Os grandes mistérios da Nuvem de Oort

Por , em 27.09.2011

Passando os planetas, mil vezes além até mesmo do misterioso Cinturão de Kuiper, que em si tem mais de 4,83 bilhões de quilômetros de distância, reside a incrivelmente misteriosa, escura e inexplorada Nuvem de Oort.

Embora nunca tenhamos visto diretamente um objeto na Nuvem de Oort, os cientistas sabem esse grande enxame esférico de rochas e gelo deve existir com base nos cometas cujas órbitas passeiam neste abismo.

Em 2015, os astrônomos conquistarão um olhar mais atento sobre um objeto do Cinturão de Kuiper, Plutão, graças a missão da nave espacial New Horizons da NASA. A missão também poderia ajudar a desvendar muitos dos segredos que se estendem até a Nuvem de Oort, mais distante na borda de nosso sistema solar. Alguns destes mistérios são:

Planetas na Oort?

A Nuvem de Oort pode ser o lar de muitos objetos surpreendentemente grandes. Mundos maiores que a Terra que se formaram ao lado dos planetas conhecidos poderiam ter sido descartados por aí conforme nossos próprios planetas gigantes – Júpiter, Saturno, Urano e Netuno – cresceram e migraram mais de 4 bilhões de anos atrás.

Em outras palavras, ninguém sabe o que existe na Nuvem de Oort. “É o sótão do sistema solar”, disse Alan Stern, principal investigador da New Horizons e cientista planetário. “Nós sabemos que havia muitos planetas no início, e quando Júpiter e Saturno cresceram, eles expulsaram a maioria das coisas para o espaço interestelar”.

Crianças de outras estrelas

A Nuvem de Oort é vasta, estendendo-se um quarto do caminho até a estrela mais próxima do sol, e provavelmente contém corpos cósmicos que se desenvolveram em torno de outras estrelas.

Nosso sol quase com certeza tinha irmãos, quando se formou mais de 4,5 bilhões de anos atrás, a partir de uma enorme nuvem de gás e poeira. Esses parentes dispersaram alguns de seus materiais planetários, ou mesmo mundos totalmente crescidos, a nossa Nuvem de Oort.

“Uma fração considerável da Nuvem de Oort pode ser capturada desde os primeiros dias do sol em um aglomerado de estrelas”, disse Stern.

Cinturões e Nuvens alienígenas

Astrônomos começaram a confirmar detecções anteriores de Cinturões de Kuiper fora do sistema solar, em distâncias esperadas de suas estrelas.

Nosso sistema solar continua a parecer menos e menos distinto conforme instrumentos astronômicos melhoram, e isso aumenta a probabilidade de vida como a conhecemos no universo.

“Esperamos que, se os sistemas solares como o nosso forem comuns, Nuvens de Oort e Cintos Kuiper também serão”, afirmou Stern. “Então, encontrar estes objetos espaciais ajudará a informar-nos sobre quão comum nosso próprio tipo de sistema é”, completa.[Life’sLittleMysteries]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

31 comentários

  • Branca Letícia:

    Estou completamente à parte dessa briga de vocês. Só queria saber mesmo dessa tal Nuvem de Oort.

  • Jonatas:

    Fomalhaut, estrela alfa da constelação peixe Austral, tem um planeta tão distante que estaria em sua “nuvem de oort”. O mesmo pode existir ao redor do Sol, há rumores de quea nasa tenha encontrado um planeta gigante jupiteriástico nos confins do sistema solar, já teria até nome, “Tyquê” ou coisa assim. Se confirmado, será o maior objeto já encontrado no Sistema Solar (já que Júpiter e o Sol sempre foram visíveis a olho nu), e poderá ajudar a revelar de uma vez se existe ou não a nuvem de Oort.

    • Araujo:

      Perdoe minha ignorância Jonatas, mas se telescópios conseguem fazer fotos de galáxias muito distantes, porque não conseguem da nuvem de oort que teoricamente está bem mais próxima? Abraçoss

    • Jonatas:

      Pela mesma razão que conseguimos ver estrelas, e até galáxias a olho nu, mas não conseguimos ver os planetas mais distantes, como Netuno. Até o poderoso Hubble, tem dificuldades para observar detalhes de Plutão! Isso acontece porque existe uma diferença imensa de tamanho e luminosidade entre os escuros e pequenos pedregulhos dos confins do sistema solar e as estrelas, enormes e brilhantes, e galáxias, que são coleções de bilhões de sóis. A diferença cruscial é tamanho e luminosidade, astronomicamente maior nas estrelas, e ampliada bilhões de vezes nas galáxias.

    • Branca Letícia:

      Plutão já foi rebaixado à muito tempo. Uma pena, pois seria tão bom se continuasse sendo um planeta.

  • Marlos Batista:

    Depois de ler as viagens do Glauco, eu fiquei imaginando se um dia (relativamente próximo) os astrônomos comecem a dizer que tem um planeta gigante próximo ao sistema solar e que está se aproximando…… seria ironicamente engraçado. rs.

  • Ailson Borges:

    Da perceber que tudo no espaço obedece sempre a um movimento quase circular, tal como os átomos. Acredito, piamente, que se estudarmos profundamente os átomos, descubriremos muito sobre o universo, sua constituição e origem. SIM É POSSILVEL!!!

  • Glauco Noiado:

    Nibiru está chegando, é um planeta que está escondido na Nuvem de Oort, foi o Prof. McCaneey que me disse… Deixa eu fazer o meu estoque de erva pro cachimbo da paz, afinal 2012 é daqui a pouco. Apocalipse Now!

    • Glauco:

      Não tem como denunciar abuso aki??

    • Carlos:

      O único abuso aqui é ter que ler seus comentários e apreciar o seu bonito avatar…

    • Jonatas:

      Acaba de te denunciar, Carlos, o avatar é o mesmo que tem assinado posts debochando do Glauco. Acho que se tu tivesse mais cultura e conhecimento não precisaria sair por aí satirizando os outros.

    • Curioso:

      Mas ele pede por isso, amigo.

    • Glauco:

      Apelou perdeu!

  • Marte:

    Após ler a matéria e todos os comentários abaixo, só posso dizer uma coisa, mesmo sendo retundante: como somos pequenos.

  • Jonatas:

    Não vejo nada de improvável na Nuvem de Oort, voltando atráz na historia da astronomia vemos acertos e erros sobre concepção do sistema solar. Por exemplo, observaram a lua de Venus e até deram nome, depois foi confirmado o erro observacional, que tambem aconteceu com um planeta que existiria antes de Mercurio e uma estrela Nemesis nos confins do Sistema Solar. Descobriram Urano por acaso, e Netuno por previsão matemática. Temos que confiar nos cálculos e sim, procurar o que eles indicam. Kuíper teorizou o Cinturão de asteroides alem da orbita de Netuno, e foi confirmado. A Nuvem de Oort tem seus indicios, e se existir vai ser descoberta, mais cedo ou mais tarde.

  • Glauco:

    Parece que o pessoal tá fazendo cerão prá negativar meus comentários hein??

    Pelo menos agora não dá prá me acusar de trocar de IP prá positivar os meus e negativar dos outros.

    • curioso:

      Se negativam seus comentários talvez o problema possa estar em voce, jovem, com todo o respeito.

      A princípio (!) voce possui um conhecimento e instrução acima da média sobre essas notícias científicas, mas abusa de termos e conceitos marcarados de pretensa erudição pra tentar mostrar que tem razão. Esse tipo de falácia não funciona em todo o lugar, principalmente em um site onde pessoas, apesar de leigas, são céticas o suficiente para não acreditar em qualquer informação, alheia à qualquer explicação esclarecedora.

      Se não aqui não é espaço suficiente pra voce explicar suas opiniões, por causa de eventuais exigências de tempo e exposição de quantidade de informação, ou ainda, por não gostar de perder tempo ensinando ignorantes como “nós”, sugiro que escreva livros (ou apenas indique para leitura os que ja existem); ou procure manter contato direto com cientistas renomados que lhe entendam, para que um dia a verdade que voce carregua seja divulgada para os quatro cantos do mundo!

      Enquanto isso não acontece, voce ainda é um (…)significante comentador de notícias interessantes divulgadas por cientistas renomados. E, por bom senso, diante da dúvida, vou presumir verdadeiras as opiniões desses presquisadores, do que as ditas por qualquer um que aparece aqui.

      Abraços

    • Glauco:

      ok

  • Glauco:

    Horrível. Essa Nuvem de Oort é totalmente hipotética e, assim como o Big Bang, a Matéria e Energia Escura e os Buracos Negros, essa teoria em si não permite que ela seja detectada diretamente. Sem detecção direta e repetição, não existe comprovação científica do fato.

    Essa nuvem foi criada para servir como repositório para cometas imaginando-se que eles seriam bolas de gelo sujas. Mas está claro depois de décadas de observações que cometas não são bolas de gelo, são asteróides ou meteoros descarregando o Capacitor Solar. Eles apresentam metais que só poderiam surgir em altíssimas temperaturas. Assim, essa Nuvem de Oort se torna totalmente descartável para explicar a existência de cometas. Consequentemente, a Nuvem também é totalmente descartável.

    Além do que, como definir onde começaria e terminaria essa nuvem?? À partir de objetos soltos no espaço entre nosso Sol e a próxima estrela?? Nessa distância os objetos estão tão incrivelmente afastados com um espaço vazio tão grande entre eles, que agrupá-los dentro de uma “nuvem” em comum é totalmente anticientífico. Como dizer que um objeto a poucos milhões de km de distância de uma estrela pertence à outra estrela que está a anos-luz de distância?

    Além disso, de onde tiraram essa idéia nova, de que existem planetas gigantescos nessa nuvem? Isso é novidade, pessoal! Eles nunca admitiram isso nos últimos 50 anos, disso tenho certeza absoluta e ponho meu bingulim no fogo! Por que, no processo de formação dos planetas, esses “desconhecidos” gigantes foram empurrados por outros gigantes que se formaram tanto tempo depois, sendo que a formação de todos os planetas e luas nesse modelo deveria ter ocorrido concomitantemente??

    Prá mim está claro que eles estão prestes a dar uma notícia pouco agradável aos ouvidos das pessoas mais sensíveis a notícias espaciais…

    • Zacca:

      Tá… Notícia desagradável, tipo o quê ?
      Nibiru ? Planeta X ?

    • Glauco:

      Não sei se o Nibiru vai voltar um dia, pelo que eu entendi da história ele ganhou esse nome logo na sua primeira passagem, provavelmente a 12000 anos atrás ainda na época dos Atlantes. Talvez nunca volte, talvez sua órbita seja de milhões de anos… vai saber! Deve ter sido ele quem dizimou a raça atlante para que desse lugar à nossa.

      Entretanto, você sabe o que é um Planeta-X? Esse é um termo astronômico importante que foi deturpado no final da década de 90 e início da década de 2000 depois daquelas histórias malucas de fim-do-mundo…

    • Zacca:

      Planeta X ? O quinto giagante, irmão dos gigantes gasosos expurgado quando da formação do sistema solar, ou, a estrela-apagada planetóide, uma anã marrom, etc…
      O certo é que NINGUÉM sabe ao certo.

      Agora, quanto a minha pergunta, que continua sem resposta:

      Qual notícia desagradável ? Que tipo de coisa desagradável ?

    • Glauco:

      Respondi, mas não tão bem como vc esperava.

      Esse caso do Quinto Gigante é um caso de Planeta-X. Ainda não foi encontrado, mas existem evidências de sua existência. Provelmente os astrônomos evitam chamá-lo de Planeta-X prá não inflamar a mente de pessoas mais sensíveis.

      A minha aposta – na verdade do McCanney -, é que existam muitos outros gigantes lá fora no nosso Sistema Solar, e que essas agências sabem da presença deles, mas vão dar notícias sobre isso a conta-gotas.

    • Zacca:

      Se é apenas isso, nao vi nada de mais na resposta, e nem desagradável.
      Continuo sem entender tal emprego da palavra “desagradável”…

    • Glauco:

      Usa a imaginação…

    • Zacca:

      Estamos fazendo um debate analítico.
      Esse tipo de resposta, não cabe nesse contexto.

      Ao se fazer uma afirmação, dever-se-ia explicita-la e elucida-la para um correto posicionamento, entendimento e discussão sadia.

      Portanto, não vi informação e elucidação de nada a respeito da afirmação.
      Nesse contexto,infelizmente sobra, por enquanto, apenas uma falácia.

    • wellington goncalves:

      Não divaga, deixe os cientistas brincarem um pouco com o desconhecido. e imaginarem coisas.

    • Glauco:

      Eu sou multimídia.

    • Glauco:

      Pq? vc qr confrontar um teste de QI comigo?

    • Fernando Ramos:

      Caro Glauco, o facto deles não terem admitido a existência de corpos enormes nessa nuvem (chamemos-lhe assim), não invalida que esses corpos não existam e que tenham sido mantidos 2escondidos” durante todo este tempo por “razões que nem a razão conhece…”.

      De qualquer forma, acho o seu comentário muito bom. Expõem o outro lado da questão. Aquele lado que muitos (alguns) não querem admitir mas que no fundo pensam ou que outros, por ignorância (como é o meu caso) desconheciam ficando assim com uma outra perspectiva da questão. Uma perspectiva que nos orienta para a pesquisa para que possamos formular a nossa opinião.

    • Curioso:

      Voce não pode esperar que a astronomia leve seus objetos de estudo para um laboratório.E o fato de estarem absurdamente distante entre si, não implica que não estejam fazendo parte de um sistema comum, como é o caso do nosso sistema solar. Contestar por contestar é ridiculo.Uma teoria não é a explicação perfeita da realidade, mas sim a melhor aproximação, todavia, só outra teoria melhor poderá substituir uma antiga.Mais: se voce questiona as atuais teorias e a capacidade de comprová-las, como pode sugerir que “eles” sabem mais e ainda escondem da gente?Um ET falou no ouvido deles?E se o ET mentiu ou as teorias dele são erradas?

Deixe seu comentário!