Os melhores líderes do mundo eram mentalmente doentes?

Por , em 1.08.2011

Pesquisadores argumentam que os transtornos psiquiátricos foram responsáveis pela criação de alguns dos grandes líderes mundiais.

Virou moda falar que a doença mental tem vários lados positivos, o que explicaria a persistência de doenças como a depressão. Por exemplo, a tendência das pessoas deprimidas a remoer sentimentos, normalmente vista como uma característica indesejável porque alimenta o pensamento negativo, poderia aprofundar a compreensão dos seus problemas e melhorar a tomada de decisões.

Infelizmente, há poucos dados empíricos para apoiar esta posição, e seus muitos opositores apontam que as pessoas deprimidas tendem a remoer as coisas de uma forma irracional (e portanto é improvável que isso leve a ideias esclarecedoras).

Esses argumentos não impediram Nassir Ghaemi de escrever o livro A First-Rate Madness (Loucura Exelente, em tradução livre) argumentando que os melhores líderes durante os tempos difíceis são aqueles com transtornos do humor, uma vez que a doença aumenta as qualidades que a gestão de crises exige.

Tal hipótese provocativa requer provas sólidas. Ainda há muito pouco para sustentar a afirmação de que a doença mental é necessária para o florescimento de traços de liderança.

Se o realismo, a empatia e a criatividade – ferramentas de sobrevivência, úteis em quaisquer condições – são intensificadas apenas pela insanidade, por que a patologia mental não é mais difundida?

Enquanto ninguém discorda da premissa de que os líderes que são bem sucedidos em tempo de paz são falhos na guerra, e vice-versa, o livro, que foca nos traços de personalidade, fica pouco à vontade com as recentes pesquisa sobre identidade social e dinâmica de grupo, que sugere que a liderança tem mais a ver com a relação entre um líder e seus seguidores do que com o caráter de um indivíduo.

Nesse pensamento tradicional, Winston Churchill, John F. Kennedy (JFK) , Abraham Lincoln, Sonia Gandhi e até mesmo George W. Bush foram influentes em momentos cruciais porque trabalharam duro para serem vistos como atuantes a favor do interesse coletivo dos grupos que representavam.

O livro tem uma abordagem muito diferente, aplicando as ferramentas da psicologia e psiquiatria em figuras históricas para verificar como o seu estado de espírito ditava o seu comportamento.

A análise é interessante, mas “história psicológica” é uma ciência inexata. Enquanto o sucesso de JFK pode ter sido causado pelo seu uso de esteroides e anfetaminas que o deixaram maníaco, Hitler foi um fracasso porque o seu abuso de metanfetamina fizeram dele muito maníaco. Richard Nixon – geralmente considerado bem sucedido, mas também paranoico e depressivo durante a maior parte de sua presidência em tempos de paz – foi readiagnosticado como mentalmente saudável e, portanto, mal equipado para lidar com uma crise como o Watergate (série de reportagens de denúncia que viraram escândalo político e levaram à sua renúncia).

O autor reconhece a incerteza na tomada de tais exemplos, admitindo que ele nunca poderia provar, por exemplo, que a depressão de Churchill era relacionada à sua avaliação realista do nazismo. Um dos únicos objetivos declarados de Ghaemi é desmantelar o estigma cultural que envolve a doença mental. O motivo é nobre, mas faltam evidências. [NewScientist]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 3,67 de 5)

23 comentários

  • Ahhh:

    Ser louco por vezes é mais do que ser tonto, é um dom, uma qualidade, e como tal tanto pode ser benéfica como maléfica, tudo depende de como a usamos.

  • jose maria gonçalves:

    em minha opiniâo vejo que muitas pessoas que comgratula com lideres doentios ,como hitler,starling,bonaparte,alexandre,anibal, atila ,gengiskam,crowele dentre outros mais ,apesar de eles mudarem o curso da historia,foram sanguinarios ,doentes sem escrupolos,sou fanatico em historia,vejo estes lideresmesmos doentes como os icones e grandes estrategistas militares,conhecedores, da matematica ,da geografia,fisica,hitorias do deuses no qual eles acreditavame viveram esta imaginaçâo para mostrar poder as seus comandados,è estupido diser,insensato e desumano diser uma realidades sobre eles,mesmo esopando as terras ferteis e gelidas da EUROPA,e areas arenosas do solo desertico do oriente medio,e das florestas lamascentas da asia etc. foram grandes e magnificos no que fiseram e para mim o mais temido entre todos a seu tempo ALEXANDRE foio maior amado e respeitado pelos seus comandados,tinha um estado maior de dar inveja poetas,cientistas ,e hitoridores

  • kleidiany:

    Os loucos ganham por fazerem revolução. Os bons perdem por suas tamanhas tolices.

  • Clara Telis:

    Há casos e casos,alguns (como Hitler) eram doentes mentais,mas outros eram muito espertos mesmo. Não dá pra generalizar!

  • Claudio:

    Excelente é com “xc”…

  • Milena Karla:

    Sim,Adolf Hitler era um bom líder para seu povo.
    Mas qual era o povo dele? Apenas os brancos.Eu sou branca,mas não concordo nem um pouco com o nazismo.
    Não dizem que racismo é crime? Até que ponto foi o racismo ou seiláoque de Hitler? Até o ponto de ele querer matar eles.
    Falando sobre o artigo:Hitler não gostava de ser desafiado nem encarado. Quando uma pessoa encarava ele com olhar desafiante(Ou se ele imaginasse que a pessoa estava fazendo isso)ele imediatamente a matava. Por isso eu concordo que ele tinha a mente perturbada. Ninguém sabe 100% sobre ele,mas por alto,posso dizer que ele não era do tipo que contava histórias pra seus netinhos…

  • Amigo:

    Concordo que exista uma certa insanidade nos líderes. A grande maioria dos líderes políticos pensa mais na sua realização pessoal de poder e utilizam o povo para esse seu intento.
    A diferença entre os bons e os maus líderes, está apenas no modo como o povo é apenas utilizado ou é também beneficiado nessas manobras para chegar ao poder absoluto.

    É claro que há exceções, como líderes que pensaram apenas no povo e não na realização pessoal. Pena que estes não sejam a regra, mas somente a exceção.

  • Maria Emilia:

    stop, falar qualquer coisa boa a respeito de Hitler já é demais, e quem disse que ele não matava seu povo? era só ir contra a sua vontade já tava morto, desculpa mais é demais dizer algo de bom num cara destes.

  • Vitor:

    O líder Adolf Hitler, embora seja esquartejado só na pronúncia de seu nome, foi um excelente estrategista militar,econômico e sabia falar a língua do povo como ninguém. Ele soube que se não elevasse o moral da população com festas de renascimento,buscas das tradições nórdicas e trazendo assim a auto-estima do povo,jamais comandaria nada. Nem beberia na famosa cervejaria de Munique.
    Eu queria ter essa doença….

    • X:

      E sem contar que ele inventou o carro popular (volkswagem), quando pediu a Ferdinad Porsche para criar o que conhecemos hoje como fusca.

    • Anonima que fala a verdade:

      Adolf era gay

    • Baw:

      Alan Turing também.

      (concurso “verdades que não importam”)

  • Ze da Feira:

    Cara Patricia Herman, você esta de parabens pelas escolhas de seus artigos e tambem por sua redação que é sempre suave concisa e agradavel sem perder o afinco.

  • Alter ego: Crítico:

    O artigo é bom, mas acho o seu título “Os melhores líderes do mundo…” meio errôneo, desde quando genocidas em massa como George W. Bush e Adolf Hitler(alguns dos líderes citados no artigo) podem ser considerados bons líderes.

    • Ferreira:

      Adolf Hitler era mentalmente doente mais foi um ótimo líder para a Alemanha se você pesquisa vai saber que ele fez o PIB da Alemanha subir trocentos por cento e praticamente acabo com o desemprego sem fala que ele tinha um imenso carisma.

    • Milena Karla:

      É,um “IMENSO” carisma e matou ‘milhares’ de pessoas!
      Queria ver se ele tentasse te matar se você diria isso!

    • X:

      A questão é que ele não matava o povo dele. Por isso que era um otimo lider para seu povo.

    • LYYYYYY:

      TINHA CARISMA SIM, MAS SÓ COM OS “DELE”, FOI UM GRANDE LÍDER, MAS MUITO MALVADO, ENTÃO TINHA DISTURBIO MENTAL MESMO.

    • Gustavo:

      Como existe imbecilidade nesse mundo. o PIB do MUNDO INTEIRO subiu ”TROCENTOS” por cento durante esse periodo por um motivo obvio – primeira guerra mundial. A ”grande” capacidade de lider dele não foi nada além do que outras pessoas comuns e normais são capazes. Ele era louco e só fez besteira, isso é um fato. PORÉM falando sobre o artigo, muito bom ! só não concordo com os comentarios deslumbrados.

    • Plugin:

      Eita, comparando Bush e Hitler ?

      Bush disse ao mundo que o Iraque tinha armas químicas, isso realmente não era verdade e a própria CIA e MI6 tinham feito relatórios a respeito disso, Bush apenas fingiu não ver, mas o Iraque nunca foi flor que se cheire e se não fosse agora teria sido mais tarde, mas, uma hora ou outra, o Iraque teria sido invadido, e a “putaria” no Iraque vai bem mais além das supostas armas químicas. Graças a erros militares as ações no Iraque estão tendo um dano colateral péssimo, mas em si não difere muito de outras ações militares e nem se compara as obras de Hitler.

    • Fabio Vieira:

      Como disse o alter Ego, o Hitler foi um excelente lider, porem usou essa liderança para o mal mesmo assim a sua liderança e dominio do povo foram excepcionais.

    • Bruno:

      Ok, GWBush não… Mas apesar de ter cometido aquela insanidade e causado a 2ª Guerra Mundial, Hitler foi um dos melhores lideres da historia humana. Sua capacidade administrativa era invejavel.

    • Bons Líderes:

      Estes líderes que você não considera foram grandes personalidades para os SEUS países. Um líder tem de ser visto pelo o que ele fez para seu “grupo”. Se quer falar o que ele teve de fazer para alcançar isso, já é uma questão de caráter.

      Como o Ferreira disse: Adolf Hitler era doente, mas fez muito para seu país.

Deixe seu comentário!