Agora você pode ter um sol artificial que parece real em sua casa

Por , em 3.03.2016

Criada por físicos da Universidade de Insubria (Itália) depois de uma década de pesquisas, CoeLux é a iluminação artificial que mais se parece com a luz solar. Quem entra em uma sala com a luminária pode nem perceber que ela não é uma simples claraboia no teto que deixa passar a luz do sol para o ambiente.

Para fazer o cérebro acreditar que está vendo luz do sol, a luminária de teto usa uma camada de polímero com nanopartículas de dióxido de titânio. Essa camada simula a passagem dos raios solares pela atmosfera da Terra, fenômeno conhecido como dispersão de Rayleigh.

“CoeLux não está copiando a natureza, mas apenas a colocando em destaque, como a arte faz”, diz o pesquisador principal do projeto, Paolo Di Trapani.

Três ângulos

Ao combinar lâmpadas fluorescentes e de LED branca, o CoeLux consegue criar três tipos de iluminação:

1. Sol da zona polar

raios em ângulo de 30 graus, imitando a luz solar lateral de países Nórdicos (neste caso é necessário que seja instalada na parede, e não no teto)

Raios em ângulo de 30 graus, imitando a luz solar lateral de países nórdicos (neste caso é necessário que seja instalada na parede, e não no teto)

2. Sol da zona temperada

com raios em ângulo de 45 graus, que oferece uma sensação de zona temperada

Raios em ângulo de 45 graus, que oferecem uma sensação de zona temperada

3. Sol da zona tropical

 com raios e ângulo de 60 graus, que simula a luz solar nos trópicos

Raios e ângulo de 60 graus, que simulam a luz solar nos trópicos

Hospitais, metrôs e shoppings

Inicialmente desenvolvida para fornecer luz natural para locais fechados como metrôs e shoppings, esta também é uma alternativa para hospitais e escritórios sem janelas ou para porões. Essa iluminação também pode ser muito importante em países nórdicos como Finlândia, Suécia e Noruega, onda há um grande índice de depressão, alcoolismo e suicídio por conta das longas horas de escuridão no inverno.

Claro que esse sol artificial não sai barato. Seu preço estimado por enquanto é de US$ 60 mil, com custo extra de cerca de US$ 8 mil para transporte e uma instalação para lá de especializada. Esperamos que, com o tempo, a tecnologia tenha menor custo para que o produto chegue à população em geral.

Divisor de águas para arquitetura

Seus inventores compararam o CoeLux com o impacto de invenções como elevadores e aparelhos de ar-condicionado para a arquitetura: construir arranha-céus só se tornou possível depois da invenção de elevadores. Antes disso, os prédios tinham no máximo seis andares. Já com os aparelhos de ar-condicionado, foi possível ter ambientes sem a ventilação natural vinda das janelas.

Para os inventores do produto, a partir de agora será possível projetar grandes “arranha-terras” – ou prédios construídos abaixo da linha da superfície. Com essa iluminação, seus habitantes não ficariam depressivos e com sensação de claustrofobia.

imita luz solar

Para ficar melhor ainda, o ângulo dos raios de luz poderiam ir mudando conforme o dia vai passando, para não confundir nossa cabeça com a sensação de passagem de tempo e também com a nossa posição geográfica, já que o sol nasce no leste e se põe no oeste. [Futurism, CoeLux]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (4 votos, média: 5,00 de 5)

Deixe seu comentário!