O computador quântico do Google é cem milhões de vezes mais rápido que seu notebook

Por , em 9.12.2015

Depois de realizar uma série de testes, uma equipe de pesquisadores do Google alegou que o controverso computador quântico da empresa, D-Wave, realmente funciona.

A gigante da tecnologia comprou um dos computadores quânticos da D-Wave em 2013, anunciando que era o primeiro comercial do seu tipo no mundo. O dispositivo fica no Centro de Pesquisa Ames da NASA em Mountain View, Califórnia, nos EUA, onde é programado para resolver problemas de otimização.

Em teoria, o hardware do D-Wave deve ser potencialmente 3.600 vezes mais rápido que um supercomputador convencional. Na prática, a máquina tem gerado muita polêmica – vários estudiosos já disseram que o Google não foi capaz de provar que seu computador realmente faz uso de efeitos quânticos verdadeiros.

O diferencial

Os computadores quânticos podem, teoricamente, ser muito mais rápidos porque se aproveitam de uma peculiaridade na mecânica quântica. Enquanto computadores clássicos usam bits em 0 ou 1, os computadores quânticos usam “qubits” que podem existir em 0, 1 ou uma sobreposição dos dois estados. Isso permite que a máquina chegue a possíveis soluções para problemas mais velozmente.

Até agora, não ficou evidenciado, sem sombra de dúvidas, que o D-Wave é muito mais rápido e tem um processo de resolução de problemas diferente e superior a computadores convencionais.

É isso que a equipe do Google reclama ter feito recentemente. Eles publicaram seus resultados online na plataforma arXiv.

Os testes

A equipe colocou seu computador quântico D-Wave contra um computador convencional com um único processador em uma série problemas de otimização conhecidos como recozimento.

O computador regular usou uma técnica conhecida como recozimento simulado para resolver os problemas, enquanto o computador quântico utilizou recozimento quântico.

De acordo com o Google, em problemas envolvendo cerca de mil variáveis binárias, o recozimento quântico superou significativamente o clássico: foi mais do que cem milhões de vezes mais rápido do que o recozimento simulado.

A equipe também comparou o hardware quântico com outro algoritmo chamado Quantum Monte Carlo, um método projetado para emular o comportamento de sistemas quânticos, mas executado em processadores convencionais. Novamente, o D-Wave superou seu oponente por 10^8.

As dúvidas sobre o computador quântico continuam

Parece uma vitória convincente, mas ainda precisamos aguardar para comemorar o sucesso do D-Wave.

Primeiro, a pesquisa precisa ser revisada por outros cientistas da área de física quântica. Em seguida, mesmo que os resultados sejam confirmados, é preciso levar em conta que a equipe do Google não escolheu o algoritmo mais eficiente que o computador convencional poderia utilizar.

O computador regular usou uma técnica algoritmicamente semelhante à executada no computador quântico, mas uma abordagem alternativa poderia tornar seus cálculos mais rápidos.

O Google se explicou destacando que o potencial para o computador convencional de trabalhar mais rápido não se estenderia conforme os problemas crescessem em tamanho no futuro, e por isso escolheu comparar os dois algoritmos que foram utilizados nos testes.

Por enquanto, as novas reivindicações da empresa ainda podem ser questionadas por outros pesquisadores. [Gizmodo]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 4,00 de 5)

Deixe seu comentário!