz muito mais sentido do que a singularidade (ou a criação espontânea por conta de uma divindade).

  • Fábio Cerqueira:

    big bang não foi explosão, “foi” uma expansão.

  • GUIGUI leigo:

    Já estive aqui e rápidamente comentei sobre “nosso universo”, “nosso big bang”. E o dos outros pensantes? – Roger Penrose abriu apenas o visor da porta mas deve ousar mais e pelo menos, abrir uma fresta. E repito: A luz não é o máximo. Há outros(as) mais rápidas, – Nosso universo está contido no infinito que contém outros e outros.

Deixe seu comentário!