11 comentários

  • Wesley Nathan Medeiros Sa:

    Beeem…eu nao brigo na internet,o meu caso e q eu brigo COM A internet.

  • Clauton Leal:

    os er humano sente necessidade de atenção e de se expor…

    Logo na internet em um debate principalmente quando eles entendem de algum assunto a coisa rola.

    Na maioria das vezes as brigas pela internet serve de apenas um passa tempo…

  • rogerio727:

    as pessoas brigam mais fora da internet, na vida real. O dia a dia comprova isto, basta abrir os jornais, só guerras e conflitos. O ser humano é belicoso por natureza, gosta duma boa briga.

  • Paulo Eduardo:

    “Ouça…ou a sua língua o manterá surdo”!! (Provérbio nativo)

  • heitor4:

    hipescience safadinhos !

  • Joao Carlos Agostini:

    Como é comum, psicólogos norte-americanos se atém apenas aos aspectos comportamentais e dão receitas comportamentais de como alguém deve se controlar, mas nada dizem das motivações subjetivas das pessoas e o que fazer com essas emoções e sentimentos.
    Como agir ajuda a evitar problemas maiores, mas uma pessoa que apenas se controla não entende porque tende a explodir. A origem desse comportamento não está, na minha opinião, relacionado aos facilitadores da internet para o anonimato e distanciamento, mas na infelicidade geral das pessoas que vivem em uma sociedade competitiva e autoritária, que faz a maioria das pessoas ter que engolir “sapos” diários na sua vida, reforçando sentimentos de inferioridade, inveja e, portanto, de ódio a quem o critica ou questiona.
    Por outro lado, o achismo é base de um comportamento arrogante das pessoas, aqui é um problema educacional, que geralmente começa em casa, hoje muito ligado ao individualismo. Tenho direito a opinião e assim digo o que acho. Não, não existe esse direito. Você tem direito à opinião, sim, mas deve fundamentá-la e não simplesmente dizê-la pela razão que for e pelo motivo que for. É necessário verificar se a sua opinião tem base na realidade e não apenas na experiência individual. Deve-se refletir sobre o que se sente e o que se pensa. Sem isso, somos arrogantes. Essa arrogância, combinada com a auto estima baixa ou rebaixada e o anonimato da internet abrem espaço para as explosões.
    Acho esse conjunto de elementos um dos mais importantes para introduzir um entendimento do que acontece. Mas há outros concorrentes.

  • Jairo R. Morales:

    Acho que o problema, principalmente aqui no Hypescience, é que as pessoas possuem o desejo (inconsciente?) de sempre querer estarem certas a respeito de determinado assunto: Valorizo as aqueles que possuem uma opinião bem formada e sabem defender aquilo que acreditam, mas a característica fundamental em qualquer boa discussão é saber ouvir.

    Principalmente quando se trata de ciência, essa em constante fase de desenvolvimento (salvo algumas exceções): O que é tomado como certo hoje, pode virar duvida amanhã e uma teoria refutada por falta de evidencias, pode se mostrar a maneira mais correta para se explicar um determinado fenômeno daqui a 10 anos.

    E isso acontece porque estamos sempre aprendendo, sempre questionando: Não sou nenhum especialista no assunto, mas a minha opinião é apesar dos grandes avanços que tivemos, o homem que ainda conhece muito pouco das forças que regem o universo.

    É preciso ter paciência, as repostas serão encontradas no seu devido tempo.

    • Jonatas:

      É eu concordo, e mesmo quando se procura ser equilibrado as vezes acaba *escapando algo desagradável, que também é desagradável a quem escreveu, quando lê depois ou vê a reação dos demais.
      Mas o primeiro passo na correção de qualquer defeito é reconhece-lo :D. O fato é que as palavras Combate e Debate são semelhantes só na escrita, fala e rima, mas também por vezes parecidas no significado que damos à elas. 🙂

    • Jairo R. Morales:

      Por sinal @Jonatas até agora estou lendo cada uma das 139 respostas feitas pelos internautas sobre a questão dos “13 golpes de sorte que permitiram o surgimento de vida na Terra” que foi publicado no Hypescience, e cada vez mais estou percebendo como é importante não se deixar levar pelo “calor da discussão”: Vou ser sincero, muitos comentários eu julguei mal por causa disso, mas agora de “cabeça fria” e sabendo interpretar melhor os textos, estou chegando a conclusões maravilhosas 🙂

    • Jonatas:

      De qualquer forma, apesar do “debate quaaase combate”, eu consegui o que queria: levantar as questões com vários pontos de vista. 🙂

  • Jonatas:

    É eu queria saber… faz todo o sentido.

Deixe seu comentário!