Helicóptero de Marte voa pela primeira vez!

Por , em 19.04.2021

A Nasa pilotou com sucesso um pequeno helicóptero em Marte.

O drone, chamado Ingenuity, pairou no ar por menos de um minuto, mas a Nasa está comemorando o que representa o primeiro voo controlado de uma aeronave em outro planeta.

A confirmação veio através de um satélite em Marte que repassou os dados do helicóptero para a Terra.

A agência espacial está prometendo voos mais aventureiros nos próximos dias.

A Ingenuity receberá comandos para voar cada vez mais, à medida que os engenheiros testam os limites da tecnologia.

O helicóptero foi levado para Marte na barriga do Rover Perseverance da Nasa, que pousou na Cratera Jezero no Planeta Vermelho em fevereiro.

“Agora podemos dizer que os seres humanos pilotaram um [helicóptero] em outro planeta”, disse MiMi Aung, gerente de projetos da Ingenuity no Laboratório de Propulsão a Jato (JPL, na sigla em inglês) da Nasa em Pasadena, Califórnia, EUA.

“Estamos conversando há tanto tempo sobre nosso momento [Santos Dumont] em Marte, e aqui está.”

Esta é uma referência a Wilbur e Orville Wright que conduziram o primeiro voo de aeronaves controladas e poderosas aqui na Terra em 1903.

O helicóptero tirou esta imagem de sua própria sombra no chão. Cr’édito: NASA/JPL-CALTECH

Houve aplausos no centro de controle do JPL como a chegada das primeiras fotos do voo à Terra.

A demonstração viu o helicóptero de Marte elevar cerca de 3m, pairar, girar e depois pousar. Ao todo, foram quase 40 segundos de voo, desde a decolagem até o pouso.

Voar no Planeta Vermelho não é fácil. A atmosfera é muito fina, apenas 1% da densidade aqui na Terra. Isso dá às lâminas do helicóptero muito pouco apoio para ganhar elevação.

A gravidade mais baixa de Marte ajuda, mas ainda assim é preciso muito esforço para sair do chão.

A Ingenuity é, portanto, extremamente leve e potente para que as hélices girem muito rápido, mais de 2.500 rotações por minuto.

O controle foi autônomo. A distância da Terra a Marte — atualmente pouco menos de 300 milhões de km — significa que os sinais de rádio levam minutos para chegar lá na velocidade da luz. Voar o helicóptero com um joystick é impossível.

A Ingenuity tem duas câmeras a bordo. Uma câmera preto e branco aponta para o chão, usada para navegação, e uma câmera colorida de alta resolução apontada para o horizonte.

Uma amostra de foto enviada de volta à Terra revelou a sombra do helicóptero quando ele alçou voo. Sequências mais longas do vídeo do rover devem ser disponibilizadas logo.

Uma selfie do helicóptero Ingenuity e do rover Perseverance. Crédito: Nasa

A Nasa anunciou que a “pista de pouso” em Jezero, onde Perseverance largou a Ingenuity, de agora em diante, será conhecida como o “Campo dos Irmãos Wright”.

Um voo inaugural bem sucedido significa que mais quatro voos serão realizados nos próximos dias, cada um levando o helicóptero mais longe.

A esperança é que essa demonstração inicial possa eventualmente transformar a forma como exploramos alguns planetas distantes.

Drones podem ser usados para explorar locais de pouso para futuras sondas, e até mesmo de astronautas, no futuro.

“É realmente pegar uma ferramenta que não fomos capazes de usar antes e colocá-la na caixa de ferramentas que está disponível para todas as nossas missões daqui para frente em Marte. Então, para mim, é realmente emocionante pessoalmente e para a comunidade em geral abre novas portas”, disse o Dr. Thomas Zurbuchen, chefe de ciência da Nasa.

“Poderemos explorar áreas em que não podemos usar um rover. Algumas dessas paredes das crateras, por exemplo, são tão excitantes; cientistas têm escrito artigos sobre elas.

A NASA já aprovou uma missão de helicóptero para Titã, a grande lua de Saturno. Dragonfly, como a missão foi chamada, deve chegar a Titã em meados da década de 2030. [BBC]

Último vídeo do nosso canal: A Terra não orbita exatamente o sol mas um ponto virtual no espao

Deixe seu comentário!