Buracos negros não existem

Por , em 24.09.2014

Os misteriosos buracos negros são os objetos mais escuros e mais densos do universo, que nem sequer deixam escapar luz.

Muito já foi teorizado sobre eles, mas uma pesquisa recente pode levar todo esse campo de estudo por água abaixo: ao fundir duas teorias aparentemente conflitantes, Laura Mersini-Houghton, professora de física na Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill (EUA) disse ter provado matematicamente que os buracos negros não existem.

“Eu ainda estou em choque”, disse Mersini-Houghton. “Estamos estudando esse problema [de fundir duas teorias diferentes] por mais de 50 anos e esta solução dá-nos muito que pensar”.

As duas hipóteses mencionadas por Mersini-Houghton são a teoria da gravidade e a mecânica quântica.

Os contraditórios buracos negros

Cientistas creem que os buracos negros se formam quando uma estrela massiva colapsa sob sua própria gravidade em um único ponto do espaço (para entender o que isso significa, imagine a Terra sendo esmagada em uma bola do tamanho de um amendoim). Esse ponto único é chamado de singularidade.

Eles também creem que uma membrana invisível conhecida como horizonte de eventos envolve a singularidade. Cruzar esse horizonte significa que você nunca poderia voltar – esse é o ponto onde a força gravitacional de um buraco negro é tão forte que nada pode escapar dela.

A razão pela qual os buracos negros são tão bizarros é que colocam duas teorias fundamentais do universo uma contra a outra.

A teoria da gravidade de Einstein prediz a formação de buracos negros, mas uma lei fundamental da teoria quântica afirma que nenhuma informação do universo pode desaparecer. Esforços para combinar essas duas teorias levam a um absurdo matemático, conhecido como o “paradoxo da perda de informação em buracos negros”.

Tentativa de combinação

Em 1974, Stephen Hawking usou a mecânica quântica para mostrar que buracos negros emitem radiação. Desde então, os cientistas detectaram impressões digitais no cosmos que são consistentes com esta radiação, identificando uma lista cada vez maior de buracos negros do universo.

Eles existem então, certo?

Segundo Mersini-Houghton, errado.

Ela descreve um cenário totalmente novo. A física concorda com Hawking que, conforme uma estrela colapsa sob sua própria gravidade, produz a chamada radiação de Hawking. No entanto, em seu novo trabalho, Mersini-Houghton mostra que, ao liberar esta radiação, a estrela também lança massa. Sendo assim, a estrela encolhe e já não tem a densidade necessária para se tornar um buraco negro.

De acordo com a pesquisadora, evidências experimentais podem um dia fornecer prova física quanto à possibilidade ou não de buracos negros existirem no universo. Mas, por enquanto, a matemática aponta conclusivamente que eles não existem.

Seu artigo ainda não foi revisado por outros cientistas e publicado em uma revista científica. No entanto, oferece soluções numéricas exatas para o problema do paradoxo da informação em buracos negros, e foi feito em colaboração com Harald Peiffer, especialista em relatividade numérica da Universidade de Toronto (Canadá).

Um estudo anterior de Mersini-Houghton que oferecia soluções aproximadas para o problema já foi publicado na revista Physics Letters B, no entanto. É provável que seu novo artigo seja revisado e publicado em breve.

Se os buracos não existem…

Muitos físicos e astrônomos acreditam que o nosso universo se originou a partir de uma singularidade que começou a se expandir com o Big Bang. No entanto, se buracos negros não existem, singularidades não existem.

Caso Mersini-Houghton esteja certa, os físicos terão que repensar suas ideias sobre o Big Bang. [Phys]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (4 votos, média: 4,00 de 5)

26 comentários

  • Paulo Henrique Lellis Gonçalves:

    Perder radiação implica em perder massa, mas isso de forma alguma altera o fato de buracos negros existirem.

  • Jean Carlos Pires Araújo:

    acredito que seja algo mais próximo a uma esfera com uma gravidade absurda onde nenhuma informação é emitida, apenas fica armazenada

  • Raul Rosá:

    Alguém poderia me explicar o que é essa “perda de informação” que acontece quando algo cruza o horizonte de eventos?

  • Tiago Negociador:

    Não concordo, fui num prostíbulo na Africa e vi bastante “buraco negro”…

  • Leonardo Gasparotto:

    E como fica essa notícia? https://hypescience.com/buraco-negro-e-flagrado-engolindo-planeta-gigante-pela-primeira-vez/

    • Marcelo Ribeiro:

      Muito do que sabemos sobre buracos negros é teórico. Se uma teoria mostra que eles não existem isso é demasiado interessante, mesmo que possa estar em desacordo com futuras observações e experimentos.

  • Adriano Bordignon:

    Sou só eu ou a descrição estaria correta apenas para um certo “tamanho” de buracos negros? Porque ela diz que quando a estrela colapsa ela perde massa emitida em forma de radiação, e aí ela não teria massa suficiente para se tornar um buraco negro. Mas e se a estrela em colapso for tão grande, que mesmo emitindo massa em forma de radiação ainda sobre massa suficiente para ela se tornar um buraco negro? Já foram encontrados vários desses “monstros” com milhares/milhões de vezes a massa do…

    • Thiago Henrique:

      Foi exatamente isso que pensei ao ler essa matéria, nas estrelas com tamanhos monstruosos

  • Hugo Oliveira:

    “ao liberar esta radiação, a estrela também lança massa. Sendo assim, a estrela encolhe e já não tem a densidade necessária para se tornar um buraco negro.”

    Discordo completamente desta afirmação!

    O principio é o mesmo que um carro em movimento com as janelas abertas! o ar entra e sai! a estrela lança matéria, mas tb absorve matéria, daí ela manter o tamanho… a duvida, diminui o tamanho, aumenta, ou simplesmente mantem o equilibrio perdendo massa em quantidades semelhantes as…

    • Cesar Grossmann:

      Hugo, o Sol vem perdendo massa dia a dia, na forma de vento solar, e não recebe nenhuma. O princípio do carro de janelas abertas serve para carros, não para estrelas.

      Senão, não existiriam nebulosas moleculares, resultado da explosão de estrepas, as chamadas Novas, Supernovas e Hipernovas.

    • Artur Vasconcelos:

      Cesar Grossmann, O que o Hugo falou faz sentido sim. O Sol não tem massa pra sugar estrelas próximas como uma singularidade, mas nossa estrela recebe sim massa, cometas e asteroides que caem por lá e por aí vai. Só que o Sol mais perde que ganha. Os buracos negros provavelmente possuem saldo também negativo, porém pra se afirmar qualquer coisa é necessário saber a quantidade de massa recebida Vs a quantidade de massa emitida em radiação pelos supostos buracos negros.

    • Cesar Grossmann:

      Artur, é pior ainda, o trabalho original fala dos momentos em que a estrela está experimentando seus últimos estertores, ou seja, quando ela é uma supernova.

      De qualquer forma, buracos negros existem e sabemos que eles existem por causa das evidências. Isto implica que em algum ponto este trabalho tem um erro ou está desconsiderando alguma coisa, algo que até mesmo pode ser ainda desconhecido.

      Eu estou esperando o veredito dos especialistas…

  • Elvis Code:

    Minha teoria é que tudo o que ultrapassa o horizonte de eventos viaja para o passado.É só cruzar algums conceitos conhecidos e colocar outros à prova.Acho que a velocidade da luz pode ser ultrapassada.Mas concordo com ele q não se pode separar espaço do tempo.Se o espaço acelerar o tempo tem que acompanhar.Mesmo que seja além da velocidade do próprio evento.Tornando possível desaparecer do presente. toda a matéria do buraco ultrapassou tal velocidade e não pode ser mais vista no presente.

    • Goob:

      Agora me diz, quem disse que as ”informações que passam pelo buraco negro é perdida?”

    • Cesar Grossmann:

      Pelo conceito de buraco negro e horizonte de eventos, não se obtém nenhuma informação exceto massa, carga e momento angular.

  • Rockson Pra:

    bom,tem algo nessa teoria que não se encaixa,”onde está a alta concentração gravitacional oriunda da explosão?ainda é muito cedo para ter essa teoria como correta é necessario mais estudos.

  • Italo Pereira Guimaraes:

    Como assim eles não existem? os astrofísicos encontraram dezenas de buracos negros no universo, um bem no centro da nossa galáxia, dizer que eles não existem não seria negar as próprias evidencias??

    • Olho de Rapina:

      Ítalo, essa nova teoria mesclada sugere que não existem buracos negros, mas isso não quer dizer que não haja nada lá, isso apenas aponta que as teorias estão erradas ou simplesmente não corretas o suficiente. Não é negar as evidencias já q não há provas. O que ocorre, no caso desta nova teoria é que o evento que existe e q chamamos de buraco negro não é o q se acredita e sim algo diferente. A teoria apenas aponta que matematicamente buracos negros não existem e não que não há nada lá.

    • Alexandre Marques:

      Eles acham a radiação Hawking emitida por eles. Se as provas aqui estiverem corretas, essa radiação vêm de outra fonte ou do resultado.

  • Kelvin Kredens:

    interessante…

    mas então, o que existe no centro das galáxias?

    • Cesar Grossmann:

      Pelo que sabemos hoje, buracos negros. Entretanto, se não existirem buracos negros, se eles ejetarem a maior parte da massa quando implodem, então a massa ainda “está lá”.

      Mas ainda tem mais coisas a explicar, como os disparos de raio-X. Não levo muita fé nesta hipótese dos buracos negros não existirem. Vamos ver o que vai sair daí…

    • Otavio Franco:

      Algo que ainda chamamos de buracos negros, ou cinzas, mas cujos efeitos são distintos do que acreditamos até agora.

  • João Victor R. Fróes:

    Agora me perdi!

  • Italo Pereira Guimaraes:

    Acho que tem algo errado, a velocidade com que a estrela entra em colapso é absurdamente maior que a taxa com que ela emite radiação Hawking, portanto ela colapsa muito antes de ter emitido radiação suficiente para reduzir sua densidade e evitar o próprio colapso. um buraco negro emitindo radiação Hawking levaria em média bilhões, ou até trilhões de anos para evaporar completamente.

    • Cesar Grossmann:

      Esta é uma das críticas a este trabalho, a de que ele ignora como a radiação Hawking funciona. Por enquanto isto é briga de cachorro grande, quando os especialistas mudarem o consenso, eu mudo também, até lá, fico com o consenso atual, e por ele, buracos negros existem.

    • Rockson Pra:

      seu comentário tem muito sentido.pois a teoria que nos apresentam se assemelha a fotovaporização. que é o processo citado por você no final.parabéns.

Deixe seu comentário!