Por que os teclados tem as letras todas misturadas?

Por , em 31.01.2009

Os teclados dos computadores são baseados nos teclados das máquinas de escrever, ou seja, no layout Qwerty. A ordem das letras é praticamente a mesma desde 1870.

Na realidade a máquina de escrever foi criada originalmente em 1784 com um teclado na ordem alfabética, o que é certamente muito mais natural para quem não está habituado à ordem aparentemente caótica das letras em um teclado Qwerty. O problema é que como as vogais mais comuns são muito próximas no alfabeto, ao datilografar um texto as barras com as letras que batiam na fita para imprimir o caractere no papel se enroscavam. O objetivo do layout atual era separar as vogais para que um atraso ocorresse durante a datilografia dando tempo para as que barras com as letras não enroscassem.

O nome do layout Qwerty veio simplesmente por estas serem as seis primeiras letras da primeira fileira. Uma artimanha que era utilizada frequentemente pelos vendedores da primeira máquina de escrever, a “TYPE WRITER” (mesma empresa que inventou o layout Qwerty), era que o nome da companhia poderia ser escrito apenas com as letras da primeira fileira de letras.

Mas agora não existem mais barras que se enroscam. Cada dígito é meramente um impulso elétrico. Porque estamos usando este velho modelo extremamente anti-intuitivo em nossos teclados?

Diversas alternativas foram criadas ao Qwerty, com o Dvorak sendo o mais famoso (apesar de ser fabricado por pouquíssimas marcas). Muitos alegam que seus layouts são ergonômicos ou permitirem uma digitação mais ágil, mas não há evidências sobre isto.

Se alguém desse para você, agora mesmo, um teclado com as letras em ordem alfabética você levaria muito tempo para reaprender a digitar. Você possivelmente o engavetaria. O custo desta mudança simplesmente seria muito alto, não necessariamente em termos monetários, mas em tempo, e as pessoas não estão dispostas a isto.

Portanto nós estamos presos com o teclado da maneira que ele é. Conforme-se! [Wikipedia]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 5,00 de 5)

23 comentários

  • Cyber Seo Blog | 15 tecnologias que ainda estaremos usando em 2030 – HypeScience – A ciência é a grande estrela do mundo real:

    […] em 1878 para evitar que as pessoas teclassem muito rápido na máquina de escrever (os leitores mais jovens talve… reina soberano nos computadores, celulares e tablets do mundo ocidental, mesmo quando falamos em […]

  • Luiz Jr.:

    O cara distribuiu as letras de modo a retardar a velocidade da digitação?

  • Hughs:

    Pergunta… se o objetivo do teclado Qwerty era “afastar” as vogais, por que então que esse teclado tem justamente tres vogais juntas em sequencia (u-i-o) e 2 bem próximas (a-e)?

    e se substituirmos as letras do teclado atual pela ordem alfabética as letras que ficariam juntas seriam apenas a E e O…

    • manuela:

      gente mais repara que bem no inicio do tecldo ta escrito qwerty

    • mateus vinicius:

      olhe as datas 179*,189*.eles usavam maquinas de escrever que tinham centenas de pessas moveis parafusos e arames. e eram usado apenas para escrever imagine se ocorresse uma falha no equipamento

  • Camilo:

    o teclado qwerty não é para nada e durante nunca pouco intuitivo. A história postada é a real, a crítica do Felipe apenas sensata, mas um pouco agressiva, e os únicos q deveriam ter direito de falar aqui somo aqueles que usamos todos os 10 dedos para digitar a uma velocidade maior do que 160 palavras por minuto e passamos por cima do uso do mouse, dispositivo éste que apenas serve para digitalizar, bem diferente do que pensar e produzir a través dos dedos ao tempo que temos a visão completamente panorâmica do nosso entorno de trabalho em frente do computador.

  • Renata:

    “O mais provavel que alguem tenha feito a manutenção de uma maquina de forma errada trocando as letras de lugares e percebeu que daquele jeito as letras travavam menos. A empresa copiou esse padrão aleatorio e aqui estamos nos hoje usando esse teclado embaralhado e pouco intuitivo.
    Ou seja praticamente a lei da evolução natural.”
    CONCORDO plenamente com o Tiago xD

  • Luiz Antonio de Souza:

    gostei desta informação q aumenta mais o meu conhecimento em relação a este assunto .

  • Dsuisso:

    Eu nao mudaria o meu teclado..

    Fiz datilografia há anos atras.. e digito bem rapido no pc

  • Tiago:

    Caros,

    Eu acho que o Marco errou ao criticar desdenhosamente o post do Wilson.
    Eu tambem sempre tive essa informação porem nunca concordei completamente com ela.
    E creio que a informação postada pelo Marco é sim relevante.
    E Felipe vc sitou a palavra opportunity como exemplo que a distribuição então estaria errado, porem se ele foi feito para isso fica dificil dizer quais palavras foram usadas para o desenvolvimento do teclado e quais outras distribuições foram testasdas com essa regra. Fora que nesta palavra as letras op que estão proximas se encontram nos dedos menores e portanto mais lentos o que poderia identificar a defasagem de tempo.
    Fora que a ideia de mais agilidade ao digitar presupões um estudo detalhado e complexo para varias linguas, ou se foi so para o inglês entaõ cada pais deveria ter o seu padrão.
    Portanto tudo é especulação. O mais provavel que alguem tenha feito a manutenção de uma maquina de forma errada trocando as letras de lugares e percebeu que daquele jeito as letras travavam menos. A empresa copiou esse padrão aleatorio e aqui estamos nos hoje usando esse teclado embaralhado e pouco intuitivo.
    Ou seja praticamente a lei da evolução natural.

    Até…

  • Marcio Araujo:

    Gostei também do Comentário do Felipe e do post do Wilson. E com relação ao “caro” amigo que, não critique e nem censure o pensamento alheio, mas faça algo!
    Pesquise, mas pesquise em referências confiavéis e não fique somente no Ctrl+C Ctrl+V. Isso é prejudicial a você.
    Seja mais critico com qualquer coisa e com qualquer informação da Wikipédia,não desmerecendo o Sítio, mas questione se aquilo é a verdade absoluta ou uma simples conjectura.

  • rhkudo:

    o melhor de tudo sao os comentarios….
    Gostei mais do comentario do felipe do q o proprio post

  • Felipe Vianna:

    Marco, deixe de ser arrogante.
    O que você “copiou-e-colou” são apenas especulações sobre a origem do layout do teclado QUERTY. Você citou apenas

    duas dessas “lendas urbanas” (pois nenhuma tem comprovação histórica), mas o fato de você não haver tomado

    conhecimento das outras possibilidades não lhe dá o direito de criticar aquelas que desconhece porque teve

    preguiça de pesquisar.
    As razões de funcionalidade mecânica das antigas barras tipográficas certamente fazem parte dos critérios de

    distribuição das letras no teclado, mas isso não se deve apenas às vogais, e sim a todo o conjunto de caracteres

    alfanuméricos e semigráficos.
    Mesmo assim, o layout QWERTY seria ineficiente se visasse apenas evitar a digitação subsequente de letras para

    que as barras não se acavalassem. Vou usar um exemplo simples, numa palavra da língua inglesa, para não fugir ao

    idioma em que as máquinas de escrever foram projetadas: “opportunity” possui, numa palavra de 11 letras, 3

    quebras a essa pretensa regra, ou seja, mais da metade da palavra apresenta o risco de colisão das barras

    tipográficas numa máquina de escrever mecânica, por requerer a digitação consecutiva de caracteres fisicamente

    próximos.
    Na verdade, um teclado “em ordem alfabética” seria tão ou mais eficiente, sob o ponto de vista mecânico, mas é

    uma alternativa estúpida, pois a sequencia como as letras são organizadas no alfabeto não tem relação alguma com

    a formação das palavras em qualquer idioma, nem mesmo no inglês.
    Então, a explicação dada pelo Wilson nada tem de fantasiosa. Com certeza a distribuição das letras no teclado

    QWERTY tem por principal finalidade agilizar o procedimento de escrita. Isso se dá tanto evitando acavalamentos

    mecânicos quanto distribuindo equilibradamente entre ambas as mãos o esforço da digitação, arranjando o layout do

    teclado de acordo com padrões da estrutura linguística.
    Os layouts alternativos de teclado, dentre os quais o Dvorak se destaca pelo estudo mais aprofundado, têm como justificativa para sua adocão exatamente a otimização da escrita. Entretanto, os ganhos de produtividade desses layouts não justificam o custo de mudança de padrão. Ou seja, em essência são apenas padrões diferentes. E todos têm letras “embaralhadas” Melhores? Talvez, mas o mundo nunca segue a lógica ou critérios técnicos. Veja o caso dos falecidos videocassetes: o padrão Betamax oferecia inúmeras vantagens, deste o sistema de transporte e a durabilidade da fita até a qualidade da imagem e do som. Mas quem prevaleceu foi o VHS. E daí? Daí nada.
    A explicação dos vendedores, embora aceita como especulação, é com certeza a mais fantasiosa, e discorrer aqui sobre ela é apenas alimentar a baboseira.
    Quanto ao comentário do Wilson, veja bem que ele apenas diz que a informação que ele tem é diferente das que você

    apresentou, sem desmerecê-las. Você, por outro lado, preferiu esculachá-lo, alegando que o que você postou tem base histórica e referências.
    Mas que base histórica e referências, cara-pálida? A Wikipedia? Faça-me o favor.
    Um site que permite qualquer paspalho postar o que bem entende, como por exemplo comparar Caetano Veloso e Gilberto Gil aos Beatles, não merece muito crédito. Crédito nenhum, aliás. Qualquer pessoa com um mínimo de apreço pela própria inteligência sabe que, se você NÃO quiser saber a verdade sobre algo, consulte a Wikipedia.
    Enfim, acho que você deve desculpas formais ao Wilson e, se possível, daqui por diante ter mais respeito pelas pessoas que apresentam algo diferente da SUA verdade. Seja na Internet ou na vida real.

  • Miguel:

    Waldemar, o Houaiss descorda, em parte, de você:

    Rubrica: eletricidade, eletrônica.
    m.q. pulso

  • Waldemar:

    Não é IMpulso elétrico, é pulso elétrico.

  • Diogo:

    É Marco, a wikipedia tem mta base histórica e referências mesmo!!
    A história do Wilson é mais plausível!

  • Marlene:

    A explicação é boa, mas acredito que o amigo Wilson esteja mais perto da realidade, não deixando de aceitar o artigo, pois a empresa não é brasileira. A distribuição das letras não pensou em outras línguas…

  • Frederico Feroli:

    Marcos só lamenta por vc mais o Wilson esta correto, na verdade ele complementou o post realmente existiu o problema das barras de letras e foi proposta a mudança das letras no teclado, o que se ocorreu foi que cada região escolheu a posição das teclas que mais lhe agrada-se, de tal forma que em diferentes paises da Europa vc vai encontrar as formas de teclados DOVORAK; e a XPERT.
    Por finais bases e referencias, desde quando Wikipedia é base real pra alguma coisa??? Quando lá chegar aos 75% de acerto pode ser que sim, mas por enquanto ta a muito disso.

  • Marco:

    Wilson, a vantagem sua informação para a do artigo é quem o site aqui tem base história e referências, ao contrário da sua história bonitinha de dedos dançantes.

  • Wilson de Mesquita:

    A informação que eu tenho é bem diferente disso.
    A distribuição das letras no teclado é baseada nas letras mais usadas na lingua inglesa. Baseado nisso, foram distribuidas de forma a alternar as mãos que digitavam essas letras e colocando nos dedos mais fortes – indicadores, médios e anelares – as letras mais comuns da lingua.
    Prova disso é que se digitarmos um texto em inglês se percebe que o “bailado” das mãos no teclado é mais distribuido. Outro indício é que em português as teclas mais utilizadas estão na mão esquerda. Inclusive o “A”, a letra mais usada, está a cargo do mínimo da mão esquerda.

  • Vitor:

    Realmente é uma curiosidade, e lembro bem das encavaladas das hastes da maquina de escrever, mesmo pq eu era criança e apertava todos de uma vez hehe

    Abraços

  • Giovani Raci Paganini:

    Nossa, não tinha a mimina ideia disso.Pensei que fosse para digitarmos de uma maneira mais agil.

    Parabens, ADOREI o artigo.

  • alex mello:

    sempre tive curiosidade de saber sobre isso, mas é claro, eu nunca pensei nisso, rs
    já fiz um teste de digitação, cheguei a 5,8 caracteres por segundo (acho que foi isso) e se eu trocasse de teclado provavelmente ia fazer uns 0,4 tcl/s.. muito complicado mesmo! gostei do texto, mais uma vez o hypescience caprichando! 🙂

Deixe seu comentário!