Paternidade provoca queda no hormônio masculino

Por , em 14.09.2011

Os homens podem até não entrar na mesma montanha-russa hormonal que suas parceiras grávidas, mas assim que o bebê aparece, seus corpos entram no “modo papai”. É o que sugere um novo estudo que mostra que os níveis de testosterona, o hormônio sexual masculino, caem nos recém-papais.

A queda hormonal faz sentido, dizem os pesquisadores, uma vez que níveis altos de testosterona tendem a impulsionar comportamentos de competição e atividades de risco que podem entrar em conflito com as responsabilidades da paternidade.

Na verdade, as maiores quedas de testosterona foram observadas em pais de recém-nascidos e naqueles altamente empenhados no cuidado de crianças.

A constatação de que os pais são naturalmente aptos a cuidar de seus filhos se adiciona a modelos culturais anteriores da evolução humana, que tradicionalmente representam a mãe como sendo a pessoa mais indicada para os cuidados infantis.

O estudo acompanhou 465 homens, quando os participantes tinham apenas 1 ano de idade. Com 21 anos, os pesquisadores testaram os níveis de testosterona dos participantes quando acordavam e antes de dormir. As medições foram repetidas aos 26 anos, quando cerca de metade dos participantes tinha se tornado pai.

Homens que se mantiveram solteiros mostraram um pequeno declínio, relacionado à idade, de cerca de 12 a 15% do hormônio sexual masculino, enquanto os níveis de testosterona dos novos pais (entre um mês e um ano), em média, caíram cerca de 30%. Níveis hormonais em pais de recém-nascidos (menos de um mês) caíram cinco vezes em relação aos solteiros e duas vezes nos pais de crianças mais velhas.

A teoria comprova o que muitos já sabem: recém-nascidos vêm com intensas mudanças físicas, mas também emocionais e psicológicas.

Quanto aos efeitos da baixa de testosterona, os pesquisadores não podem ter certeza. Pode haver pequenos efeitos sobre a libido e a massa muscular.

A quantidade de testosterona pode influenciar a quantidade de tempo que um homem gasta com sua família, essencialmente, moderando o seu desejo de se reproduzir. Os níveis elevados têm sido associados com o aumento da tomada de risco e a competição com outros machos.

Quando os pais fazem a escolha de se envolver com os filhos a testosterona reage, caindo bastante. É o corpo que responde, dizendo: “Este é o lugar onde estamos focados agora, estamos focados nas crianças”.

A descoberta pode também explicar por que se tornar um pai é bom para a saúde. Alguns pesquisadores acreditam que a testosterona diminui a função imune. Ou seja, níveis mais altos de testosterona podem interferir na capacidade do sistema imunológico de combater infecções. Se isso for verdade, a redução da testosterona poderia ser um investimento na saúde dos homens.

Reduzir a testosterona? Mas e o sexo? De acordo com os pesquisadores, a libido deve alterar muito pouco com a variação do hormônio. Parece que a razão pela qual a vida sexual muda é muito mais complicada do que uma mera flutuação de testosterona. [LiveScience]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

4 comentários

  • Letícia:

    O q é isso Daniel?
    Acho q vc precisa rever os seus conceitos e resolver suas frustrações.
    S d um lado, a mulher sofre transformações, olhe-se também no espelho. O tempo é implacável para todos. Aguarde!!!
    Por outro lado, há mulheres q após a gestação, voltam em plena forma. Acabei d ter bb, e estou maravilhosa, e n sou eu quem diz.
    Tanto motivo de insatisfação, provavelmente esteja dentro d vc.
    S o casamento tá uma merda, sai dessa lama jacaré.
    P q tanta revolta???!!!.
    Lembre-se q, da terra como da vida, colhemos infalivelmente o q plantamos.
    Vc pd ser a próxima vítima. S é q vc m entende. Pense nisso!!!
    Por essas e outras, q c dizia minha avó, antes só q mal acompanhado. Coitada da sua mulher. Mas, no fundo, acho q o coitado mesmo da história, é vc.
    Fuiiiiiiiiiiiii

  • Eden de Lima:

    Creio que a pesquisa tende a trocar o efeito pela causa! Não podemos deixar de perceber que o meio, as emoções, os estados psicológicos, enfim, a exterioridade tem um papel fundamental no funcionamento biológico. Não é o fato de ter nascido uma criança que faz com que a produção de testosterona caia, mas as questões subjetivas, construídas socialmente que se refletem no biológico. Não tem nada a ver com a possibilidade de ser crer em possível instinto. O “ambiente” influencia nisto. Creio ser necessário fazer-se a medição hormonal em pais que estão distantes de seus filhos ou que não reconhecem a paternidade…

  • Daniel:

    Não só a testosterona cai. O sexo também vira uma merda depois que os filhos nascem. Mas é óbvio: a mulher engravida, engorda e vira aquele bucho horroroso. Não é mais aquela gatinha que começamos a namorar. Aja tesão pra dar conta disso. É por isso que arrumamos amantes! Terceirizamos o sexo. Casamento é uma merda!

  • incógnita:

    Ahhh, essa matéria é velha! Eu vi uma aqui no hypescience se tratando da mesma coisa, e faz tempo! O título era “Gravidez Masculina”

Deixe seu comentário!