Pavio curto? Esta infecção pode ser a causa

De acordo com um novo estudo da Universidade de Chicago (EUA), pessoas com um transtorno psiquiátrico que envolve episódios recorrentes de extrema raiva têm mais que o dobro de probabilidade de terem sido expostos a um parasita comum do que indivíduos saudáveis.

Estamos falando de toxoplasmose, uma infecção relativamente inofensiva que estima-se que 30% das pessoas possuam no mundo todo.

Agressividade e toxoplasmose: qual a ligação?

“Nosso trabalho sugere que a infecção latente com o parasita da toxoplasmose pode alterar a química do cérebro de uma forma que aumenta o risco de comportamento agressivo”, disse o autor principal do estudo, Emil Coccaro. “No entanto, não sabemos se essa relação é causal, e nem todo mundo que testa positivo para toxoplasmose tem problemas de agressão”.

A toxoplasmose é transmitida através das fezes de gatos infectados, carne mal cozida ou água contaminada. A condição é normalmente latente e inofensiva para adultos saudáveis. No entanto, reside em tecido cerebral e tem sido associada a várias doenças psiquiátricas, incluindo esquizofrenia, transtorno bipolar e comportamento suicida.

O transtorno explosivo intermitente (TEI) é definido pelo Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais como “explosões recorrentes e impulsivas de agressão verbal ou física que são desproporcionadas em relação às situações que as provocam”.

O estudo

358 indivíduos adultos dos EUA participaram da pesquisa e foram avaliados para TEI, transtorno de personalidade, depressão e outros transtornos psiquiátricos.

Os participantes foram também testados em traços incluindo raiva, agressividade e impulsividade, caindo em um de três grupos: cerca de um terço tinha TEI; um terço era saudável e sem histórico psiquiátrico; o terço restante era de indivíduos diagnosticados com algum distúrbio psiquiátrico, mas não TEI. Este último grupo serviu como controle.

Em números

O grupo com TEI tinha mais do dobro da probabilidade de testar positivo para a exposição a toxoplasmose (22%) em comparação com o grupo saudável (9%).

Cerca de 16% do grupo com outro distúrbio psiquiátrico testou positivo para toxoplasmose, mas tinha níveis de agressão e impulsividade semelhantes aos do grupo saudável. Pessoas com TEI se saíram pior em ambas as medidas do que os outros dois grupos. Em todos os participantes do estudo, os indivíduos com toxoplasmose pontuaram significativamente mais alto nos níveis de raiva e agressão.

No entanto, os cientistas advertem que os resultados do estudo não abordam se a infecção por toxoplasmose pode causar aumento da agressividade ou TEI.

“Correlação não é causalidade, e isso não é definitivamente um sinal de que as pessoas devem se livrar de seus gatos”, disse o coautor do estudo Royce Lee. “Nós ainda não entendemos os mecanismos envolvidos – poderia ser um aumento da resposta inflamatória, a modulação direta do cérebro pelo parasita, ou mesmo uma inversão do nexo de causalidade onde os indivíduos agressivos tendem a ter mais gatos ou comer mais carne mal cozida”.

Ou seja, mais estudos precisam ser feitos para entendermos de vez a relação entre toxoplasmose, agressão e TEI. “Vai levar estudos experimentais para ver se o tratamento de uma infecção por toxoplasmose latente com medicação reduz a agressividade”, disse Coccaro. [ScienceDailly]

Por: Natasha RomanzotiEm: 28.03.2016 | Em Bem-estar, Principal  | Tags: ,  
Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Curta no Facebook:

Deixe uma resposta