O rover de Perseverance da NASA acabou de transformar CO2 marciano em oxigênio

Por , em 23.04.2021

Um instrumento científico do tamanho de uma torradeira do rover Perseverance da NASA capturou um pouco de dióxido de carbono da atmosfera marciana e o converteu em oxigênio.

É um importante passo que poderia levar a um futuro no qual viajantes do espaço não apenas geram o próprio ar que respiram, mas também criam combustível de foguete para voltar para a Terra.

O instrumento, chamado Mars Oxygen In-Situ Resource Utilization Experiment (MOXIE), é uma demonstração de tecnologia que poderia levar a para gerar combustível suficiente para que uma tripulação de astronautas decole da superfície do Planeta Vermelho.

“Este é um primeiro passo crítico na conversão de dióxido de carbono em oxigênio em Marte”, disse Jim Reuter, administrador associado da Diretoria de Missões de Tecnologia Espacial (DSM, na sigla em inglês) da NASA, em comunicado. “O MOXIE tem mais trabalho a fazer, mas os resultados dessa demonstração tecnológica trazem muitas promessas à medida que avançamos em direção ao nosso objetivo de um dia vermor humanos em Marte.”

“O oxigênio não é apenas o que respiramos”, acrescentou. “Combustível de foguete depende do oxigênio, e os futuros exploradores dependerão da produção de combustível em Marte para voltarem para casa.”

Para tirar uma tripulação de quatro astronautas da superfície marciana, você precisaria de cerca de 5.800 kg de combustível de foguete e 22,6 mil kg de oxigênio, de acordo com a NASA. Para respirar, porém, seria necessária apenas cerca de uma tonelada para uma tripulação de quatro pessoas por um ano inteiro, de acordo com o investigador principal do MOXIE, Michael Hecht.

Levar todo esse oxigênio até Marte seria complicado e caro. É por isso que os cientistas estão considerando extrair oxigênio no próprio local.

Para converter o dióxido de carbono, o MOXIE teve que aquecer o gás para cerca de 800°C. Ele gerou cerca de cinco gramas de oxigênio, o que equivale a cerca de 10 minutos de oxigênio respirável. E o equipamento pode gerar até dez gramas de oxigênio por hora.

Hecht agora está planejando novos testes e fazer o MOXIE tentar novos modos operacionais ou tentar extrair oxigênio a temperaturas variadas.

“O MOXIE não é apenas o primeiro instrumento a produzir oxigênio em outro planeta”, disse Trudy Kortes, diretora de demonstrações tecnológicas. É também o primeiro dispositivo a estabelecer as bases para futuras missões que poderiam fazer uso de recursos in situ.

Primeiro, o helicóptero de Marte da NASA, Ingenuity, realizou seu o primeiro voo controlado na superfície de outro planeta – e agora geramos oxigênio. Tiremos o chapéu para os tremendos esforços da NASA para trazer Marte perto da gente mais do que nunca.

Último vídeo do nosso canal: A Terra não orbita exatamente o sol mas um ponto virtual no espao

Deixe seu comentário!