Os buracos negros supermassivos vão engolir o universo?

Por , em 20.02.2018

Buracos negros supermassivos são enormes poços de gravidade encontrados no centro de grandes galáxias. Um buraco negro supermassivo é mil vezes maior do que o buraco negro no centro da Via Láctea. Dois novos estudos de pesquisadores diferentes trouxeram novas informações sobre eles.

Um dos estudos, publicado na revista Monthly Notices of the Royal Astronomical Society, diz que os grandes buracos negros crescem mais rapidamente que suas galáxias. Mas não há motivo para preocupação: os buracos negros não conseguem engolir suas galáxias.

“O buraco negro é pequeno comparado com a galáxia toda, então estamos seguros”, diz Guang Yang, aluno da pós-graduação da Universidade Estadual da Pensilvânia (EUA), autor de um dos estudos.

Yang descobriu que quanto maior a galáxia, mais rapidamente o buraco negro cresce em comparação com a velocidade de criação das estrelas da galáxia. “Nosso artigo sugere que grandes galáxias conseguem alimentar seus buracos negros com mais eficiência do que galáxias pequenas. Então essas galáxias grandes acabam com buracos negros maiores. Mesmo assim, ainda é um mistério se buracos negros conseguem afetar a formação de galáxias também”, afirma Yan ao Live Science.

Yang e seus colegas usaram informações de mais de 30 mil galáxias do Great Observatories Origins Deep Survey (GOODS), que usa observações dos telescópios Hubble, Chandra e Spitzer. As galáxias estão a 4.3 bilhões e 12,2 bilhões de anos-luz da Terra.

Outro estudo que deve ser publicado em abril de 2018 na revista Monthly Notices of the Royal Astronomical Society concluiu que as massas de buracos negros supermassivos são 10 vezes maiores do que o esperado se esses buracos crescessem na mesma velocidade que as galáxias em que eles estão.

O autor principal deste artigo é Mar Mezcua, do instituto de Ciências Espaciais de Barcelona (Espanha). Ele focou em 72 galáxias a menos de 3.5 bilhões de anos-luz da Terra. Usando dados do observatório Chandra, do telescópio Austrália Compact Array, do Very Large Array e do Very Long Baseline Array, os pesquisadores compararam as massas de buracos negros supermassivos a estimativas feitas por métodos tradicionais que levavam em consideração que buracos negros e suas galáxias crescem na mesma proporção.

Ao invés de observar um crescimento proporcional, a equipe de pesquisadores descobriu que os buracos negros neste estudo são 10 vezes maiores que a previsão por métodos tradicionais. Na realidade, alguns são até maiores que supermassivos; eles são ultramassivos, com 40 milhões de vezes a massa do Sol. Até então, ninguém sabia que esses aglomerados de galáxias poderiam ter buracos negros tão massivos.

Esses buracos negros podem ter se formado de duas maneiras: ou o buraco surgiu antes e a galáxia depois, ou eles são descendentes de “sementes” de buracos negros que se formaram quando as galáxias eram muito mais jovens e produziam mais estrelas.

Astrônomos estão interessados na relação entre buracos negros e suas galáxias por dois motivos. O primeiro é para calcular o tamanho de um baseado no outro. Assim eles conseguiriam determinar, digamos, a massa de um buraco negro supermassivo sem medi-lo diretamente. Em segundo lugar, qualquer relação constante entre os dois pode ajudar a explicar leis que governam a formação de galáxias. [Livescience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (15 votos, média: 4,73 de 5)

1 comentário

  • Roberto Monteiro:

    Considerando que foram vistas imagens de 12 bilhões de anos atrás, resta esperar para ver o que realmente aconteceu.

Deixe seu comentário!